A sexta extinção em massa já começou (e os humanos estão em risco)

O mundo está a iniciar a sexta extinção em massa, com os animais a desaparecerem a um ritmo 100 vezes superior ao de uma normal extinção em massa, e os humanos podem estar entre as primeiras vítimas, segundo um estudo divulgado esta sexta-feira.

Nunca desde o fim da era dos dinossauros, há 66 milhões de anos, o planeta perdeu espécies a um ritmo tão rápido quanto o actual, segundo a investigação realizada por cientistas das universidades de Stanford, Princeton e da Califórnia, em Berkeley.

O estudo, publicado na revista Science Advances,  “mostra sem qualquer dúvida que se está a entrar na sexta grande extinção em massa”, afirma um dos autores, Paul Ehrlich, professor de Biologia na Universidade de Stanford.

E os humanos estão entre as espécies que vão desaparecer, aponta o estudo — que os próprios autores consideram “muito conservador”.

Em 2010, o micro-biólogo australiano Frank Farmer previa já que a Humanidade se extinguirá em 100 anos, porque o nosso planeta será inabitável, por culpa do excesso de população, escassez de recursos e alterações climáticas.

E num artigo de opinião, publicado na Reuters também esta sexta-feira, o engenheiro e escritor norte-americano David Auerbach resgata a teoria de Farmer, e adverte: não resta muito tempo ao planeta.

A investigação de Paul Ehrlich pretendia determinar o impacto da actividade do Homem nos últimos 500 anos nas taxas de extinção de espécies vertebradas, e a que velocidade essas extinções estão a ocorrer agora.

Mesmo as estimativas mais conservadoras do estudo indicam que as espécies estão a desaparecer a um ritmo 100 vezes superior ao das anteriores extinções em massa, e não deixam dúvidas: estamos já na sexta extinção em massa na Terra.

Ceballos et al

Registos acumulados de espécies extintas nos últimos 500 anos

Registos acumulados de espécies extintas nos últimos 500 anos

“Se conseguir continuar, a vida vai levar muitos milhões de anos a recuperar e a nossa própria espécie deve ser das primeiras a desaparecer“, afirmou o principal investigador, Gerardo Ceballos, da Universidade Autónoma do México.

A análise é baseada em extinções documentadas de vertebrados, ou animais com esqueletos internos, como os sapos, répteis e tigres, em registos fósseis e outra informação histórica.

As causas da eliminação das espécies vão desde as alterações climáticas à desflorestação, entre outras.

Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, cerca de 41% de todas as espécies anfíbias e 26% de todos os mamíferos estão ameaçados de extinção.

A humanidade está fortemente dependente do clima e da biodiversidade – desde a polinização, à purificação das águas, até à pirâmide alimentar, o Homem depende do meio ambiente.

As conclusões do estudo de Paul Ehrlich agora publicado são simples: o Homem esteve nos últimos 500 anos a atirar uma bola de demolição contra a Biosfera.

E parece que a bola está a baloiçar de volta.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Como pescador e caçador que fui interiorizei sem quaisquer dúvidas ao verificar nestes últimos 20 anos o desaparecimento das espécies aos milhares de milhões, entre outras, as perdizes, o coelho, as tolas bravas, as codornizes, os tordos, o pombo bravo, as parcelas etc. A humanidade ja nao chega ao fim do seculo. O cancro e uma doença galopante que ajudará ao seu desaparecimento a velocidade da luz. Um abraco a todos.

RESPONDER

Francisco Rodrigues dos Santos é o novo líder do CDS

A moção de estratégia de Francisco Rodrigues dos Santos, sob o título "Voltar a Acreditar", foi a mais votada na madrugada domingo no 28.º congresso do CDS, em Aveiro, avançaram à agência Lusa fontes partidárias. A …

Cientistas descobrem proteína capaz de imitar os efeitos do exercício físico

A proteína, chamada de Sestrin, é capaz de proporcionar benefícios musculares muito semelhantes aos da prática de exercício físico. Um grupo de cientistas da Universidade de Medicina do Michigan, nos Estados Unidos, descobriu uma proteína …

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …