Este ano, mais de 450 lobos foram abatidos desnecessariamente na Colúmbia Britânica

Doug Smith / NPS

No inverno de 2019/2020, cerca de 463 lobos foram mortos na Colúmbia Britânica como parte de um programa de abate patrocinado pelo Estado para ajudar a “renascer” a população cada vez menor de renas. No entanto, estas mortes foram baseadas em estatísticas duvidosas.

As renas de montanha, um ecótipo da subespécie de rena da floresta (Rangifer tarandus caribou) que já foi encontrada no sul de Idaho e Montana, foram listadas como uma espécie “ameaçada” pelas autoridades da vida selvagem canadianas em 2012, após um rápido declínio dos números da população nas recentes décadas.

Muitos argumentaram que o declínio da espécie se devia principalmente a anos de contínua degradação do habitat, enquanto outros propuseram que os predadores e os níveis altos de predação eram os principais culpados.

Em 2005, de acordo com o IFLScience, a última teoria levou o Governo da Colúmbia Britânica a lançar um dispendioso “plano de recuperação de renas” que enviou atiradores de elite em helicópteros de voo baixo para matar lobos. O objetivo passava por diminuir o número de predadores para que a população de renas pudesse recuparar os seus números anteriores.

No início de 2019, um estudo apoiou o abate de lobos, alegando que a rena podia ser salva através de uma operação de gestão de vida selvagem que envolvia a matança de lobos e a vedação de renas grávidas. O governo da província matou 463 lobos no inverno de 2019/2020, de acordo com um e-mail enviado pelo Ministério das Florestas, Terras, Operações de Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural.

Agora, num novo estudo publicado esta semana na revista científica Biodiversity and Conservation, os cientistas defendem que a investigação de 2019 estava errada e que o abate foi baseado em suposições falsas.

Investigadores da Universidade de Alberta usaram simulações de dados sobre renas de montanha na Colúmbia Britânica e descobriram que os lobos tinham pouco a ver com o seu desaparecimento. Alguns dos declínios mais acentuados foram observados nas renas de neve profunda que vivem no sul da Colúmbia Britânica, onde os lobos não são os principais predadores – mas sim pumas, ursos e glutões.

Segundo o estudo, a investigação de 2019 cometeu o erro fatal de não usar um modelo nulo, que é uma ferramenta estatística frequentemente usada em dados ecológicos que determina se um fator tem um impacto real no padrão geral ou se a tendência é apenas parte de uma variação aleatória. De acordo com esse modelo, o impacto das abates de lobos e renas não foi tão relevante como o estudo de 2019 indicou.

“Não importa como se calcula, as estatísticas não apoiam lobos abatidos nem renas vedadas”, disse Viktoria Wagner, do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta, em comunicado.

Se estas descobertas estiverem corretas, os lobos abatidos na última temporada morreram em vão, tendo pouco efeito na saúde geral da população de renas da montanha.

No entanto, permanece uma questão: o que está a causar o desaparecimento das renas de montanha? Estes cientistas defendem que a destruição de habitat e atividade humana são os principais responsáveis do declínio da espécie.

“As florestas fornecem às renas refúgio de lobos e separação de outros animais, incluindo alces, alces e veados”, disse Lee Harding, biólogo aposentado do Serviço de Vida Selvagem do Canadá. “Sem eles, a rena deve estar constantemente em movimento para encontrar comida, expondo-a por todos os lados. Predadores são apenas um dos perigos.”

[sc name=”assina” by=”ZAP” url=”” source=””
PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O Canadá um país tão civilizado e faz isto…e ainda criticam as nossas touradas e as de Espanha ( e eu sou contra as touradas)…HIPOCRISIA,mundo podre!

  2. É INCRIVEL como o ser humano, enquanto especie dominante, destroi tudo por onde passa e depois coloca as culpas nas outras especies ou simplesmente NÃO quer saber…
    É triste, estes estudos baseados em ferramentas estatisticas e computacionais mal aplicadas, em lugar de observação e estudo no terreno.
    Há uns anos diziam que que uma especie crescia ou decrescia em função da quantidade de alimento disponivel. Ora se há um decrescimo gradual das renas deveria existir também uma natural (sem intervenção humana) redução gradual dos lobos.
    Provavelmente passarão a estar em risco, não uma mas duas especies

RESPONDER

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …

Emprego, formação e pobreza. Cimeira Social marca "o mais ambicioso compromisso" da UE

A Cimeira Social arrancou, nesta sexta-feira, no Porto, com a presença de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da UE, num evento que pretende definir a agenda social da Europa para a …

"Uma cena da Idade Média". Refugiado encontrado morto e cercado de ratos em acampamento grego

O jovem, proveniente da Somália, foi encontrado morto dentro de uma tenda no início desta semana. No momento em que as autoridades chegaram ao local, cerca de 12 horas após a morte do rapaz, o …

Coreia do Norte alega que a covid-19 poderia flutuar em balões vindos do Sul

A Coreia do Norte pediu aos seus cidadãos que não leiam panfletos de propaganda enviados através de balões do Sul, alegando que a covid-19 poderia entrar no país através das gotículas. De acordo com a agência …