Este ano, mais de 450 lobos foram abatidos desnecessariamente na Colúmbia Britânica

Doug Smith / NPS

No inverno de 2019/2020, cerca de 463 lobos foram mortos na Colúmbia Britânica como parte de um programa de abate patrocinado pelo Estado para ajudar a “renascer” a população cada vez menor de renas. No entanto, estas mortes foram baseadas em estatísticas duvidosas.

As renas de montanha, um ecótipo da subespécie de rena da floresta (Rangifer tarandus caribou) que já foi encontrada no sul de Idaho e Montana, foram listadas como uma espécie “ameaçada” pelas autoridades da vida selvagem canadianas em 2012, após um rápido declínio dos números da população nas recentes décadas.

Muitos argumentaram que o declínio da espécie se devia principalmente a anos de contínua degradação do habitat, enquanto outros propuseram que os predadores e os níveis altos de predação eram os principais culpados.

Em 2005, de acordo com o IFLScience, a última teoria levou o Governo da Colúmbia Britânica a lançar um dispendioso “plano de recuperação de renas” que enviou atiradores de elite em helicópteros de voo baixo para matar lobos. O objetivo passava por diminuir o número de predadores para que a população de renas pudesse recuparar os seus números anteriores.

No início de 2019, um estudo apoiou o abate de lobos, alegando que a rena podia ser salva através de uma operação de gestão de vida selvagem que envolvia a matança de lobos e a vedação de renas grávidas. O governo da província matou 463 lobos no inverno de 2019/2020, de acordo com um e-mail enviado pelo Ministério das Florestas, Terras, Operações de Recursos Naturais e Desenvolvimento Rural.

Agora, num novo estudo publicado esta semana na revista científica Biodiversity and Conservation, os cientistas defendem que a investigação de 2019 estava errada e que o abate foi baseado em suposições falsas.

Investigadores da Universidade de Alberta usaram simulações de dados sobre renas de montanha na Colúmbia Britânica e descobriram que os lobos tinham pouco a ver com o seu desaparecimento. Alguns dos declínios mais acentuados foram observados nas renas de neve profunda que vivem no sul da Colúmbia Britânica, onde os lobos não são os principais predadores – mas sim pumas, ursos e glutões.

Segundo o estudo, a investigação de 2019 cometeu o erro fatal de não usar um modelo nulo, que é uma ferramenta estatística frequentemente usada em dados ecológicos que determina se um fator tem um impacto real no padrão geral ou se a tendência é apenas parte de uma variação aleatória. De acordo com esse modelo, o impacto das abates de lobos e renas não foi tão relevante como o estudo de 2019 indicou.

“Não importa como se calcula, as estatísticas não apoiam lobos abatidos nem renas vedadas”, disse Viktoria Wagner, do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Alberta, em comunicado.

Se estas descobertas estiverem corretas, os lobos abatidos na última temporada morreram em vão, tendo pouco efeito na saúde geral da população de renas da montanha.

No entanto, permanece uma questão: o que está a causar o desaparecimento das renas de montanha? Estes cientistas defendem que a destruição de habitat e atividade humana são os principais responsáveis do declínio da espécie.

“As florestas fornecem às renas refúgio de lobos e separação de outros animais, incluindo alces, alces e veados”, disse Lee Harding, biólogo aposentado do Serviço de Vida Selvagem do Canadá. “Sem eles, a rena deve estar constantemente em movimento para encontrar comida, expondo-a por todos os lados. Predadores são apenas um dos perigos.”

[sc name=”assina” by=”ZAP” url=”” source=””

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O Canadá um país tão civilizado e faz isto…e ainda criticam as nossas touradas e as de Espanha ( e eu sou contra as touradas)…HIPOCRISIA,mundo podre!

  2. É INCRIVEL como o ser humano, enquanto especie dominante, destroi tudo por onde passa e depois coloca as culpas nas outras especies ou simplesmente NÃO quer saber…
    É triste, estes estudos baseados em ferramentas estatisticas e computacionais mal aplicadas, em lugar de observação e estudo no terreno.
    Há uns anos diziam que que uma especie crescia ou decrescia em função da quantidade de alimento disponivel. Ora se há um decrescimo gradual das renas deveria existir também uma natural (sem intervenção humana) redução gradual dos lobos.
    Provavelmente passarão a estar em risco, não uma mas duas especies

RESPONDER

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …