Xeque-mate. Os Vikings jogavam “xadrez” (e uma das suas peças raras foi encontrada)

Uma equipa de investigadores da Universidade de Durham, no Reino Unido, e da organização de arqueologia DigVentures encontrou uma peça de um jogo de tabuleiro com 1.200 anos. A peça será o “rei” de um jogo da época dos Vikings semelhante ao que hoje conhecemos como o xadrez.

O tesouro arqueológico foi descoberto em Lindisfarne, uma pequena ilha remota de enorme significado religioso e cultural na região de Northumberland.

A peça será o “rei” do jogo de tabuleiro Viking hnefatafl (“mesa do rei”), que é semelhante ao xadrez. É feita de vidro branco e azul e tem o tamanho de um pequeno doce ou chocolate.

Parte do seu valor deve-se à sua idade. De acordo com o especialistas, a peça remonta a cerca de 1.200 anos, sendo originária do século VIII ou IX. Nessa altura, as incursões Viking na Grã-Bretanha estavam apenas a começar. Os 300 anos de revolta seguintes remodelariam o país para sempre.

Apesar disso, os investigadores não sabem se a peça tenha sido levada para lá pelos Vikings. “Muitas pessoas estarão familiarizadas com as versões Viking do jogo e muita gente perguntar-se-á se esta peça de jogo foi descartada por um Viking durante o ataque a Lindisfarne”, disse a arqueóloga Lisa Westcott Wilkins, diretora administrativa da DigVentures, em comunicado. “Acreditamos que pertencia a uma versão do jogo que era disputada pelas elites do norte da Grã-Bretanha antes dos Vikings chegarem”.

Se a peça é de uma versão local do hnefatafl, mostra a crescente influência da cultura nórdica no antigo mosteiro de Lindisfarne e no resto da região medieval da Nortúmbria.

“É incrível pensar que, quando os Vikings lá chegaram, poderiam, em teoria, sentar-se com os monges de Lindisfarne a jogar um jogo que seria familiar para ambas as culturas, embora quase certamente discutissem sobre as regras”, disse Westcott Wilkins.

“A grande qualidade desta peça sugere que este não é um jogo antigo”, disse David Petts, arqueólogo da Universidade de Durham, em declarações ao jornal britânico The Guardian. “Alguém na ilha está a viver um estilo de vida de elite”.

Este é apenas o segundo pedaço de vidro a ser descoberto nas Ilhas Britânicas. O xadrez chegou à Europa mais tarde durante os séculos XI e XII. De acordo com os especialistas, a descoberta da peça ajuda a mostrar como Lindisfarne era um lugar movimentado e vibrante – longe da imagem de austeridade e simplicidade associada ao cristianismo medieval.

O objeto ajuda a pintar uma imagem mais detalhada da vida em Lindisfarne na época. Anéis de cobre, um alfinete de cobre e uma pequena fivela de bronze também foram encontrados durante a última temporada de escavação.

A forma como a peça foi encontrada também é peculiar. A DigVentures é uma empresa de financiamento coletivo (crowdfunding) que depende de doações e apoio do público para financiar escavações. O trabalho em Lindisfarne está em andamento há quatro temporadas. Esta peça foi encontrada pela mãe de um dos arqueólogos, que visitava as escavações, o que mostra que os voluntários se podem envolver nos mais valiosos achados arqueológicos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix passa a mostrar "top 10" diário de séries e filmes

A Netflix disponibiliza, desde esta segunda-feira (24), uma nova feature para os utilizadores do serviço de streaming: uma lista com os 10 filmes e as 10 séries mais vistas no país em cada dia. Esta nova …

A Realidade Virtual pode ser a próxima terapia para tratar pânico, fobias e distúrbios

A Oxford VR, empresa britânica de realidade virtual, acaba de acumular mais de 13 milhões de euros para investir na terapia com a tecnologia do futuro. A companhia surgiu a partir do departamento de psiquiatria da …

Apple não deixa que vilões de filmes usem iPhones

A Apple não deixa que os vilões dos filmes de Hollywood usem os telemóveis iPhone no grande ecrã. Esta é apenas uma das empresas que não permite este tipo de coisa. Os filmes podem ter uma …

O coronavírus pode ser a "doença X" temida pelos especialistas

O coronavírus, que já matou 2.700 pessoas e infetou mais de 80 mil desde dezembro, está a tornar-se "rapidamente" no primeiro grande desafio pandémico do mundo, enquadrando-se nos moldes da "doença X" temida por especialistas. O …

Media Capital passou de lucros a prejuízos de 54,7 milhões

A Media Capital registou prejuízos de 54,7 milhões de euros no ano passado, contra lucros de 21,6 milhões de euros um ano antes, anunciou hoje a dona da TVI, que está em processo de compra …

Camas na classe económica dos aviões podem vir a tornar-se uma realidade

A companhia aérea neozelandesa Air New Zealand está a pensar incluir camas na classe económica de alguns dos seus voos mais longos. A ideia deverá avançar dentro de um ano. A companhia aérea neozelandesa Air New …

Temperatura do planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões de anos

A temperatura no planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões a cinco milhões de anos, caso a humanidade consiga estancar as emissões de gases com efeito de estufa até 2030, diz a especialista …

Operação Lex. Juiz Vaz das Neves arguido por corrupção e abuso de poder

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa Vaz das Neves é arguido na Operação Lex por suspeitas de corrupção e abuso de poder relacionadas com a distribuição eletrónica de processos, disse à Lusa fonte …

Governo quer licenças de trabalho parcial pagas para pais no primeiro ano dos filhos

O Governo quer implementar licenças de trabalho parcial remuneradas para pais e mães de crianças no seu primeiro ano de vida, no âmbito do programa para a conciliação entre vida profissional e vida familiar e …

Covid-19. Portugal "tem de preparar-se para o pior" e ter plano de contingência

Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, defende que Portugal tem de se preparar para o pior e, por esta altura, já devia ser conhecido o plano de contingência em ação. "Convém …