25 fragmentos dos Manuscritos do Mar Morto acabam de ser publicados

(dr) The Schøyen Collection

Fragmentos do Livro de Levítico, um dos Manuscritos do Mar Morto

Fragmentos do Livro de Levítico, um dos Manuscritos do Mar Morto

Mais de 25 fragmentos inéditos dos históricos “Manuscritos do Mar Morto”, com cerca de dois mil anos, foram revelados recentemente em dois livros.

Os Manuscritos do Mar Morto são centenas de textos bíblicos judaicos, descobertos entre 1940 e 1950 nas cavernas de Qumran, na Cisjordânia, considerados os textos bíblicos mais antigos, datados de antes do nascimento de Jesus.

A autoria dos documentos não está comprovada, mas de acordo com outros documentos históricos é atribuída aos Essénios,  um grupo judaico que viveu na região das descobertas e tem semelhanças com as práticas identificadas nos textos.

Os vários fragmentos divulgados recentemente provêm de livros como Génesis, Êxodo, Levítico, Deuteronómio, Samuel, Reis, Miqueias, Neemias, Jeremias, Joel, Josué, Ezequiel, Jonas e outros.

Entre os documentos destaca-se o fragmento do Livro de Neemias, já que nas investigações realizadas às cavernas de Qumran os arqueólogos não tinham encontrado nenhuma cópia do livro.

Neemias viveu durante o século VI a.C., depois de Jerusalém ter sido destruída pelos babilónios em 586 a.C..

O livro descreve a visita de Neemias a Jerusalém, que estava em ruínas, e retrata o plano para a restauração da cidade, finalizada em apenas 52 dias.

Os cientistas não sabem ainda se o fragmento realmente provém das cavernas de Qumran porque o seu aparecimento na América ainda é um mistério.

Colecionadores

Entre 2009 e 2014, o empresário Steve Green comprou 13 fragmentos, que doou ao Museu da Bíblia em Washington, nos EUA, juntamente com milhares de outros artefactos.

Uma equipa de cientistas publicou os detalhes desses fragmentos no livro “Dead Sea Scrolls Fragments in the Museum Collection”, publicado em agosto de 2016.

Segundo os especialistas, ainda não há qualquer certeza da proveniência dos documentos.

“Alguns destes fragmentos devem ter vindo de Qumran, enquanto os outros podem ter vindo de outros locais no deserto da Judeia”, afirmou Emanuel Tov, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O colecionador norueguês Martin Schoyen possui os restantes 12 fragmentos, cujo conteúdo foi detalhado no livro “Gleanings from the Caves: Dead Sea Scrolls and Artefacts from The Schoyen Collection”, igualmente publicado este ano.

Schoyen coleciona manuscritos bíblicos desde 1986 e tem uma vasta coleção de antiguidades.

Alguns dos fragmentos da sua coleção vêm das cavernas 1, 4 e 11 de Qumran, enquanto outros foram descobertos nas cavernas do deserto da Judeia, perto de Jerusalém.

No entanto, devido às preocupações de que alguns dos fragmentos sejam falsificações, os cientistas ainda estão a realizar testes aos manuscritos doados para tentar determinar a sua veracidade.

BZR, ZAP / Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

"Parasitas": O Melhor Filme dos Óscares chega à televisão

Parasitas vai passar na televisão esta sexta-feira (3), às 21h30, no canal TVCine Top. A produção de Bong Joon-ho angariou, nesta última award season, inúmeras nomeações, tendo sido Palma de Ouro no Festival de Cinema …

Países entram numa "guerra secreta" por ventiladores, admite agente da Mossad

Muitos países estão a utilizar os seus serviços de informações para a compra de material de saúde encomendado por outros, sobretudo ventiladores, para enfrentar a crise do novo coronavírus, disse um agente da Mossad, encarregado …

Pessoas que espalham ódio na Internet tendem a ser psicopatas

Os utilizadores da Internet que publicam comentários de ódio sobre outras pessoas tendem a ter traços psicopáticos. Por outro lado, os cientistas não encontraram uma correlação entre essa prática e narcisismo ou maquiavelismo. Estes utilizadores são …

Polícia britânica tingiu de negro uma lagoa azul para afastar visitantes

A Polícia britânica decidiu tingir de negro uma lagoa azul muito procurada na região de Derbyshire, visando assim afastar os visitantes e fazer com que estes cumpram o isolamento social exigido pelas autoridades para travar …

A maior cascata do Equador desapareceu repentinamente

A maior cascata do Equador, com cerca de 150 metros, desapareceu repentinamente por causa de uma dolina. Investigadores ainda não sabem se esta apareceu por causas naturais ou humanas. Em fevereiro, a cascata de San Rafael, …

Aprovada descida de 3% na eletricidade no mercado regulado

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou uma descida do preço da tarifa aplicada no mercado regulado de cinco euros por megawatt/hora (MWh). Contas feitas, trata-se de uma redução de aproximadamente 3% no total …

Turquemenistão proibiu o uso da palavra "coronavírus"

Enquanto o mundo luta para conter a propagação da pandemia de covid-19, no Turquemenistão os cidadãos podem ser presos só por dizerem a palavra "coronavírus". De acordo com a rádio NPR, que cita a organização não …

EDP oferece desconto de 20% a profissionais e organizações de saúde

Face à pandemia de covid-19, a EDP vai oferecer um desconto de 20% na fatura da eletricidade a profissionais e organizações de saúde, anunciou esta quarta-feira a empresa liderada por António Mexia em comunicado. “A …

Bill Gates deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia

Num artigo publicado no jornal norte-americano Washington Post, o fundador da Microsoft, Bill Gates, deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia de covid-19, que já fez 43 mil mortes em todo o …

Comissão de Trabalhadores da TAP pede nacionalização da companhia

A Comissão de Trabalhadores (CT) da TAP reforçou esta quarta-feira o apelo para que a transportadora “se torne 100% pública”, depois de a empresa ter anunciado o lay-off da maioria dos trabalhadores, segundo um comunicado. No …