A Xwing está a estudar um avião que voa sozinho (e pode estar para breve)

A Xwing está a testar um avião que não precisa de piloto para voar, apenas é controlado a partir do solo. Viajar sem tripulação pode ser uma realidade adaptada a voos comerciais, e mais depressa do que se pensa.

A aeronave assemelha-se mais a um kart do que propriamente a um avião de passageiros. Maxime Gariel, diretor de tecnologia da Xwing, garante que o principal objetivo deste avião é “ser monótono, pois a última coisa que se deseja numa viagem aérea sem piloto é emoção”.

A automação não é uma novidade no que toca a viagens aéreas. Normalmente, a relação do piloto com o avião termina após a descolagem – revela a Ars Technica.

Contudo, Marc Piette, CEO da Xwing, explica que os recursos dos aviões comerciais estão muito longe de se livrarem do piloto, uma vez que existem aspetos do voo que ainda não são automatizados — como manobrar as pistas de aterragem ou executar a descolagem. Mesmo quando são controlados através de indicações terrestres, os aviões requerem da presença do piloto na cabine.

Na visão dos tecnológicos, os pilotos podem ser substituídos por controladores que deverão estar a supervisionar o avião através do solo. O objetivo é automatizar todas as tarefas de um piloto ao máximo, mantendo apenas a “mão humana” na superfície terrestre. Assim, em vez de o piloto estar presente num voo por dia, pode controlar muitos voos no solo. A ideia é simples: mais aviões, menos pilotos.

Piette diz que o maior desafio de retirar os pilotos da cabine, é a questão da contingência.  E se o operador que está em solo perder o contacto, o avião pode voar sozinho? A questão ainda está a ser estudada, pois antes de se tornar num avião comercial, deve reunir todas as condições de segurança.

O CEO da Xwing explica que esta ideia é uma maneira inteligente de começar a automatizar aeronaves maiores, e mais tradicionais. O novo avião deverá ter capacidade para assumir uma nova forma de voar. A aeronave tem todos os acessórios e mais alguns, com destaque para sensores ligados às asas para identificar a pista de aterragem, câmaras visuais, e ainda um radar para detetar a presença de outros aviões.

O plano para os próximos meses é comprar alguns aviões Cessna mais antigos, e equipa-los com estas caraterísticas para testar o funcionamento. O objetivo é melhorar o software, e provar que os sistemas de automação funcionam com milhares de horas de voo.

Para já, tudo não passa de ideias. Contudo, a Federal Aviation Administration (FAA), regulador da aviação nos EUA, tem dado o seu contributo, colaborando com as empresas aeroespaciais para enfrentar os desafios técnicos de um possível voo não tripulado.

Steve Calandrillo, professor de direito da Universidade de Washington, mostra-se cético em relação a estes avanços. “Não acredito que a FAA coloque a segurança em causa, em nome da inovação. Há mais de dez anos que mostram interesse em sistemas aéreos não tripulados, mas até agora ainda não avançaram para essa realidade”.

O sonho de Piette provavelmente terá de esperar. Cathy Cahill, diretora do Centro de Integração de Sistemas de Aeronaves Não Tripulados da Universidade do Alasca, acredita que  “o próximo passo pode demorar. Talvez aconteça nos próximos 5 a 10 anos”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Morreu a atriz brasileira Eva Wilma. Tinha 87 anos

A atriz de brasileira Eva Wilma morreu este sábado aos 87 anos no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internada desde abril devido a um cancro de ovário. A artista tinha sido internada a …

Marcelo quer descentralizar poder para regionalizar bazuca europeia

Marcelo Rebelo de Sousa quer desconcentrar poderes do Estado central para as comissões de coordenação e desenvolvimento regio­nal (CCDR), já a pensar na execução dos milhões que vão chegar de Bruxelas. A perspetiva do Chefe de …

Humanos mudam os ecossistemas com fogo há quase 100 mil anos

Um novo estudo mostra que os humanos têm mudado o ambiente em que vivem recorrendo ao fogo há pelo menos 92 mil anos. Ao chegar a novas terras, os humanos usaram o fogo para as mudar …

Catarina Martins considera “absurda” proposta de reforma das Forças Armadas

A coordenadora do BE, Catarina Martins, considerou a proposta de reforma das Forças Armadas feita pelo Governo “absurda” e de “absoluta submissão à NATO”. “A proposta do Governo é absurda, é uma proposta que centraliza decisões, …

Egito abre fronteira com Gaza. EUA deixam aviso a Israel (e UE reúne de emergência)

O Egito abriu este sábado a fronteira terrestre com Gaza e enviou 10 ambulâncias para o enclave palestiniano para transportar para os hospitais egípcios palestinianos que ficaram feridos nos bombardeamentos israelitas, indicaram responsáveis médicos. Segundo o …

Cientistas identificam novo tipo de resposta ao stress desencadeada pela condução

Toda a gente conhece a sensação física de quando estamos num carro a acelerar. Mas poucos sabem o que isso pode estar a fazer ao nosso corpo. De acordo com o site Science Alert, cientistas investigaram …

Portugal regista recorde diário de 125 mil pessoas vacinadas. DGS põe de lado dispensa de máscara

No sábado foram administradas em Portugal 125 mil vacinas contra a covid-19, um novo recorde diário no país, segundo informação divulgada pela task force que coordena o programa de vacinação. "Ao todo foram administradas, durante o …

Estar com cães de terapia pode trazer benefícios que duram semanas

Um novo estudo mostra que os efeitos positivos associados a passar tempo com cães de terapia podem durar até seis semanas. Em muitas universidades norte-americanas, os alunos têm a possibilidade de frequentar programas específicos para reduzir …

A poluição do ar impacta mais umas pessoas do que outras. Depende da cor da pele

Vários estudos mostram que as pessoas de cor estão desproporcionalmente expostas à poluição do ar nos Estados Unidos. No entanto, não é claro se essa exposição desigual se deve principalmente a alguns tipos de fontes …

A tecnologia ressuscitou o "plágio" de escritores medievais

Os trabalhos de autores medievais foram "ressuscitados" com a tecnologia do século XXI numa inesperada colaboração na Universidade de St Andrews, na Escócia. Um arquivo das obras de autores ingleses medievais, que revelava uma visão internacional …