Um século depois, matemático russo resolve dois dos enigmas de Hilbert

O matemático russo Yaroslav Serguéyev encontrou a solução de dois problemas matemáticos que permaneceram sem resolução durante mais de um século.

Yaroslav Serguéyev, professor de matemática das universidades de Nizhni Nóvgorod, na Rússia, e de Calabria, na Itália, dedica-se a investigar o campo do cálculo infinitesimal.

No seu estudo mais recente, publicado pela Sociedade Europeia de Matemática, Serguéyev mostra a solução de dois problemas matemáticos de David Hilbert.

Em 1900, Hilbert apresentou, no segundo Congresso Internacional de Matemáticos, em Paris, uma compilação de 23 problemas matemáticos, até agora sem resolução.Os problemas apresentados pelo matemático alemão tiveram uma grande influência na matemática do século XX.

Segundo a RT, uma das soluções de Serguéyev corresponde ao primeiro trabalho de Hilbert – a Hipótese do Contínuo. A sua solução nega a existência de um conjunto infinito, cujo tamanho se encontra estritamente compreendido entre os números naturais e os números reais.

O outro problema resolvido pelo matemático russo é o oitavo problema de Hilbert, em que unifica as Hipóteses de Riemann (todo o zero não trivial da função zeta tem uma parte real igual a ½) com a Conjetura de Goldbach (qualquer número par maior de 2 pode-se expressar com a soma de dois números primos).

A resposta dada pelo professor russo abrange parte das hipóteses de Riemann, incluídas na lista dos 7 Problemas do Milénio. Em 2000, o Instituto de Matemática Clay ofereceu um prémio de 7 milhões de dólares a quem conseguisse resolver cada um destes problemas matemáticos.

A dificuldade em resolver estes problemas deve-se ao “sistema tradicional utilizado para descrever o infinito, que faz com que seja impossível resolver estes problemas”, explica Yaroslav Serguéyev.

O matemático comparou a precisão da “linguagem matemática tradicional”, aplicada a estes problemas, com o sistema utilizado pelos Pirahã, um povo originário do Amazonas que conhece apenas três quantidades: um, dois e muito.

Desta forma, para o povo Pirahã as operações matemáticas 2+1 e 2+2 dariam exatamente o mesmo resultado: “muito”, constatou Serguéyev, destacando que “não se trata de uma resolução errada, mas sim imprecisa”.

O matemático traçou assim uma analogia entre as limitações do sistema dos Pirahã e o sistema dos matemáticos que estudam problemas relacionados com o infinito.

Assim, no primeiro caso, “tanto ‘muito’+1, como ‘muito’+2, equivalem a ‘muito'”, tal como as operações matemáticas contemporâneas que igualam os resultados de infinito+1 e infinito+2.

As dificuldades existentes no campo do cálculo infinitesimal “não estão condicionadas pela natureza do infinito”. São só uma sequência da “debilidade do sistema tradicional” em expressar os números.

A dificuldade principal dos matemáticos não são os números, mas sim “os defeitos dos instrumentos”. “É semelhante a um microscópio com lentes débeis: não permite que o objeto seja analisado com clareza”, conclui Serguéyev.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não encontro informação na imprensa internacional; isto é +/- a mesma coisa que um novo Einstein aparecer na terra; qual foi a fonte para esta notícia? Onde está publicado o artigo científico? Obrigado

RESPONDER

A "Chernobyl flutuante" chegou finalmente à sua base na Rússia

A central nuclear flutuante Akadémik Lomonósov, a única deste tipo em todo o mundo, chegou, no fim de semana passado, ao porto de Pevek, na região oriental de Chukotka, no extremo norte da Rússia, onde …

A Terra tem um terceiro pólo (e está a derreter)

https://vimeo.com/360314209 Situado na plataforma tibetana a 6740 metros de acima do nível do mar, os glaciares no sopé da cadeia montanhosa Meili já perderam um quarto do gelo desde 1970 - e o pior está para …

Sinéad O’Connor acusa Prince de ter “batido em várias mulheres” e de a ter tentado agredir

A cantora Sinéad O’Connor fez revelações duras sobre Prince no programa da estação televisiva britânica ITV, Good Morning Britain. Segundo a cantora e compositora irlandesa, o músico Prince, que morreu em 2016 por overdose, terá agredido …

Ex-funcionária da Google alerta para a produção de robôs assassinos que podem despoletar uma guerra

A Google pediu a Laura Nolan para reforçar os drones militares dos EUA. Recusou e demitiu-se. Agora, alerta para o perigo destas armas que podem originar uma guerra. Cerca de um ano depois de se ter …

Boris Johnson comparou o Reino Unido ao Hulk (e ele não gostou)

Há 12 anos que o ator Mark Ruffalo encarna Hulk, uma das mais célebres personagens da Marvel, no cinema. Agora, decidiu pronunciar-se sobre o Brexit, depois de Boris Johnson ter evocado Hulk. Para o primeiro-ministro, o …

Família encontrou mais de 2.200 fetos preservados em casa de médico norte-americano

Uma família encontrou mais de 2.200 fetos preservados na casa de um médico norte-americano que morreu no início deste mês. O The Guardian avançou este domingo que uma família encontrou 2.246 fetos preservados em casa de …

Mais plástico e menos peixe. Explorador britânico teme pelo mar português

Farto de ver cada vez mais plástico e menos peixe no oceano, o veterano explorador e documentarista britânico Paul Rose defende que Portugal deve criar mais áreas marinhas protegidas. Paul Rose, que mergulha desde os anos …

Há 10 anos, Banksy pintou chimpanzés no Parlamento inglês. Agora, o quadro vai a leilão

Em 2009, o artista de rua conhecido como Banksy pintou uma enorme tela a óleo do parlamento inglês, mas em vez de deputados os tribunos eram chimpanzés. Banksy pintou o quadro, com quatro metros de comprimento, …

Tempestade em Espanha derrubou palmeira que era Património da Humanidade

A queda de "La Centinela", a árvore mais alta do conjunto que a Unesco classificou como Património da Humanidade desde 2000, está entre os danos materiais causados pela passagem da "gota fria" - um fenómeno …

Dador de esperma teve 12 filhos com autismo (e foi processado)

Danielle Rizzo tem dois filhos autistas, um com seis anos e outro com sete. Ambos foram concebidos com recurso a um dador anónimo. Há três anos, Rizzo descobriu que estes fazem parte de uma "família" …