Uns gramas de folhas em decomposição geram “quilos” de gases de efeito estufa

Michigan State University

As investigadoras Sasha Kravchenko e Jessica Fry, da Michigan State University

As investigadoras Sasha Kravchenko e Jessica Fry, da Michigan State University

Um grupo de cientistas da Universidade do Michigan descobriu que as folhas em decomposição são uma “surpreendente” fonte de gases do efeito estufa.

Segundo o estudo realizado por estes cientistas, que foi publicado na revista britânica Nature Geoscience, as folhas nesse estado produzem óxido nitroso, um tipo de gás do efeito estufa mais potente que o dióxido de carbono.

Os autores sustentam que esta nova descoberta pode ajudar a “aperfeiçoar” as previsões de emissões de óxido nitroso, N2O, bem como servir de guia para futuras práticas agrícolas e manejo do solo.

“A maior parte do N2O é produzido em volumes de terra do tamanho de uma colher e estes chamados ‘pontos quentes’ podem emitir uma grande quantidade de óxido nitroso rapidamente”, sustentou a autora principal do estudo, Sasha Kravchenko.

Mas, tal como apontou Kravchenko, a razão da aparição destes “pontos quentes” confundiu “microbiologistas do solo” desde que foram descobertos, há “várias décadas”.

A publicação atribui o atraso neste achado ao facto de, normalmente, os cientistas analisarem escalas espaciais maiores, e é “difícil” estudar e etiquetar um campo inteiro como fonte de emissões de gases de efeito estufa quando “a fonte se limita a gramas do solo que abrigam folhas em decomposição”.

O estudo assegura que “mudar a vista dos microscópios binoculares” ajudará a melhorar as previsões de emissões de N20 que, tradicionalmente, são 50% exactas.

“O potencial de aquecimento global do óxido nitroso é 300 vezes maior que o do dióxido de carbono, e as emissões são em grande medida impulsionadas pelas práticas agrícolas”, afirma Kravchenko.

Um dos coautores do estudo, John Schade, director do programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração da National Science Foundation, diz que a pesquisa “revela o que impulsiona as emissões do óxido nitroso nas terras agrícolas produtivas”.

“Precisamos de estudos como este para orientar a criação de práticas agrícolas sustentáveis necessárias para alimentar uma população humana em crescimento com um mínimo impacto ambiental”, concluiu Schade.

// EFE

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. É bom que se escreva muitas e muitas vezes artigos destes. É fundamental educar as pessoas sobre a realidade dos nossos tempos. Muito poucas pessoas têm noção que a maior fonte de gases de efeito de estufa vem na verdade da exploração agrária para a produção de carne. Não, não são os carros os maiores responsáveis pelo aquecimento global, mas sim a nossa “fome” por carne…
    Mas queria também deixar registado o meu desagrado pela forma como o titulo está escrito. Assim passa a mensagem errada a quem nada sabe sobre o assunto. É assim que se semeiam os mitos. Obviamente que alguns gramas não geram “quilos” (mesmo entre aspas) de gases de efeito estufa. Geram sim gases com equivalência em quilos de CO2 (CO2 e não qualquer outro gás de efeito estufa).

    • Caro Paulo,
      Obrigado pelo seu reparo. Efectivamente, “quilos”, mesmo entre aspas, é impreciso. Na realidade, nem a nossa fonte nem o artigo original indica com exactidão o racio de gases de estufa libertado por grama de material biológico em decomposição. As nossas alternativas eram não referir no título que “poucas gramas geram muito gás”, que nos parece um detalhe importante, ou usar a expressão “uma quantidade apreciável”, o que tornaria o título ainda mais extenso. Optámos por usar a expressão “quilos”, colocando-a entre aspas, para clarificar que não fazemos ideia de qual é de facto a quantidade – apenas que é desproporcional à das folhas que a gera.
      O seu desagrado tem toda a razão de ser, mas a nossa opção tem esta explicação.

  2. O melhor mesmo será passarmos a abater todos os animais e passarmos nós a substituí-los comendo pasto apenas mas convém nem sequer o cultivar limitando-nos a comer o que a natureza nos der.

    • Comer o que para tal a natureza nos preparou, ao longo de milhões de anos, que é comer frutas e outros tipos de vegetais leguminosos, etc.
      No plano biológico, somos frigívoro-vegetarianos, tanto em termos de anatomia como de fisiologia, e só conseguimos ser omnívoros usando o fogo, mas não sem grandes danos para a nossa saúde, hiper grandes danos para o equilíbrio ambiental (cada vez mais próximos de um descalabro), e uma total falta de ética pelo que se faz aos pobres dos animais que sem opção têm de ceder bifes a quem come carne.

RESPONDER

Risco de pobreza em Portugal é o mais baixo de sempre. Mas há 330 mil menores em risco

O ano de 2017 trouxe melhorias às condições de vida da população, com o risco da pobreza a atingir 17,3% dos residentes em Portugal. É a taxa mais baixa desde que este indicador é tratado, …

Maria Martins conquista bronze nos Europeus de ciclismo de pista

Maria Martins venceu nesta quarta-feira a medalha de bronze no “scratch” feminino dos Europeus de ciclismo de pista, que nesta quarta-feira arrancaram em Apeldoorn, na Holanda. Depois de várias medalhas em Europeus sub-23, a ciclista de …

Carlos César: Firmar um acordo com o Bloco descriminaria os restantes partidos de esquerda

O dirigente socialista Carlos César mostrou-se esta quarta-feira confiante que o novo Governo será para quatro anos, considerando ainda que firmar um acordo com o Bloco de Esquerda seria discriminar os restantes partidos de esquerda. …

Médico que deixou bebé nascer sem rosto tem quatro processos na Ordem

O obstetra que não detetou malformações graves num bebé que acabou por nascer sem rosto no início deste mês, em Setúbal, tem quatro processos em curso no conselho disciplinar da Ordem dos Médicos. A informação foi …

Tensão na Catalunha afeta realização do Barcelona-Real Madrid

A violência dos protestos na Catalunha está a fazer com que a Liga e a Federação de futebol espanholas repensem a ideia de o clássico entre Barcelona e Real Madrid se realizar em Camp Nou. O …

Assis critica novo Governo do PS. É "muito António Costa" e feito só para dois anos

O ex-eurodeputado do Partido Socialista (PS) Francisco Assis não poupou nas críticas ao novo Governo, que António Costa apresentou ao Presidente da República na terça-feira ao final do dia, considerando que este é um executivo …

PSD considera que não há novo Governo, mas "remodelação" com alargamento

O PSD defendeu na quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …

Depois do terramoto das legislativas, vem aí um Conselho Nacional difícil para o CDS

O CDS reúne esta noite o Conselho Nacional. Segundo o Público, Assunção Cristas deverá renunciar a lugar de deputada na Assembleia da República. O CDS deverá marcar esta quinta-feira o próximo congresso para janeiro de 2020. …

Rio quer abafar Montenegro ao fazer "multitasking" como líder partidário e parlamentar

Rui Rio pode acumular as funções de líder do partido e líder parlamentar. O objetivo passa por evitar divisões na bancada e esvaziar a oposição de Luís Montenegro. Rio parece já ter uma estratégia delimitada para …

Cabrita mostra desagrado pelo afastamento da mulher do Governo

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, partilhou no Facebook um texto de uma ativista ambiental algarvia crítico do afastamento da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, com quem é casado. Eduardo Cabrita, ministro da Administração …