Venezuela. Oposição não reconhecerá novo mandato de Maduro

Miguel Gutierrez / EPA

Nicolás Maduro

A oposição na Venezuela anunciou na segunda-feira que não reconhecerá o futuro Governo do país, cujo Presidente, Nicolás Maduro, vai tomar posse para um novo mandato a 10 de janeiro.

A decisão foi tomada no congresso da coligação Frente Ampla Venezuela Livre (FAVL), que decorreu na Universidade Central da Venezuela, e, segundo a oposição, 10 de janeiro de 2019 marcará uma transição governamental no país e o fim do atual regime.

“Nesse dia vencerá o período presidencial em vigor e desaparecerá qualquer vestígio de legitimidade de um ditador totalitário, pelo que ocorrerá uma usurpação continuada do poder presidencial”, segundo o texto de um documento do Congresso Nacional Venezuela Livre lido durante o evento.

A coligação FAVL estipulou também aquela como data para “impulsionar o protesto nacional”. “O dia 10 de janeiro deve ser usado para pressionar mais a ditadura e apresentar uma alternativa de poder, séria, aos venezuelanos. Na Venezuela não há um novo Presidente, porque não houve eleições presidenciais“, sustenta a oposição.

No congresso participaram membros da sociedade civil, representantes de vários partidos políticos opositores, grémios de trabalhadores e sindicais. A iniciativa terminou com a divulgação das conclusões de 24 congressos regionais, realizados pelo FAVL nos 24 Estados do país, e a apresentação de uma “rota” para a transição política na Venezuela.

O padre Luís Ugalde, que esteve presente no congresso, precisou que “90% dos venezuelanos pensam que hoje a Venezuela não é livre e isso tem semeado uma sensação de impotência e a resignação de que o Governo se perpetuará”. O sacerdote insistiu na necessidade de uma “união superior, com esperança de mudança, inclusiva, que reúna opositores e a dissidência chavista”.

No passado dia 20 de maio foram realizadas eleições presidenciais antecipadas, na Venezuela, nas quais o Presidente, Nicolás Maduro, foi reeleito com 67,84% dos votos, segundo o Conselho Nacional Eleitoral (CNE). As eleições foram amplamente questionadas pela aliança opositora venezuelana, Mesa de Unidade Democrática, que denunciou falta de garantias eleitorais e não apresentou candidatos.

No dia 22 de maio, o CNE proclamou oficialmente Nicolás Maduro como Presidente da Venezuela para o período 2019-2025. A oposição exige a realização de novas eleições presidenciais na Venezuela.

PARTILHAR

RESPONDER

"Sem dúvida". Montenegro diz que era capaz de derrotar Costa

O antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro, que é agora candidato à liderança do partido, afirmou, em entrevista ao jornal Público e à Rádio Renascença, que era capaz de derrotar António Costa.  "Acho que era …

Rússia quer legalizar comércio de 'diamantes de sangue' africanos

Os diamantes exportados da República Centro-Africana estão associados à corrupção, à violência, à guerra civil, a violações e assassinatos. Agora, Moscovo anunciou que quer o fim do embargo internacional, buscando legalizar na totalidade a sua …

Economia abrandou, mas ainda é possível cumprir meta de crescimento

O Produto Interno Bruto cresceu 0,3% no terceiro trimestre, face aos três meses anteriores, metade do registado no segundo trimestre, mantendo o ritmo de crescimento, de 1,9%, na comparação com o mesmo período de 2018. Segundo …

Sporting vai avançar com ação de despejo das claques

A SAD leonina vai avançar com uma ação de despejo para que as claques Juventude Leonina e Directivo Ultras XXI deixem os espaços que ocupam no Estádio José Alvalade, avança A Bola esta quarta-feira. De …

"Ninguém quer trabalhar" na Casa Pia. Pais em protesto devido à falta de pessoal

Os pais e encarregados de educação do Centro Educativo e Desenvolvimento D. Maria Pia, em Lisboa, vão entregar na segunda-feira um abaixo-assinado à tutela para pedir a abertura de concursos externos para reforço de pessoal …

Trump elogiou Erdogan, depois de uma reunião que descreveu como "maravilhosa e produtiva"

O Presidente norte-americano, Donald Trump, elogiou na quarta-feira o seu relacionamento com o homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan. Os dois líderes encontraram-se para tentar superar várias diferenças, incluindo a situação na Síria e a compra …

MH17. Novas provas revelam contactos frequentes entre a Rússia e separatistas ucranianos

A equipa internacional que conduziu a investigação sobre a queda do voo MH17 em 2014 no leste da Ucrânia divulgou novas provas que apontam para contactos muito frequentes entre a Rússia e os rebeldes separatistas …

Imunidade diplomática deixa em liberdade suspeito de tentar matar com ácido sulfúrico

O suspeito de homicídio, na forma tentada, ficou em liberdade depois de ter apresentado o passaporte diplomático às autoridades, que impede que seja detido ou constituído arguido. De acordo com a TVI24, um alto responsável da …

Zivkovic quer rescindir contrato com o Benfica

O extremo sérvio quer chegar a acordo com o Benfica para ficar livre a ano e meio do final do seu contrato mas, pelos vistos, a SAD encarnada nem quer ouvir falar dessa hipótese. De acordo …

Cigarros eletrónicos. Primeiro duplo transplante de pulmões feito em jovem de 17 anos em situação de "morte iminente"

Em risco de "morte iminente" por lesões causadas pelo uso de cigarros eletrónicos, um jovem de 17 anos foi submetido a um duplo transplante de pulmões, no estado norte-americano do Michigan. Este caso é considerado …