Vírus que mata bebés ajuda a criar novos tratamentos contra o cancro

O Citomegalovírus (CMV) é um dos vírus mais frequentes na espécie humana e, apesar de pode causar vários tipos de problemas de saúde, a investigação sobre o vírus está a ajudar-nos a aproveitar o poder do nosso sistema imunitário para tratar certos tipos de cancro.

O CMV é transmitido através de fluidos corporais como urina, sangue, saliva e leite materno. Estima-se também que a cada ano um ou dois bebés em cada 200 nasçam com CMV. Até 20% dos bebés que estão infetados no útero morrem, e estima-se que cause até 12% de todas as perdas auditivas neurossensoriais e 10% dos casos de paralisia cerebral em recém-nascidos.

Se uma mãe é infetada pela primeira vez enquanto está grávida, o risco de aborto, morte fetal e hidrópsia fetal — uma condição séria que resulta no acumulo anormal de líquido no feto — também aumentam.

A infeção representa um grande risco para crianças e adultos. É uma causa comum de morte e doença em pessoas que sofrem de SIDA, para pessoas que fizeram um transplante de órgãos e medula óssea e também para aqueles que estão a ser tratados com quimioterapia para o cancro.

Controlo imunológico e cancro

Se pode causar problemas tão sérios, porquê que muitas pessoas não ouviram falar do CMV? Para a maioria de nós não representa um problema. Se o sistema imunológico estiver totalmente desenvolvido e funcionar bem, o corpo pode manter o vírus sob controlo. Isto explica por que razão o CMV pode causar defeitos congénitos, uma vez que fetos e recém-nascidos não têm um sistema imunológico totalmente funcional.

Em pessoas que têm sistemas imunológicos totalmente funcionais, a replicação viral do CMV é controlada. No entanto, o vírus infeta seres humanos há 180 milhões de anos e, durante esse tempo, desenvolveu muitos mecanismos que permitem escapar ou, mais propriamente, “modular” o sistema imunológico.

Isto significa que o corpo não é capaz de erradicar completamente a infeção do CMV. Na maioria dos casos, o Citomegalovírus só provoca doenças em indivíduos infetados se o sistema imunológico estiver comprometido.

Desde 1954, quando o CMV foi pela primeira vez isolado, investigadores têm estudado o vírus e como o sistema imunitário responde. Chegaram à conclusão que um tipo de célula imunológica é importante para o controlo da infeção: as células exterminadoras naturais. Estudos passados mostram que pessoas com falta destas células frequentemente contraem doenças derivadas do CMV.

Atualmente, os cientistas conhecem 16 genes do CMV que modulam as células exterminadoras naturais e esse conhecimento está a ajudar os cientistas a entender como é que as células sanguíneas funcionam. A investigação foi publicada no ano passado na revista Frontiers in Immunology.

A capacidade destas células de erradicar as células tumorais levou os cientistas a investigar a sua eficácia clínica para imunoterapia. Agora, novos tratamentos estão a ser desenvolvidos, que esperam usar as habilidades anti-tumorais das células exterminadoras naturais para tratar cancros, como a Leucemia Mielóide Aguda (LMA).

Enquanto atualmente não há cura ou vacina para o CMV, não pode ser negado que ajudou investigadores a desenvolverem novas abordagens para tratamentos imunológicos. Este vírus pode ser a chave para desbloquear o poder do sistema imunitário e tratar vários tipos de doenças.

PARTILHAR

RESPONDER

"Parasitas" vai ter uma série na HBO. E já são conhecidos dois nomes do elenco

A produção sul-coreana de Bong Joon Ho, especialmente condecorada pela Academia, merece agora uma adaptação para a televisão pelas mãos da HBO. A série televisiva de "Parasitas" foi anunciada em janeiro e a produção está encarregue …

O carregador do seu smartphone é mais potente do que o computador da Apollo 11

Não restam dúvidas de que a informática deu um passo gigante em termos de evolução nos últimos 50 anos. Agora, um engenheiro de software descobriu que até mesmo o carregador do seu smartphone é mais …

Tribunal suspende construção da Gigafactory na Alemanha

Um tribunal alemão ordenou à Tesla, este domingo, a suspensão das obras da sua fábrica "Gigafactory" por questões ambientais. Em novembro do ano passado, Elon Musk, presidente executivo da Tesla, anunciou que a Alemanha tinha sido …

Novos semáforos da Índia ficam vermelhos quando os condutores buzinam

A Polícia de Mumbai, na Índia, instalou detetores de ruído em vários semáforos de cruzamentos importantes da cidade, visando reduzir a poluição sonora. Agora, quanto mais os condutores buzinam, mais tempo a luz se mantém …

Polícia de Hong Kong procura autores de roubo de papel higiénico

Um camião que transportava papel higiénico foi, esta segunda-feira, alvo de um assalto à mão armada em Hong Kong, onde a escassez do produto motivou uma corrida ao comércio local. As autoridades informaram que um motorista …

Centeno considera gravações de Varoufakis "politicamente lamentáveis"

O presidente do Eurogrupo considerou, esta segunda-feira, a atitude do antigo ministro das Finanças grego, que gravou reuniões do fórum de ministros das Finanças da zona euro, "politicamente lamentável". "Honestamente, não tenho comentários a fazer sobre …

Elton John obrigado a interromper concerto devido a crise de pneumonia

O cantor britânico foi obrigado a interromper um concerto, na Nova Zelândia, devido a um diagnóstico de pneumonia atípica. No último domingo, o cantor britânico Elton John interrompeu um concerto no Auckland’s Mount Stadium, na Nova …

Tancos. Coronel da GNR nega pacto de silêncio

O ex-diretor de investigação criminal da GNR disse, esta segunda-feira, desconhecer qualquer pacto de silêncio com a Polícia Judiciária Militar que envolvesse a colaboração na investigação do furto das armas de Tancos. Na sessão desta segunda-feira …

Anel de curso perdido nos EUA encontrado 47 anos depois na Finlândia

Um anel de curso de um liceu nos Estados Unidos, perdido em 1973, foi agora descoberto numa floresta da Finlândia. De acordo com o The Guardian, Debra McKenna perdeu o anel de curso do marido em …

Apresentadas mais de 50 queixas contra post de André Ventura sobre Joacine Katar Moreira

A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) já recebeu mais de 50 queixas devido à publicação na qual o deputado do Chega sugeria devolver Joacine Katar Moreira ao seu país de origem. Em …