Mais de 40 pessoas mortas por grupos de “proteção às vacas” na Índia

Pelo menos 44 pessoas foram mortas por grupos de “proteção às vacas”, entre maio de 2015 e dezembro de 2018, em 12 Estados da Índia, denuncia a organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) num relatório divulgado esta terça-feira.

Esta organização de defesa dos direitos humanos indica que nesse período, cerca de 280 pessoas ficaram feridas em mais de 100 incidentes diferentes em 20 estados.

Segundo a HRW, os ataques foram liderados pelos designados grupos de “proteção às vacas”, muitos dos quais afirmaram “estar ligados a grupos militantes hindus“, que frequentemente têm ligações com o Partido do Povo Indiano (BJP, na sigla original).

O abate de vacas, animal sagrado para os hindus, é proibido em 23 dos 29 Estados da Índia e em alguns Estados a posse de carne não é permitida, explica esta ONG.

Membros do partido BJP, que chegaram ao poder a nível nacional em maio de 2014, têm usado “cada vez mais a retórica comum” que estimulou “uma violenta campanha de vigilância contra o consumo de carne bovina” na Índia, refere a HRW.

O relatório de 102 páginas, sobre a violência na proteção das vacas na Índia, analisa a ligação entre a proteção deste animal e o movimento político hindu e o fracasso das autoridades locais em impor obrigações constitucionais e internacionais de direitos humanos para proteger as minorias vulneráveis.

Na maioria dos casos documentados pela HRW, as famílias das vítimas, com o apoio de advogados e ativistas, conseguiram algum progresso na justiça, contudo, várias famílias temem a retaliação e não prosseguem com as queixas. Desde 2014, vários Estados governados pelo BJP, aprovaram leis mais rigorosas para proibir o abate de vacas e adotaram políticas de proteção deste animal que os críticos consideram ser sinais populistas para promover o nacionalismo hindu.

“O aumento do nacionalismo hindu na Índia desde 2014 fomentou um clima de ódio e discriminação contra muçulmanos, ‘dalits’ [as castas mais baixas da sociedade indiana] e outras comunidades minoritárias, levando a um aumento dos ataques violentos contra eles em muitas partes do país, inclusive em nome da proteção das vacas”, alerta a HRW.

No relatório, a HRW apela ao Governo indiano a proteger as minorias religiosas e outras minorias e a assegurar uma investigação e um julgamento em todos os casos de violência comunitária. A HRW insta ainda o Governo a denunciar toda a violência comunitária e a enviar uma mensagem aos grupos extremistas hindus de que serão processados e responsabilizados por quaisquer crimes.

A Human Rights Watch entrevistou, de junho de 2018 a janeiro de 2019, mais de 35 testemunhas e familiares de vítimas mortais pelos denominados grupos de “vigilantes pelas vacas”, mais de 24 advogados e ativistas da sociedade civil que representam as famílias das vítimas, jornalistas que reportaram os crimes e ainda 10 funcionários públicos e aposentados do Governo e da polícia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Lá está… mais uma vez a religião na raiz do mal…
    A religião é o opio do povo, quem acredita nela, entra num mundo obscuro onde o bem e o mal é distorcido do real conceito de bem e mal.

Pela primeira vez, uma astronauta corrige página da Wikipédia a partir do Espaço

Pela primeira vez na história da Humanidade, a astronauta norte-americana Christina H. Koch fez a edição de uma página da Wikipedia na Internet a partir da Estação Espacial Internacional (EEI), enquanto orbitava o planeta Terra. A …

Rover Mars 2020 vai procurar fósseis microscópicos

Cientistas do rover Mars 2020 da NASA descobriram o que poderá ser um dos melhores locais para procurar sinais de vida antiga na Cratera Jezero, onde o veículo vai pousar no dia 18 de fevereiro …

MP quer passar a ouvir todas as crianças expostas a violência doméstica

A procuradora-geral da República quer que os magistrados do Ministério Público peçam sempre ao juiz de instrução criminal que as crianças expostas a violência doméstica sejam ouvidas em tribunal para memória futura. A procuradora-geral da República, …

Greta Thunberg no Parlamento entre final do mês e início de dezembro

A ativista sueca aceitou participar numa sessão na Assembleia da República, em Lisboa, promovida pela comissão parlamentar de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, que se realizará entre o final deste mês e início de …

Phineas Fisher. O "hacker fantoche" que está a pagar para piratearem bancos e petrolíferas

Phineas Fisher é um hackers mais infames do mundo e procura agora renovar esse estatuto ao oferecer 100 mil dólares a quem piratear instituições capitalistas, como bancos e empresas petrolíferas. O hacker ficou conhecido após ter …

Conselho Superior da Magistratura arquiva processo disciplinar a Carlos Alexandre

O Conselho Superior da Magistratura decidiu arquivar o processo disciplinar relativo ao juiz do Tribunal de Instrução Criminal por declarações sobre o sorteio da fase de instrução do processo Operação Marquês. "O plenário de hoje do …

Jardins e complexo de estufas descobertos num dos bunker de Hitler

Um grupo de especialistas descobriu jardins e um complexo de estufas, que serviu para cultivar legumes e frutas, num dos maiores quartéis generais de Adolf Hitler durante a II Guerra Mundial, o bunker conhecido como …

Ataque a Alcochete. Advogados pedem impugnação do auto de notícia da GNR

Uma discrepância nas datas de elaboração e de assinatura do auto de notícia que relata a invasão à academia do Sporting motivou, esta terça-feira, a apresentação de um requerimento de impugnação subscrito por vários advogados. No …

Japão diz que é seguro libertar água radioativa de Fukushima no Pacífico

O Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão afirmou esta segunda-feira que é seguro libertar água contaminada de Fukushima no Oceano Pacífico, de acordo com o jornal local Japan Today. A central nuclear, recorde-se, sofreu …

Dez autarcas e quatro clubes entre os 68 acusados na operação Ajuste Secreto

O Ministério Público da Feira deduziu acusação contra 68 arguidos, incluindo dez autarcas e ex-autarcas, quatro clubes desportivos e os seus respetivos presidentes, no âmbito da operação "Ajuste Secreto". Numa nota publicada no seu site oficial, …