/

Um estranho zumbido viajou pelo mundo inteiro (mas ninguém o ouviu)

5

(CC0/PD) anymal2 / Pixabay

A Ilha de Mayotte pode estar na origem do bizarro fenómeno sísmico

Houve um estranho “zumbido” que correu o mundo sem que quase ninguém o que conseguisse ouvir. Instrumentos científicos detetaram ondas sísmicas que percorreram o planeta na manhã de 11 de novembro, ressoando durante mais de 20 minutos sem que ninguém as conseguisse sentir. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com a National Geographico fenómeno começou a cerca de 24 quilómetros da ilha francesa de Mayotte, localizada na costa sudeste da África, tendo depois atravessado o continente africano e os oceanos, chegando ao Chile, Nova Zelândia, Canadá e Hawai. 

Nenhum ser humano sentiu o movimento telúrico, e, apenas um entusiasta, que se revelou através do Twitter, notou um sinal estranho nos sismogramas divulgados em tempo real pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). “Este é um sinal sísmico estranho e incomum”, escreveu na rede social.

Na sua conta na rede social é possível ver os vários sismogramas que dão conta que as ondas se foram propagando um pouco por todo o mundo, indo da Zâmbia e Etiópia até à Espanha e à Nova Zelândia. Apesar de atravessar vários territórios, este “zumbido” propagou-se de forma bastante silenciosa.

Três semanas depois do fenómeno, nenhum especialista é ainda capaz de justificar o que causou estas estranhas ondas sísmicas. O sismólogo Goran Ekstrom, da Universidade da Columbia, nos Estados Unidos, disse que “não viu nada igual”.

O especialista observa, contudo, que o facto de o fenómeno ser incomum não significa que a sua “causa seja tão exótica”, sublinhando ainda as suas características pouco usuais, como a sua baixa frequência e propagação global – que pode justificar o “silêncio”.

No momento, os cientistas sugerem que as ondas podem estar relacionadas com um enxame sísmico que tem vindo a afetar Mayotte desde o passado mês de maio. No entanto, esta justificação levanta dúvidas, uma vez que a frequência do enxame diminuiu nos últimos meses e não houve nenhum terramoto “tradicional” na ilha quando começou o enigmático fenómeno de 11 de novembro.

Por seu turno, o departamento de pesquisa geológica francesa indica que a costa de Mayotte pode estar a desenvolver um novo centro de atividade vulcânica e que as ondas de 11 de novembro podem indicar um movimento de magma para o mar.

No entanto, o bizarro fenómeno sísmico está longe de estar totalmente explicado. Os cientistas continuam a analisar os dados de forma a dar resposta a este enigma geológico.

ZAP // RT / Live Science

5 Comments

  1. O resultado foi que a ilha se mexeu qualquer coisa 6.096 cm Este e 3.048 cm para o Sul com o sismo… AEIOU faça o seu trabalho e diga tudo. Deste dia 30 que partilhei no meu face esta noticia.

    • Existem formas educadas de apresentar a nossa opinião sobre terceiros, o que não foi o seu caso nesta resposta agressiva, tipo professor que repreende o aluno por ter dado uma resposta errada ou quase. Não sou advogado do ZAP (a minha área é tecnológica) mas sou um leitor diário e assíduo do ZAP e fico, por vezes, “deslumbrado” com a sapiência doutoral de certo tipo de comentários – como o seu -, que nada dizem e apenas demonstram a arrogância de quem os emite. Eu consultei os 3 links que estão na notícia e fiquei esclarecido sobre este “zumbido” – National Geographic e os dois links da mensagem -, mas isto de consultar links dá uma enorme trabalheira e é muito cansativo… V. Exa., sr. Professor, terá de começar a abrir os links das notícias se realmente está interessado no assunto.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.