11% dos alunos do 7.º ano chumbaram com 6 ou mais negativas

Um estudo da Direção Geral e Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) indica que 66% dos alunos do 7.º ano do ensino básico que reprovaram no ano letivo de 2014/2015 tiveram seis ou mais negativas. A matemática é apontada como a disciplina mais problemática.

Os dados, citados esta sexta-feira no Público e disponíveis na página da DGEEC, indicam que 66% dos alunos que chumbam no 7.º ano de escolaridade têm seis ou mais negativas.

“Se somarmos a estes 66% os 19% de alunos com cinco negativas, concluímos que uma esmagadora maioria de 85% dos alunos fica retida no 7.º ano, o que mostra que existem pouquíssimas retenções ‘à tangente'”, pode ler-se no relatório.

Em 2014/2015 chumbaram 13,1% dos 300.429 alunos no 3.º ciclo em escolas públicas do continente, percentagem que sobe para 16,7% se se tiver apenas em conta o 7º ano, o primeiro dos três que compõe o 3.º ciclo.

Segundo o estudo, que analisa as notas internas que os alunos do ensino público de Portugal continental tiveram no ano letivo de 2014/2015, entre 95% e 97% dos alunos que reprovaram no 3.º ciclo tiveram negativas a Matemática.

Em relação a esta disciplina, a DGEEC assegura que apenas 32% dos alunos que ficaram retidos no 7.º ano conseguiram recuperar a negativa no ano seguinte.

Matemática ocupa assim o primeiro lugar na maior percentagem de negativas no 7.º ano, seguida de Português com 81% e da Físico-Química com 79%. Do outro lado da lista estão as disciplinas de Educação Física (14%), TIC (22%) e Educação Visual (27%).

No 8.º e 9.º anos o número de alunos que chumbaram com seis ou mais negativas descresce para 54% e 28%. Este decréscimo pode “ser explicado pelo progressivo reencaminhamento dos alunos com desempenhos mais baixos para outras modalidades de ensino, como as vocacionais”.

O relatório salienta que a forma transversal como o contexto económico influencia as classificações em todas as disciplinas é “impressionante”.

Entre os alunos sem apoio de ação social, 25% chumbaram a Matemática, ou seja, um em cada quatro. No entanto, se selecionarmos apenas os que recebem apoios de ação social escolar (ASE) do escalão mais alto, o rácio duplica: um em cada dois alunos não consegue ter aproveitamento a Matemática.

// LUSA

 

PARTILHAR

RESPONDER

Liveblog ZAP. Costa: "Seguramente não foi a minha última campanha eleitoral"

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Arqueólogos desenterram (acidentalmente) ossadas com 800 anos no Peru

Os restos mortais de oito pessoas, com aproximadamente 800 anos de idade e enterrados com alimentos e instrumentos musicais na mesma câmara funerária, foram encontrados ao sul de Lima, no Peru, durante a instalação de …

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …