Uma vacina contra a gripe (mas sem agulha)

PAHO / WHO

Os cientistas têm estudado formas de tornar a vacinação menos dolorosa e livre de agulhas. Uma nova tecnologia alcançou eficácia suficiente para que possa agora ser utilizada em massa.

Um artigo científico, recentemente publicado no Journal of Investigative Dermatology, aborda uma invenção que, para aqueles que temem as agulhas, é uma excelente notícia: o potencial de substituir o método atual de vacinação com agulhas por adesivos, que dispensam a aplicação por um profissional da saúde.

Benjamin L. Miller, professor de dermatologia no Centro Médico da Universidade de Rochester no estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, adianta que o próximo passo é testar estes adesivos em seres humanos.

Segundo os cientistas, desenvolver uma tecnologia capaz de transportar grandes moléculas pela pele é um enorme desafio, uma vez que a derme tem como principal objetivo manter os agentes estranhos fora do corpo, impedindo a sua entrada.

A coautora do artigo, Lisa Beck, descobriu que a proteína claudin-1 induz a fortificação da barreira e, por outro lado, reduz a permeabilidade da pele.No entanto, apesar da descoberta, era também preciso criar um cenário em que a barreira fosse rompida apenas por tempo suficiente para libertar as proteínas contra a gripe.

Depois de várias experiências conduzidas em ratos de laboratório, a equipa conseguiu criar a versão ideal do adesivo, de modo a que a vacina fosse “injetada” na derme, ao mesmo tempo que a barreira continuava a fazer o seu trabalho de proteção contra agentes indesejados.

“Quando aplicamos o adesivo com o peptídeo (que inibe a claudin-1), a pele do rato tornou-se permeável por um curto período de tempo. Mas assim que o adesivo foi removido, a barreira da pele começou a fechar-se. Após 24 horas, a pele voltou ao normal – o que é uma ótima notícia do ponto de vista de segurança”, explicou outro coautor do artigo, Matthew Brewer, citado pelo Science Daily.

Embora sejam eficazes, as vacinas implicam que sejam profissionais de saúde especializados a aplicá-las na nossa pele, o que causa muitas barreiras à vacinação, nomeadamente em países em vias de desenvolvimento.

Segundo Lisa Beck, estes países não têm dinheiro nem mão de obra suficiente para vacinar população inteiras. “Além disso, há uma aversão aos cuidados de saúde em muitas dessas comunidades. Uma agulha é dolorosa, é invasiva e dificulta as coisas quando lida com um viés cultural que tem resistências à medicina preventiva.”

Neste contexto, um adesivo contra a gripe seria uma excelente solução – e uma forma não invasiva – de proteger um grande número de pessoas.

Ainda assim, há muito trabalho pela frente. A equipa quer realizar mais estudos em animais, para otimizar a quantidade de tempo que o adesivo deve permanecer em contacto com a pele, de forma a aumentar adequadamente a resposta imune. Além disso, os cientistas querem realizar testes em seres humanos.

Se o adesivo for eficaz em pessoas, poderá tratar qualquer tipo de doença para a qual já existe uma vacina.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas descobrem novo exoplaneta semelhante a Neptuno

Uma equipa internacional de colaboradores, incluindo cientistas do JPL da NASA e da Universidade do Novo México, descobriram um novo exoplaneta temperado, do tamanho de Neptuno, com um período orbital de 24 dias orbitando uma …

Feira do Livro do Porto partilha recandidatura de Moreira. "Foi erro de funcionária"

A câmara do Porto explicou que a partilha do ‘post’ sobre a recandidatura de Rui Moreira feita este domingo na página de Facebook da “Feira do Livro do Porto” se deveu a “erro de uma …

Emma, uma pequena rinoceronte, viajou para o Japão para encontrar o amor

Uma pequena rinoceronte branca de cinco anos viajou de Taiwan para o Japão. Tudo para encontrar o amor. Tal como muitos humanos, os planos de viagem de Emma acabaram por ter de ser adiados devido ao …

Países Baixos 3-2 Ucrânia | Futebol espectáculo em Amesterdão

Os Países Baixos, campeões em 1988, derrotaram hoje a Ucrânia, por 3-2, em jogo da primeira jornada do Grupo C do Euro2020 de futebol, disputado em Amesterdão. Os Países Baixos estiveram a ganhar por 2-0, com …

Esta pequena ilha nas Caraíbas já não tem restrições (e está a oferecer noites em hotéis)

A ilha de Curaçao está a suspender todas as restrições que foram implementadas no âmbito da pandemia de covid-19 e para comemorar está a oferecer estadias em hotéis para os turistas. Curaçao, um território holandês que …

10 estrangeiros do Benfica já jogaram em Europeus (duas estreias na mesma tarde)

Num espaço de seis horas, Seferović e Vertonghen juntaram-se à lista restrita. É um pouco extensa a lista de futebolistas portugueses que jogaram a fase final de um Europeu enquanto tinham contrato com o Benfica. Portugal participou …

"Clara desconexão". Empresas ganham milhões com o consumo de álcool por menores

Os jovens menores de idade consumiram 8,6% das bebidas alcoólicas vendidas em 2016, o que representa lucros de cerca de 17,5 mil milhões de dólares para as empresas. Os produtos das empresas AB Inbev, MillerCoors e …

Após 12 anos de Netanyahu no poder, Israel tem um novo primeiro-ministro

O Parlamento de Israel aprovou, este domingo, o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett, que sucede a Benjamin Netanyahu, que esteve no poder cerca de 12 anos. Dos 119 deputados presentes, de um Parlamento …

Áustria 3-1 Macedónia do Norte | Banco austríaco vale triunfo inédito

A Áustria estreou-se, este domingo, com um triunfo sobre a Macedónia do Norte, por 3-1, no Euro2020, no primeiro jogo do Grupo C da competição, disputado em Bucareste. Stefan Lainer (18 minutos), Michael Gregoritsch (78) e …

Facebook restringe conta de André Ventura

A rede social decidiu restringir, durante 24 horas, a conta do presidente e deputado único do Chega, após terem sido denunciadas duas publicações. De acordo com o Correio da Manhã, denúncias em duas publicações feitas por …