/

Vacinar as crianças pode ser a chave para controlar a covid-19, dizem especialistas

7

A vacinação de crianças e adolescentes pode ser a chave para controlar a pandemia, apontaram especialistas, à medida que os ensaios clínicos permitem estudar os efeitos das vacinas contra a covid-19 nestas faixas etárias.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Embora a covid-19 tenha uma incidência menor na mortalidade de jovens e as evidências indiquem que as crianças têm menos probabilidade de contrair a infeção, o papel que estas desempenham na transmissão do vírus não é claro, de acordo com o Royal College of Paediatrics and Child Health, citado esta segunda-feira pelo The Guardian.

O vírus pode causar infeções assintomáticas em todas as faixas etárias. Nessa lógica, a imunização das crianças permite proteger os idosos, indicou Stanley Plotkin, que participou na criação das vacinas contra a rubéola e o rotavírus e ajudou a desenvolver outras, incluindo para a poliomielite e para a raiva.

“Não consigo imaginar como podemos ter esperança de erradicar o vírus, a menos que estejamos dispostos a imunizar a maioria da população”, afirmou.

Os pesquisadores da Oxford/AstraZeneca lançaram um estudo para testar a sua vacina contra a covid-19 em crianças e jovens, entre os seis e os 17 anos. Outros fabricantes seguem o mesmo caminho. A Pfizer/BioNTech espera partilhar os dados do seu estudo com jovens entre os 12 e os 15 anos nos próximos meses e iniciar outro com crianças entre os cinco a 11 anos.

Os dados sobre a segurança e eficácia das diferentes vacinas nos mais jovens devem começar a chegar no verão. Para já há indícios de que algumas vacinas estão a reduzir a propagação do vírus, mas os dados ainda não são conclusivos, alertaram os cientistas.

Se for comprovado que estas têm um efeito significativo na transmissão, com todos os adultos imunizados ao longo deste ano, os grupos etários que impulsionarão a disseminação da doença serão os jovens, destacou Rinn Song, pediatra e clínico-cientista do Oxford Vaccine Group.

Paul Heath, professor de doenças infeciosas pediátricas da Universidade de Londres, e principal investigador do braço britânico dos testes da vacina Novavax Covid-19, indicou que a infeção contínua em crianças poderia servir como um reservatório de infeção para adultos e idosos não vacinados.

“Ainda pode ser uma estratégia razoável, portanto, vacinar as crianças para que não transmitam [a doença] a esses adultos suscetíveis”, referiu.

Outra razão para vacinar crianças é a segurança dos estabelecimentos de ensino, apontou Adam Finn, professor de pediatria no Bristol Children’s Vaccine Center. No entanto, advertiu, quando se trata de doenças infeciosas, geralmente é possível controlar os surtos sem imunizar toda a população.

PUBLICIDADE

Finn afirmou, contudo, que ainda não se sabe até que ponto o programa de vacinação deve ir para haver controlo da doença. “É provável que até o final deste ano estejamos” a vacinar “menores de 18 anos. Não é uma certeza, é uma probabilidade”, frisou, acrescentando que a decisão de imunizar crianças deve ser baseada na necessidade.

  Taísa Pagno //

7 Comments

  1. Mas … então não vamos começar o desconfinamento pelas escolas ? Será que terão estes, e outros, factos emergentes em consideração e irão reavaliar esta medida?

  2. Este pessoal é confuso! Os mesmos erros uma e outra vez!
    Então e não iam desconfinar as escolas? Desde o início que existem provas científicas que as crianças além de portadoras sofrem com o virus… que se faz? Manda-se tudo para a escola para ficarem TODOS infectados!
    Este mundo está perdido… ouvem políticos em vez de médicos, cientistas…

  3. Na minha humilde opinião, deviam de ser os piolhos e as pulgas os primeiros a serem vacinados.
    É claro e provado (pelo resultado deste confinamento desde 15/1) que crianças não adoecem tanto, mas transmitem de que maneira.

  4. Condenar uma geraçao inteira uma vacina experimental é de uma burrice atroz!!

    Nao se sabe ainda o impacto das vacinas! Nao consigo percber esta ciencia… As vacinas tambem tem estudos, apos as tomas, para quem nao sabia.

    Qual é o risco de estas vacinas criarem problemas serios nas crianças? Andamos a brincar aos cientistas com as pessoas. Experimentalismo farmaceutico!
    Ainda por cima uma doença que so é realmente perigosa para quem ja tem problemas de saude.

    Ao que chega uma sociedade quando para tentar sobreviver a uma doença com 2% de mortalidade a nivel mundial, quer vacinar tudo e todos, novos velhos saudaveis e moribundos. Sem criterio nem cuidado!

    Onde e que esta a analise de risco???

  5. Faz imenso sentido! Vamos hipotecar o futuro das crianças com um tratamento experimental que so termina os estudos em 2022 e 2023 e com uma data de incognitas nao estudadas para proteger os idosos que ja estao em fim de vida.

  6. Eu começava já a vacinar os pandas e os gatos. Não apresentam sintomas mas são portadores e estão a propagar a pande mia 🙂

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.