//

“Não é só mais um filme de animação”. 15 mil pessoas querem nova versão de “Soul”

4

A versão original do filme de animação “Soul”, que retrata a comunidade afro-americana, conta com a voz de atores negros a dar alma às várias personagens. Mas, a versão portuguesa não respeita a obra original: a dobragem foi feita por atores brancos e está a gerar bastante polémica.

Sem colocar em causa a qualidade da dobragem, várias personalidades da cultura juntaram-se e criaram uma petição, para que seja feita uma nova dobragem do filme da Disney, que conta já com 15 mil assinaturas.

“Soul” é um filme sobre o sentido da vida e sobre o jazz, que retrata a comunidade afro-americana, e começou a ser desenhado pela Pixar em 2016.

“Todo o processo foi muito rigoroso na escolha de argumentistas, equipa técnica e, claro, dos atores que dariam vida a este filme, assumido como um manifesto contra a iniquidade na indústria do entretenimento“, lê-se na petição.

“Este filme colocou-se numa posição de ser quase um manifesto na forma como foi produzido, nas pessoas que convidou para a sua feitura, e assumiu-se como um filme que tenta retratar a cultura e a música afro-americanas. (…) Daí ter havido tanto cuidado por parte da produtora original”, disse Pedro Coquenão, um dos criadores da petição, à RTP.

O músico, que falou também com a TSF, diz ainda não querer “dar cor às vozes” que se ouvem durante os 101 minutos de filme, mas alerta que a mensagem é demasiado importante, até porque “não é só mais um filme de animação”, é o primeiro da Disney com um protagonista negro (que é interpretado por Jorge Mourato, na versão portuguesa).

Depois de anos de investigação e de conversas entre atores e pessoas que representam a comunidade, que permitiram construir um resultado “mais preciso e representativo”, “este filme tem essa carga positiva de nos dar uma oportunidade de tentarmos equilibrar uma falta de representatividade, especialmente nos atores, que acontece no mundo inteiro e também em Portugal”, explica.

Mas em Portugal, o filme foi visto “apenas como mais um” e, assim, perde-se a oportunidade de reparar “o que está menos bem”, lamentou o artista.

Não está em causa o habitual bom trabalho em dobragens feitas em Portugal ou a qualidade dos atores da versão portuguesa, mas há aqui a expectativa de respeito pela intenção original e pelo que este representa historicamente: ser o primeiro filme de animação com um protagonista negro, interpretado por vozes negras“, pode ainda ler-se no texto.

“A petição pede algo muito simples que é, no fundo, corrigir aquilo que foi um equívoco e que pode ter sido um desleixo na transição da versão original para a portuguesa. No fundo, o que a petição pede é que a tradução seja refeita para um contexto adequado“, disse Pedro Coquenão.

O texto é assinado por sete personalidades: Ana Sofia Martins, Dino D´Santiago, Mamadou Ba, Mayra Andrade, Nástio Mosquito, Pedro Coquenão e Sara Tavares. Às 11 horas desta quarta-feira a petição contava já com cerca de 15 mil assinaturas.

  Sofia Teixeira Santos, ZAP //

4 Comments

  1. Não sabia que a raça humana estava também dividida por vozes.
    Um caucasiano fala diferente dum negro ou de um asiático?
    Para quando respeitar as vozes de dobragem de um elefante africano de um elefante indiano?
    Ou de um leopardo africano de um jaguar ameríndio?
    oi…?

  2. Há mesmo palermas para tudo… estupidez e tempo livre a mais!…
    Quando não há problemas, há gentinha que faz tudo para os arranjar…

  3. Há 15 mil pessoas que não sabem o que hão-de fazer com o seu tempo. Deixem-se de tretas! Olhem… Para não haver mais parvoíces como destas 15 mil pessoas, mais vale utilizar a versão original legendada (mas com pessoas das etnias corretas, ha, ha, ha!).
    Antes que venha para aqui alguém me acusar de racista afirmo, com todas as fibras do meu ser que desprezo qualquer tipo de racismo. Também desprezo esta “importância” inútil que se dá a este tema. É uma “importância” que acaba por roçar o racismo!… Será que os 15 mil peticionantes acham que fizeram de propósito não escolhar alguém com o tom de voz de um negro (porque até podia ser um branco com voz de negro e ninguém saberia!)? Tenham juízo! Não vejam/ouçam o filme, se vos incomoda!

    “Não está em causa o habitual bom trabalho em dobragens feitas em Portugal ou a qualidade dos atores da versão portuguesa, mas há aqui a expectativa de respeito pela intenção original e pelo que este representa historicamente: ser o primeiro filme de animação com um protagonista negro, interpretado por vozes negras“. Solução? VEJAM/OUÇAM O ORIGINAL!!! Assim já não há problemas de “representatividade”!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.