Vítimas de violação no Reino Unido têm de dar acesso ao telemóvel para investigação não parar

Uma nova medida implementada em Inglaterra e no País de Gales permite que as autoridades solicitem o acesso aos telemóveis, e-mails, mensagens e fotografias às vítimas de variados crimes. Caso não os facultem, a investigação ou o processo podem não ter seguimento.

Segundo avançou o Expresso, na segunda-feira, a medida faz parte das orientações de atuação levadas a cabo pelas autoridades e abrange as vítimas dos mais variados crimes, incluindo violação.

Como explicou a BBC, o pedido de consentimento às vítimas para aceder às informações digitais pode ser um recurso de qualquer investigação, embora o mais provável é que seja usado em casos de violação e de agressão sexual, sobretudo quando estas conhecem o suspeito, situação em que qualquer comunicação entre ambos pode esconder uma prova.

Caso a vítima não dê o seu consentimento, terá a possibilidade de explicar porque não o fez. No entanto, “é possível que a investigação ou o processo não prossigam”.

As medidas não são do agrado das associações de apoio à vítima. As mesmas alegaram que podem tornar-se um entrave para as vítimas, que deixam de denunciar as agressões. Além disso, os mais críticos alertaram para a dificuldade em equilibrar o direito à privacidade e a necessidade de recolha de provas.

O pedido de consentimento é uma medida que surgiu após vários casos terem sido desconstruídos já na reta final – o que tem abalado também a confiança no sistema judicial. Exemplo disso foi o caso de Liam Allan, 22 anos, acusado de violação. No final, surgiram novas provas que viriam a dá-lo como inocente. A polícia de Londres chegou mesmo pedir desculpa pela acusação, admitindo um erro na investigação.

As tais provas de última hora eram as mensagens trocadas entre Liam Allan e a alegada vítima, em que esta dizia o quanto estava apaixonada por ele e sobre fantasias de violação.

Taísa Pagno TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A acusação de violação passou a ser mais uma arma de arremesso contra os homens nesta sociedade misandrica, até pode ser sexo consentido, mas se a mulher se lembrar por algum motivo de se fazer de vítima tem todo o apoio do estado e lá vai um inocente para um calvário!.. As falsas acusações deviam ser severamente punidas, tanto nos casos de assédio, violação, e todas as artimanhas usadas para perseguir o homem! Punindo severamente as falsas acusações protegem se as verdadeiras vítimas, pois não haveriam tantos casos e dar se ia muito mais valor ao depoimento das vítimas de verdade e não se pensaria mais uma mentirosa! Dizem que 90% das acusações de violência doméstica são falsas! Com um número destes como se pode defender e saber quem é realmente vítima? Tem de se arranjar um equilíbrio e proteger as vítimas e os inocentes e o único caminho é punir quem anda a usar a justiça para outros meios que normalmente são de aproveitamento ou de vingança!

RESPONDER

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …

Sindicato dos chefes da PSP interpôs ação judicial por causa da pré-aposentação

O Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP indicou este domingo que interpôs uma ação judicial para impugnar um despacho da direção nacional da Polícia Segurança Pública sobre a lista de pedidos da passagem …

"A agricultura em Montalegre vai acabar". Praga de javalis destrói culturas

Os agricultores do concelho de Montalegre andam desesperados com o facto dos javalis andarem a destruir as culturas. A população destes animais tem aumentado muito nos últimos anos e as medidas de controlo têm sido …

50 mil euros. Governo cria prémio nacional para proteger florestas

No próximo Conselho de Ministros, na quinta-feira, o Governo vai discutir um prémio bianual para projetos que ajudem a melhorar a floresta, do ponto de vista técnico, científico ou da comunicação. A notícia é avançada esta …

Polícia Judiciária ajudou a evitar dois ataques em França

As informações partilhadas pela Polícia Judiciária (PJ) com a Europol foram cruciais para alcançar a detenção do jihadista marroquino que viveu em Portugal. Hicham El-Hanafi foi condenado a 30 anos de prisão em França, na semana …

Duque de Edimburgo foi transferido para outro hospital

O Palácio de Buckingham anunciou esta segunda-feira que o príncipe Filipe, marido da rainha do Reino Unido, Isabel II, foi transferido para outro hospital de Londres para continuar o tratamento de uma infeção. O Palácio disse …

Presidência da UE. Governo trabalha para encontro com Biden durante "semestre português"

A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia quer um encontro com o Presidente Joe Biden ainda durante o primeiro semestre. A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE) está a trabalhar na realização de …

Vacina da Pfizer. Intervalo entre doses aumenta para 28 dias (e lista de prioritários vai incluir pessoas com trissomia-21)

O intervalo entre a toma das duas doses da vacina da Pfizer/BioNtech contra a covid-19 foi alargado de 21 para 28 dias, anunciou esta segunda-feira o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda …

Caso do avião com cocaína. PJ vai vigiar Aérodromo de Tires 24 horas por dia

A Polícia Judiciária (PJ) vai vigiar as movimentações de aeronaves e passageiros que chegam e saem do Aeródromo de Tires 24 horas por dia. A informação foi adiantada pelo Correio da Manhã, que falou com …

Facebook paga 650 milhões para encerrar litígio sobre vida privada nos EUA

O juiz federal norte-americano James Donato aprovou a indemnização de 650 milhões de dólares (540 milhões de euros) a 1,6 milhões de utilizadores do estado norte-americano do Illinois por parte do Facebook. Este acordo, assinado na …