Uma em cada quatro baixas canceladas depois de fiscalização

COD Newsroom / Flickr

-

Segurança Social fez 1.777 fiscalizações extraordinárias a baixas prolongadas e concluiu que um quarto dos convocados estavam aptos para trabalhar.

De acordo com o Jornal de Notícias, o regime de fiscalização extraordinária a baixas prolongadas e sem registo de verificação por junta médica da Segurança Social já abrangeu 1.777 pessoas e levou ao cancelamento de quase 450 dessas baixas, ou seja, um quarto dos beneficiários verificados.

Neste grupo estão pessoas que se encontram de baixa há mais de 40 dias consecutivos e que nunca chegaram a ser convocadas pelo Serviço de Verificação de Incapacidade Temporária (SVIT), ou que foram convocadas mas não compareceram na junta médica.

No início do verão, entrou em vigor o regime de fiscalização extraordinária a baixas prolongadas e sem registo de verificação por junta médica, uma medida extraordinária que integra o plano de luta contra a evasão e fraude contributivas, que foi apresentado por António Costa em maio.

Estima-se uma poupança 60 milhões de euros até ao final de 2016 com estas inspeções.

O reforço das fiscalizações é uma das prioridades do Governo para o futuro, tendo em conta que o número de baixas por doença tem vindo a aumentar nos últimos anos – e, consequentemente, os gastos do Estado em subsídios e apoios às famílias.

ZAP

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Esta noticia não preenche os requisitos do rigor jornalístico, informativo. Estas inspeções efetuam-se há já muito tempo. Há 3 anos isto já acontecia – essoas que se encontravam de baixa médica há mais de 30 dias recebiam uma notificação para estarem presentes na Junta Médica e provarem que de facto estavam doentes. Não é, portanto, uma medida deste governo mas sim do anterior.

    Já agora, convinha mencionar, qual a percentagem de pessoas que não comparece à convocatória da Junta Médica e qual a percentagem de quem comparece e lhe é cancelada a baixa. No primeiro caso, é justíssimo que lhes seja retirada a baixa, salvo indicado um motivo de força maior.

    Já vi pessoas a deslocarem-se à Junta Médica de moletas, gesso nas pernas, pessoas com graves problemas de mobilidade e a terem que fazer imensos Kms para lá poderem estar. O edifício, sito na Avenida dos E.U.A, não oferece quaisquer tipo de condições de acesso a este tipo de pessoas. Vi também algumas perderem o subsidio por serem consideradas aptas para trabalhar quanto claramente não eram. Talvez uma visitinha subtil ao edifício ajudasse a entender melhor

    Investiguem também as queixas que têm existido sobre o serviço prestado e a falta de preparação que os “avaliadores” demonstram.

    Numa pesquisa muito rápida encontrei esta queixa ( no meio de muitas ): http://portaldaqueixa.com/servicos-do-estado/seguranca-social-juntas-medicas-realizadas-em-lisboa. Como podem observar não é difícil conseguir mais informações e redigir um artigo com maior rigor e mais esclarecedor.

    Obrigada
    JM

  2. Deixem-se de politiquices e vejam quantas pessoas têm que andar a trabalhar para pagar subsídios de tanta gente que não precisa de baixa. Andar a “veranear” e a passear enquanto outros amocham, não é produtivo.
    Mas a culpa também é dos médicos, que dão baixa a quem lá vai dizer que dói a perna.
    Acho muito injusto, eu ter que andar a trabalhar, para pagar a essa gentinha.

  3. Entretanto os funcionários públicos que têm que se deslocar mensalmente às Juntas Médicas é que são os maus da fita. Afinal o privado é muito melhor.

  4. Não entendo muito bem como agora é tão simples darem baixas, pois eu enquanto docente tive baixas consecutivas por doença incapacitante e muito sofri para obter as baixas, andei cerca de quatro anos a caminhar para as juntas médicas mensalmente, cerca de 150 Km, desde o início do ano lectivo até ao final! Hoje vêm notícias que até parecem uma simples anedota!

RESPONDER

Ciclone mortal deixou uma praia da Índia coberta de ouro

Centenas de pescadores, mulheres e crianças no distrito de East Godavari, no estado de Andhra Pradesh, no sul da Índia, passaram o fim de semana a vasculhar a praia local em busca de ouro. Após o …

O Flamengo de Jorge Jesus foi "um mero acidente de percurso"

2019 foi uma exceção para a equipa brasileira que, depois de ter vencido (quase) tudo, neste ano já foi afastado da Taça do Brasil e da Libertadores: "O português foi embora e com ele toda …

Concorrência condena MEO a pagar 84 milhões por combinar preços com a NOWO

A Autoridade da Concorrência (AdC) aplicou uma coima de 84 milhões de euros à MEO por combinar preços e repartir mercados com a operadora NOWO nos serviços de comunicações móveis e fixas. “A Autoridade da Concorrência …

PEV quer reverter privatização dos CTT. PS admite todos os cenários

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) defendeu hoje, no parlamento, a “reversão da nacionalização” dos CTT, e ouviu o PS admitir “todos os cenários”. Numa declaração política no parlamento, o deputado José Luís Ferreira afirmou que, …

Voltar à normalidade "não está longe, mas não é já", avisa Pfizer

O administrador executivo da Pfizer, Albert Bourla, apelou na quarta-feira para que os governos de todo o mundo não reabram as suas economias demasiado depressa devido ao otimismo gerado pelas vacinas de covid-19. Bourla, de 59 …

Biden quer retomar acordo nuclear com o Irão, embora reconheça que será "difícil"

O vencedor das eleições presidenciais norte-americanas, Joe Biden, pretende retomar o acordo nuclear com Irão antes mesmo de novas negociações, assumiu o democrata numa entrevista ao New York Times. Joe Biden afirmou, durante a campanha eleitoral, …

Processo de reprivaticação da Efacec atrasado devido à discussão do OE2021

Apesar de as avaliações no âmbito do processo de nacionalização e futura reprivatização da Efacec já estarem concluídas, o processo esteve condicionado pela discussão do Orçamento de Estado para 2021 (OE2021). De acordo com o Jornal …

Costa sobre vacinação: “Há uma luz ao fundo do túnel, mas o túnel é muito comprido e penoso”

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu esta quinta-feira que o processo de vacinação terá imponderabilidades externas a Portugal, sendo também complexo ao nível interno, com as dificuldades a aumentarem quanto maior for o universo de cidadãos …

Alterações climáticas podem colapsar os sistemas de saúde, alertam especialistas

O quinto relatório anual da Lancet sobre saúde e clima revelou que todos os países enfrentam ameaças à saúde humana, "que se multiplicam e se intensificam" à medida que as alterações climáticas originam novas pandemias …

Obama, Bush e Clinton vão vacinar-se publicamente para encorajar os norte-americanos

Os ex-presidentes dos EUA Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton disseram que estão prontos para serem vacinados publicamente contra a covid-19, a fim de encorajar os seus concidadãos a fazer o mesmo. Obama disse …