Washington dá o pontapé de saída e inicia guerra comercial com a China

booknews / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

As novas taxas alfandegárias sobre produtos chineses entram hoje em vigor. Donald Trump está preparado para uma guerra comercial com Pequim.

Esta sexta-feira, entraram em vigor as taxas alfandegárias adicionais de 25% sobre importações chinesas, num valor de cerca de 34 mil milhões de dólares, cerca de 29 mil milhões de euros.

A China prometeu punir os Estados Unidos no mesmo valor, mas prometeu também “não fazer o primeiro disparo”. “Mas para defender os interesses fundamentais do país e da sua população, é forçada a contra-atacar“, diz, em comunicado, o Ministério do Comércio chinês, que promete defender o livre comércio e o sistema multilateral.

Os EUA “deram início à maior guerra comercial da história económica”, refere o Governo chinês, citado pelo Público. A resposta que se espera da China adivinha-se igualmente tremenda.

Caso a China não ceda às exigências de Donald Trump e decida retaliar, o Presidente dos Estados Unidos prometeu punir ainda mais os produtos chineses, até um total de 550 mil milhões de dólares, um valor superior ao valor total das exportações chinesas para o país em 2017, adianta o Diário de Notícias.

É verdade que Trump iniciou conflitos comerciais com vários países, mas nunca escondeu a sua vontade de travar uma batalha comercial com o país asiático.

O líder norte-americano aponta o dedo aos chineses devido às práticas comerciais injustas que praticam, de aplicarem (igualmente) taxas sobre os produtos norte-americanos e fala também no desrespeito total de Pequim em relação à propriedade intelectual das empresas norte-americanas.

De acordo com o jornal Público, Trump diz que a China está a aproveitar-se da tecnologia norte-americana para vender mais facilmente os seus produtos nos Estados Unidos e, assim, desequilibrar a balança comercial.

A China está a desenvolver um plano – “Made in China 2025” – para se transformar numa potência tecnológica, com capacidades nos setores de energia renovável, inteligência artificial, robótica e carros elétricos. Algo que Donald Trump teme.

Mas, além das taxas desta sexta-feira, Trump garantiu que serão aplicadas mais taxas adicionais nas próximas duas semanas, sobre mais 16 mil milhões de dólares (13,7 milhões de euros) de exportações chinesas. Além disso, espera-se ainda a entrada em vigor de restrições ao investimento e à emissão de vistos para cidadãos chineses.

Pequim deverá retaliar, pelo que os próximos meses se avizinham difíceis em termos comerciais para as empresas e consumidores das duas maiores economias do mundo.

Pequim retalia imediatamente

Pequim anunciou, esta sexta-feira, que adotou “imediatamente” medidas de retaliação contra importações oriundas dos Estados Unidos, após a entrada em vigor das taxas alfandegárias sobre um total de 34.000 milhões de dólares de bens importados da China.

O porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Lu Kang anunciou a imposição de medidas numa conferência de imprensa, em Pequim, mas sem detalhar quais serão os produtos ou valores envolvidos.

Em abril, Pequim anunciou que retaliaria as medidas de Washington ao punir as exportações dos EUA no mesmo valor, suscitando receios de uma guerra comercial.

As medidas chinesas devem atingir sobretudo produtos agrícolas, nomeadamente a soja, que compõe 10% do conjunto das exportações norte-americanas para o país asiático e é um setor vital para a América rural, onde estão concentrados muitos dos eleitores de Donald Trump.

O país asiático deve importar 97 milhões de toneladas de soja este ano, segundo previsões do setor, mas cancelou já contratos de encomenda de centenas de milhares de toneladas de soja norte-americana, face às disputas comerciais com Washington.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Trump apontou a arma aos seus pés… esqueceu-se que a China é o maior mercado mundial, e nem para a UE vai ter sorte.

  2. Trump fez muito bem, pena é ir já tarde. Os EUA e os seus aliados andaram a alimentar o monstro, agora têm um problema pela frente!

    • Todos estes anos com os EUAm e a Europa a reboquem a exigir aos países em desenvolvimento o fim do proteccionismo dos seus mercados porque era desleal e assado e cozido… Quando os outros nos começam a enfrentar vai de erguer taxas alfandegárias e evocar o proteccionismo em causa própria.
      A livre competição é muito bonita, mas parece ser só quando nos interessa!!!

RESPONDER

Há uma forma de reduzir erros na computação quântica (e já sabemos qual é)

Na computação quântica, assim como no trabalho em equipa, um pouco de diversidade pode ajudar a melhorar o resultado. Esta pode mesmo ser a chave para pôr fim aos erros na computação quântica. Ao contrário dos …

Coimbrões 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto venceu hoje o Coimbrões, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal que os «dragões» resolveram com três golos nos 12 minutos iniciais. Aproveitando a inexperiência e nervosismo da formação …

Produção de filmes em Hollywood é um inimigo silencioso do ambiente

Hollywood é casa para a maioria dos grandes filmes produzidos que estreiam nas salas de cinema espalhadas por todo o mundo. Contudo, consegue ser bastante prejudicial para o meio ambiente e, mais do que nunca, …

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …