UNICEF faz o maior apelo de sempre

Marcello Casal Jr. / Flickr

-

A UNICEF lançou hoje um apelo de emergência de 2,2 mil milhões de dólares, o maior de sempre, para ajudar 85 milhões de pessoas, entre as quais 59 milhões de crianças, em 50 países.

O montante inédito – que ronda 1,6 mil milhões de euros – previsto no Apelo Humanitário para as Crianças em 2014 deve-se “ao número de situações de emergência em larga escala e de grande complexidade que continuam a causar deslocações massivas de populações e a pôr em risco a vida e o bem-estar de milhões de crianças”, escreve a UNICEF num comunicado enviado hoje à imprensa.

A maior percentagem deste montante (28%) destina-se a fornecer água, higiene e saneamento a 23 milhões de crianças e outros 20% a alimentar 2,7 milhões de crianças que sofrem de malnutrição aguda severa.

Cerca de 40% do total pedido pela UNICEF, 835 milhões de dólares, são destinados à Síria e àquela sub-região, onde a UNICEF quer prestar assistência vital, nomeadamente em “imunização, água e saneamento, educação e proteção”, mas também para promover competências em matéria de coesão social e de reforço da paz.

Situações esquecidas

O diretor de Programas de Emergência do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Ted Chaiban, conta que acaba de regressar do Sudão do Sul, “onde o mais recente conflito de grandes proporções está a pôr em causa a vida de milhões de crianças inocentes”.

“Mais de 400 mil crianças e as suas famílias foram deslocadas devido ao conflito e mais de 3,2 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária”, exemplifica Ted Chaiban, sublinhando que as crianças do Sudão do Sul se juntam a “milhões de outras crianças afetadas pelos conflitos na República Centro-Africana e na Síria”.

Apesar de estes serem os casos que atualmente centram mais atenções mediáticas, “há muitas outras situações críticas para as quais também é necessário financiamento imediato e ajuda humanitária urgente”, acrescenta o mesmo responsável, citando os casos do Afeganistão, da Colômbia, da República Democrática do Congo, da Birmânia, da Somália ou do Iémen.

Seis milhões para Angola

Entre os 50 países para os quais a UNICEF pede um montante específico está Angola, para o qual são pedidos seis milhões de dólares, metade dos quais se destinam ao setor da água, higiene e saneamento, “devido à crítica falta de água”.

Este apelo para Angola visa alcançar 517.800 pessoas, entre as quais 421 mil crianças, em 2014.

“As crianças são sempre o grupo mais vulnerável em emergências, correndo riscos elevados de violência, exploração, doença e negligência,” afirmou Ted Chaiban.

No relatório que acompanha o apelo humanitário deste ano, a UNICEF faz o balanço do trabalho realizado em 2013, referindo que, nesse ano, 24,5 milhões de crianças foram vacinadas contra o sarampo, perto de 20 milhões de pessoas passaram a ter acesso a água potável, 2,7 milhões de crianças obtiveram acesso a uma educação de melhor qualidade, 1,9 milhões de crianças receberam tratamento para a malnutrição aguda severa e 935 mil beneficiaram de apoio psicológico.

No entanto, sublinha a organização, devido ao défice de financiamento em países como a Eritreia, o Lesoto ou Madagáscar, bem como às restrições ao acesso humanitário, à insegurança e a um ambiente em que as intervenções são difíceis, muitas das necessidades ficaram por satisfazer.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bolsonaro mais moderado. "A minha preocupação sempre foi salvar vidas”

O Presidente brasileiro adotou um tom mais moderado naquele que foi o seu quarto discurso ao país sobre o novo coronavírus, mas voltou a insistir na importância de a população manter os empregos durante a …

Diabéticos representam 9% das mortes por covid-19

Os doentes da diabetes são um grupo de risco, representando “mais de 9% das pessoas falecidas com covid-19”, mas não têm mais probabilidades de ser infetados pelo novo coronavírus. A informação foi avançada esta quarta.feira pelo …

Covid-19: Infarmed diz que nenhum medicamento provou eficácia no tratamento

O Infarmed assegurou, na terça-feira, estar a acompanhar todos os esforços nacionais e internacionais para o desenvolvimento de potenciais tratamentos e vacinas para a covid-19, mas insistiu que nenhum fármaco provou ainda a sua eficácia …

Adolescente de 13 anos morre no Reino Unido devido a Covid-19

Um adolescente britânico de 13 anos morreu na segunda-feira depois de testar positivo para o novo coronavírus, informou na terça-feira o hospital. Segundo a família, o jovem não sofria de nenhuma outra doença. Segundo noticiou a …

"Por favor, não venham". Autarca de Vila Real apela a emigrantes que não regressem a Portugal

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, apela aos emigrantes para que, "por favor", não regressem agora ao país e nesta Páscoa "fiquem nas terras" que os "acolheram em segurança". "Este vírus infernal que …

84 pessoas detidas por desobediência ao estado de emergência

A PSP e a GNR detiveram, até esta terça-feira, 84 pessoas pelo crime de desobediência e encerraram 1600 estabelecimentos, no âmbito do estado de emergência. Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que, entre as …

Há creches, ATL e colégios privados a cobrar valores indevidos na quarentena

Há creches, ATL e colégios privados a cobrarem valores indevidos referentes a alimentação, transporte e atividades extracurriculares. O alerta foi dado pela Associação de Defesa do Consumidor (Deco). De acordo com a jurista da Deco, Carolina …

Pedro Proença acredita que "vai ser possível jogar na presente temporada"

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) admitiu, esta terça-feira, a possibilidade de realizar jogos à porta fechada e ainda esta temporada. Em entrevista à rádio TSF, Pedro Proença disse acreditar que ainda "vai …

Centeno deixa aviso à Zona Euro. Futuro da UE depende da resposta que der à pandemia

Mário Centeno escreveu aos ministros das Finanças da Zona Euro para os alertar que o futuro da União Europeia depende da forma como conseguir lidar com a crise económica devida à pandemia de Covid-19. Uma …

Governo quer desempregados e trabalhadores em lay-off a reforçar lares e hospitais

O Governo criou uma medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde com o objetivo de apoiar as entidades do setor social e solidário. De acordo com o ECO, o Governo …