Trump vai tomar “grande decisão” sobre Acordo de Paris nas próximas duas semanas

Olivier Douliery / EPA

O presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente dos EUA, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou este sábado, ao cumprir 100 dias na Casa Branca, que vai tomar “uma grande decisão” sobre o Acordo de Paris relativo às alterações climáticas “nas próximas duas semanas”.

“Vou tomar uma grande decisão sobre o Acordo de Paris nas próximas duas semanas. Vamos ver o que acontece”, anunciou Trump, insistindo que os regulamentos ambientais sufocam o crescimento económico e são responsáveis pela perda de empregos no país.

Os EUA estão a equacionar se mantêm o Acordo de Paris, assinado por 195 países em dezembro de 2015 para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e conter o aquecimento global abaixo dos dois graus celsius.

O secretário da Energia norte-americano, Rick Perry, declarou, esta semana, que os Estados Unidos devem permanecer no Acordo de Paris sobre o clima, mas renegociar os seus termos, juntando-se ao campo daqueles que, na administração de Donald Trump, são favoráveis à manutenção.

Por seu turno, o director da Agência de Proteção do Ambiente dos Estados Unidos, Scott Pruitt, pediu recentemente que o país saia deste acordo, considerando que se tratou de “um negócio prejudicial para a América” e que beneficiou principalmente a China, o maior emissor mundial de dióxido de carbono (CO2).

Steve Bannon, o estratega de Trump e um nacionalista económico que parece estar a perder a sua influência, também propôs uma retirada.

A Casa Branca fez saber que iria avaliar a sua posição sobre as alterações climáticas e a política energética, mas sem indicar se iria cumprir a promessa eleitoral de Trump de “anular” a participação dos Estados Unidos no Acordo de Paris, aguardando-se então agora uma decisão “nas próximas duas semanas”.

A anterior administração norte-americana prometeu, em Paris, que os Estados Unidos vão reduzir as suas emissões de CO2 de 26 a 28% até 2025, por comparação com o nível de 2005 e, para o efeito, o então Presidente democrata, Barack Obama, autorizou a Agência de Proteção do Ambiente a forçar as indústrias de carvão a reduzir as emissões.

As declarações de Donald Trump ocorreram no mesmo dia em que se realizaram massivas marchas em defesa do clima e contra as suas políticas de desregulação do ambiente nos Estados Unidos, incluindo uma em Washington que juntou milhares de manifestantes.

Segundo os organizadores, decorreram em simultâneo cerca de 300 marchas ou protestos semelhantes em todo o país. Os participantes na Marcha pelo Clima afirmaram-se contra o recuo de Trump nas restrições à exploração mineira, à perfuração petrolífera e às emissões de gases com efeito de estufa em fábricas alimentadas a carvão.

Trump assinou, na sexta-feira, uma ordem executiva para rever as proibições impostas por Obama para permitir explorações de petróleo na costa do país, o que poderia abrir zonas do Ártico e do Golfo do México a novos poços, com o objetivo, segundo argumenta, de criar mais empregos.

No final de março, também declarou o fim da “guerra ao carvão”, ao prometer o cancelamento de normativas do Governo federal que estão a “destruir empregos”, e anunciou uma “nova era” na produção de energia, com a nova diretiva a ordenar um reexame da emblemática medida de Obama sobre o clima, o ‘Clean Power Plan’, que impõe às centrais térmicas reduções nas suas emissões de CO2.

Em diversas ocasiões, o Presidente norte-americano classificou as alterações climáticas como um embuste, contestando o esmagador consenso no seio da comunidade científica de que o planeta está a aquecer e que as emissões de carbono de origem humana são as principais responsáveis.

Trump chegou a afirmar inclusive que o aquecimento global era uma farsa inventada pela China antes de moderar a sua posição, após as eleições.

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

    • Não insulte as pessoas com debilidade mental… (modo irónico ligado)
      Este tipo é muito pior… e se se pensar que o tipo não bebe álcool e que portanto faz tudo “lúcido” (como dizia um comediante), então a preocupação é ainda maior…

RESPONDER

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos demite-se por causa do Afeganistão

Sigrid Kaag demitiu-se do seu cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, depois de o Parlamento considerar que o Governo fez uma má gestão da retirada de cidadãos do Afeganistão. A ministra dos Negócios …

Rio "atirou" Costa aos macacos e pediu aos eleitores que "penalizem" o descaramento do PS

Rui Rio afirma nunca ter visto um "desplante" semelhante ao do PS no que respeita a promessas eleitorais como o que está a acontecer na atual campanha para as autárquicas. Mais um dia, mais uma capelinha. …

Boris quer destronar Thatcher com mais uma década no poder

Há quem acredite que o atual primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, quer bater o recorde de Margaret Thatcher, que exerceu o cargo de 1979 a 1990. Um membro do Governo britânico terá dito ao The Times que …

Itália passa a exigir certificado verde a todos os trabalhadores

Medida é das mais restritivas atualmente em vigor no mundo inteiro, já que todos os regimes de obrigatoriedade que vigoram atualmente aplicam-se sobretudo a profissionais do setor da saúde. A partir de 15 de outubro, itália …

Com receio de que violência negacionista possa escalar, PSP reforça segurança pessoal de políticos

As forças de segurança temem que a violência negacionista aumente e o movimento atraia pessoas desequilibradas. No passado sábado, vários negacionistas, reunidos em mais uma manifestação, desta vez com o mote “Pelas nossas crianças – Rumo …

Promessa eleitoral de Costa em Coimbra arranca um aviso da CNE. Rio ficou "chocado"

António Costa tem estado activo na campanha eleitoral, ao lado dos candidatos do PS às autárquicas, e até sacou da cartola uma maternidade em Coimbra. Uma promessa que deixou Rui Rio "chocado" e que leva …

O voto que dá que falar. "Não há um centímetro quadrado de Portugal que seja indigno" do Constitucional

Três juízes do Tribunal Constitucional contestaram o parecer dos seus pares que considera "desprestigiante" a mudança deste órgão de Lisboa para Coimbra, mas é o voto contra de Mariana Canotilho que dá que falar, uma …

T-shirt reduz efeitos da menopausa

T-shirt portuguesa reduz sintomas da menopausa e ajuda quem tem cancro (e já está à venda)

A investigadora da Universidade do Minho (UM) Filipa Fernandes criou uma t-shirt que atenua os efeitos da menopausa e melhora a qualidade de vida de pacientes com cancro, graças a um tecido com um revestimento …

Estrela Vermelha 2-1 Braga | Guerreiros com mira desalinhada

Inglório. O Sporting de Braga foi a Belgrado perder com o Crvena Zvezda, ou Estrela Vermelha, por 2-1, na primeira jornada do Grupo F da Liga Europa. Os minhotos tiveram mais bola, criaram diversos lances de …

Após "humilhação" frente ao Ajax, Sporting abre caça a novo reforço

O Sporting tem apenas quatro jogadores para a posição de defesa-central. Rúben Amorim vai ter de esperar pelo mercado de inverno para trazer um reforço. As opções para o trio de centrais do Sporting são escassas. …