Turquia acusa formalmente 20 sauditas pelo assassinato de Jamal Khashoggi

pomed / Flickr

O Jornalista saudita Jamal Khashoggi

A Turquia acusou formalmente 20 sauditas, incluindo duas pessoas próximas do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

O gabinete do procurador-geral de Istambul adiantou, em comunicado, que identificou duas pessoas próximas do príncipe Mohammed bin Salman como autores intelectuais do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi: o ex-conselheiro Saud Al Qahtani e o ex-diretor de inteligência, general Ahmed Al Assiri.

Após vários meses de investigação, a relatora da ONU sobre tortura, Agnes Callamard, concluiu que o príncipe herdeiro saudita, assim como outros altos responsáveis do regime, têm responsabilidades no assassínio.

Em dezembro, um tribunal da Arábia Saudita condenou à morte cinco pessoas pelo seu alegado envolvimento no crime e condenou outras três a penas de prisão. “Diz-se que vão ser executadas algumas pessoas sem explicar quem são e porque o fizeram, não foi um julgamento aberto, tudo decorreu à porta fechada, desta forma não aceito o resultado nem creio que ninguém o faça”, afirmou Cengiz, noiva do jornalista.

A 9 de março, a também investigadora turca, criticou a inação da ONU perante este crime, dizendo que prejudica o seu prestígio e apelando a que se adotem medidas concretas contra a monarquia saudita. “O relatório da relatora da ONU Agnes Callamard foi claro, pediu que fosse investigado o crime, mas infelizmente não foi dado qualquer passo”, disse.

Segundo as agências noticiosas, Cengiz compareceu na sede europeia da ONU para renovar perante o Conselho de Estado as suas pressões dirigidas à Arábia Saudita para que se investigue e castigue os autores do crime.

“Apesar da inação e da paralisia ainda estou otimista e acredito que este é o lugar onde algo tem de ocorrer, e por isso estou aqui, para recordar que ainda se pode fazer algo. Esta é a oportunidade da ONU para se fortalecer a si própria e surgir como a autoridade na matéria, como um corpo para impor sanções e castigar os culpados”, afirmou Cengiz.

A investigadora e ativista turca também se dirigiu aos países da União Europeia, a quem pediu um papel mais ativo que não se limite a simples declarações de condenação pelo assassínio do jornalista.

“Posso ver que muitos países estão incomodados com o odioso crime cometido, e por isso exorto-os a tomarem ações individuais. Sei que entre eles existe essa vontade”, declarou.

Jamal Khashoggi, um jornalista crítico da monarquia saudita e que trabalhava para o The Washington Post, foi assassinado e desmembrado a 2 de outubro de 2018, no consulado da Arábia Saudita em Istambul.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Dez anos depois, voltou a ser avistado um guepardo do noroeste africano

Naturalistas na Argélia filmaram um guepardo do noroeste africano, uma subespécie listada na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como estando em "perigo crítico", pela primeira vez em dez anos. De acordo …

NASA dedica novo telescópio a Nancy Grace Roman, a "mãe" do Hubble

A NASA renomeou o telescópio Wide Field Infrared Probing Telescope (WFIRST) em homenagem a Nancy Grace Roman, a mãe do Hubble. A NASA batizou o seu telescópio espacial de última geração, atualmente em desenvolvimento, - o …

Guitarrista dos Queen teve um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte

Brian May, guitarrista dos Queen, sofreu um ataque cardíaco que o deixou às portas da morte, anunciou o próprio músico, de 72 anos. May partilhou um vídeo no Instagram no qual conta todo o episódio. Tudo …

"Missão Tianwen". China planeia lançar sonda para Marte em julho

A China planeia lançar uma sonda e um pequeno robô de controlo remoto para Marte, em julho, na sua primeira missão ao Planeta Vermelho, anunciou esta segunda-feira a agência responsável pelo projeto. "O nosso objetivo era …

Bairros de lata são incubadoras de covid-19, mas ninguém ajuda os milhões que lá vivem

Bairros de lata, como as favelas, são consideradas incubadores de covid-19. No entanto, pouca atenção lhes tem sido dada na resposta à pandemia. Tendo devastado algumas das cidades mais ricas do mundo, a pandemia do novo …

Morreu Saturn, o jacaré que sobreviveu a um bombardeamento da II Guerra (e que se diz que pertenceu a Hitler)

Saturn, um jacaré norte-americano de 84 anos, morreu esta sexta-feira no jardim zoológico de Moscovo, na Rússia, anunciou a instituição na sua conta de Facebook, dando conta que o animal morreu de velhice. O réptil …

Antiviral Remdesivir pode ser eficaz no combate à covid-19

O antiviral Remdesivir é eficaz contra a covid-19 caso seja administrado antes dos pacientes necessitarem de ventilação mecânica, indica um ensaio internacional com este medicamento, coordenado pelo Hospital Can Ruti, em Badalona, Barcelona, Espanha. Segundo um …

Há uma misteriosa ilha em Nova Iorque que quase ninguém pode visitar (e está abandonada)

A menos de 1,6 quilómetros de Manhattan, em Nova Iorque, localiza-se uma misteriosa ilha abandonada há mais de meio século. É preciso ter autorização do New York City Department of Parks and Recreation para visitar …

Israel não vai desperdiçar "oportunidade histórica" para anexar a Cisjordânia

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu voltou a defender hoje a anexação de partes da Cisjordânia nos próximos meses e em prosseguir este polémico plano, apesar do crescente coro de condenações de diversos aliados. Os palestinianos, e …

Zlatan Ibrahimovic lesiona-se e deixa carreira em risco

No treino com vista ao regresso da Liga italiana, Zlatan saiu a coxear do centro de treinos, com os milaneses a explicarem que exames vão determinar se se trata de lesão no gémeo ou tendão …