25 fragmentos dos Manuscritos do Mar Morto acabam de ser publicados

(dr) The Schøyen Collection

Fragmentos do Livro de Levítico, um dos Manuscritos do Mar Morto

Fragmentos do Livro de Levítico, um dos Manuscritos do Mar Morto

Mais de 25 fragmentos inéditos dos históricos “Manuscritos do Mar Morto”, com cerca de dois mil anos, foram revelados recentemente em dois livros.

Os Manuscritos do Mar Morto são centenas de textos bíblicos judaicos, descobertos entre 1940 e 1950 nas cavernas de Qumran, na Cisjordânia, considerados os textos bíblicos mais antigos, datados de antes do nascimento de Jesus.

A autoria dos documentos não está comprovada, mas de acordo com outros documentos históricos é atribuída aos Essénios,  um grupo judaico que viveu na região das descobertas e tem semelhanças com as práticas identificadas nos textos.

Os vários fragmentos divulgados recentemente provêm de livros como Génesis, Êxodo, Levítico, Deuteronómio, Samuel, Reis, Miqueias, Neemias, Jeremias, Joel, Josué, Ezequiel, Jonas e outros.

Entre os documentos destaca-se o fragmento do Livro de Neemias, já que nas investigações realizadas às cavernas de Qumran os arqueólogos não tinham encontrado nenhuma cópia do livro.

Neemias viveu durante o século VI a.C., depois de Jerusalém ter sido destruída pelos babilónios em 586 a.C..

O livro descreve a visita de Neemias a Jerusalém, que estava em ruínas, e retrata o plano para a restauração da cidade, finalizada em apenas 52 dias.

Os cientistas não sabem ainda se o fragmento realmente provém das cavernas de Qumran porque o seu aparecimento na América ainda é um mistério.

Colecionadores

Entre 2009 e 2014, o empresário Steve Green comprou 13 fragmentos, que doou ao Museu da Bíblia em Washington, nos EUA, juntamente com milhares de outros artefactos.

Uma equipa de cientistas publicou os detalhes desses fragmentos no livro “Dead Sea Scrolls Fragments in the Museum Collection”, publicado em agosto de 2016.

Segundo os especialistas, ainda não há qualquer certeza da proveniência dos documentos.

“Alguns destes fragmentos devem ter vindo de Qumran, enquanto os outros podem ter vindo de outros locais no deserto da Judeia”, afirmou Emanuel Tov, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O colecionador norueguês Martin Schoyen possui os restantes 12 fragmentos, cujo conteúdo foi detalhado no livro “Gleanings from the Caves: Dead Sea Scrolls and Artefacts from The Schoyen Collection”, igualmente publicado este ano.

Schoyen coleciona manuscritos bíblicos desde 1986 e tem uma vasta coleção de antiguidades.

Alguns dos fragmentos da sua coleção vêm das cavernas 1, 4 e 11 de Qumran, enquanto outros foram descobertos nas cavernas do deserto da Judeia, perto de Jerusalém.

No entanto, devido às preocupações de que alguns dos fragmentos sejam falsificações, os cientistas ainda estão a realizar testes aos manuscritos doados para tentar determinar a sua veracidade.

BZR, ZAP / Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

Ator e encenador Tiago Rodrigues vence Prémio Pessoa 2019

O ator, encenador e diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II, Tiago Rodrigues, é o vencedor do Prémio Pessoa 2019. Tiago Rodrigues, ator, encenador, dramaturgo e diretor artístico do Teatro Nacional D. Maria II, é …

Nova ponte sobre o Douro não vai estar concluída em 2022

As câmaras do Porto e Gaia admitiram esta quinta-feira que a nova ponte sobre o rio Douro "dificilmente" vai estar pronta em 2022, como estava previsto, apontando para 2020 o lançamento do concurso público. O ponto …

Tribunais com luz verde para aceder a dados escolares de menores. Governo ignora alerta sobre Protecção de Dados

A Justiça vai ter acesso directo e automático às informações escolares de menores por via da "desmaterialização da informação" prevista no Simplex. A medida foi aprovada numa nova portaria conjunta dos ministérios da Justiça e …

"Ridícula". Donald Trump critica escolha de Greta Thunberg para Personalidade do Ano

O Presidente norte-americano, Donald Trump, comentou esta quinta-feira, a escolha da Greta Thunberg como “Personalidade do Ano” pela revista Time, aconselhando a jovem sueca a controlar a “raiva” e ir ao cinema. A ativista já …

Bruno de Carvalho sabia que o plantel "não estava com ele", diz Podence em tribunal

O futebolista Daniel Podence disse em tribunal, esta quinta-feira, que o antigo presidente do Sporting sabia "perfeitamente que o plantel não estava com ele", na altura da invasão à academia do clube, em Alcochete. Na 12.ª …

"É o que dá ser novata". Líder parlamentar do PAN engana-se no tema do debate

A líder parlamentar do PAN, Inês Sousa Real, protagonizou um momento caricato na Assembleia da República, esta quinta-feira, quando subiu à tribuna e começou a sua intervenção sobre pessoas sem-abrigo quando o debate era sobre …

Pelo menos um morto e 25 feridos na explosão em prédio na Alemanha

Pelo menos uma pessoa morreu e 25 ficaram feridas esta sexta-feira na sequência de uma explosão num edifício residencial em Blankenburg, na Alemanha. Uma explosão num prédio de habitação na cidade de Blankenburg, região da Sáxonia, …

Infarmed retira do mercado 7 cremes para crianças da Wells, Barral e Dermosense

O Infarmed detetou irregularidades em sete produtos cosméticos hidratantes para crianças, ordenando a retirada do mercado de dois cremes de rosto para bebé, da Barral e da Wells, e a retirada voluntária de dois outros …

Ninguém sabe o que fazer com duas estátuas de Salazar

Nem o Estado, nem a Câmara Municipal de Santa Comba Dão parecem saber o que fazer com duas estátuas de António de Oliveira Salazar. Haveria planos para as exibir no Museu Salazar, mas como o …

Tancos. Principal suspeito vai ser libertado em janeiro

João Paulino, o principal suspeito do roubo de material militar dois paióis de Tancos, e mais sete suspeitos vão ser libertados a 28 de janeiro. A informação é avançada esta sexta-feira pela revista Sábado, que dá …