Tribunal responsabiliza Holanda por mais de 300 mortes na Bósnia

Mikel_Oibar / Flickr

-

Um tribunal holandês da região de Haia considerou esta quarta-feira a Holanda culpada pela morte de mais de 300 homens e rapazes muçulmanos bósnios em Srebrenica, na Bósnia Herzegovina, em julho de 1995, abrindo caminho para que os parentes das vítimas possam receber indemnizações.

As vítimas estavam entre os 5 mil refugiados, na sua maioria mulheres e crianças, que buscaram abrigo junto às forças de paz holandesas ligadas à Organização das Nações Unidas (ONU) durante a Guerra da Bósnia (1992-1995), e acabaram sendo mortas por forças sérvias que levavam a cabo uma limpeza étnica na região.

No entanto, o Estado holandês foi isento de culpa pelo destino de outros cerca de 7 mil homens que morreram em Srebrenica, naquele que é considerado o pior massacre da história da Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

O ministério da Defesa holandês lamentou “o que aconteceu na época com a população local” e destacou que o tribunal entendeu que a Holanda “não foi responsável pela queda do enclave (Srebenica)”. O ministério também não anunciou se pretende apresentar um recurso contra a decisão.

Genocídio

Parentes das vítimas tinham movido o processo contra o Estado holandês, formando uma associação conhecida como “Mães de Srebrenica“.

No seu parecer, o tribunal de Haia (não confundir com o Tribunal Internacional de Haia) disse que a força de paz da Holanda, a Dutchbat, não fez o suficiente para proteger as 300 vítimas e que tinha de estar ciente de que havia possibilidade de um genocídio ser cometido na região.

Segundo o tribunal, o Estado holandês deveria saber que refugiados seriam mortos quando os retiraram de um complexo da ONU na vila de Potocari e os entregaram a sérvios bósnios.

“Se a Dutchbat os tivesse deixado ficar, eles teriam vivido. Ao cooperar com sua deportação, a Dutchbat agiu fora da lei”, declarou o tribunal.

O órgão determinou que o Estado holandês assuma parte da responsabilidade pelo que ocorreu e indemnize as famílias das vítimas.

Limpeza étnica

Durante a guerra, bósnios muçulmanos que viviam nas redondezas buscaram refúgio em Srebrenica quando o exército sérvio bósnio iniciou uma campanha de limpeza étnica contra não-sérvios.

A ONU declarou Srebrenica uma “área segura” para civis em 1993. Milhares de bósnios mulçulmanos foram para a base da ONU nos arredores de Srebrenica, na vila de Potocari.

Os soldados holandeses disseram aos refugiados que eles estariam seguros ao entregá-los ao exército sérvio bósnio.

No entanto, o tribunal não considerou a Holanda culpada pela maioria dos assassinatos de homens em Srebrenica já que eles não buscaram abrigo no complexo de refugiados mas “fugiram para a floresta nos arredores da cidade”.

Injustiça

Segundo Anna Holligan, correspondente da BBC em Haia, a decisão não foi satisfatória para os parentes das vítimas já que a Holanda foi considerada culpada por apenas uma pequena parte das mortes.

Por causa disso, a maioria das famílias não será indemnizada.

“Não se trata do dinheiro. O veredito não trouxe a justiça que as Mães de Srebrenica procuravam”, diz Holligan.

Munira Subasic, representante das famílias das vítimas, criticou a decisão ao dizer que “obviamente o tribunal não tem qualquer senso de justiça”.

“Como é possível dizer a uma mãe que o Estado holandês é responsável pela morte de um de seus filhos, mas não do outro?”

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …

Juiz Carlos Alexandre desiste de queixa contra Rui Pinto

A proposta do Ministério Público (MP) para que o pirata informático não continuasse a ser investigado dependia da autorização do "super-juiz", avança o Correio da Manhã. De acordo com o Correio da Manhã, o juiz Carlos …

Surto na Nova Zelândia faz 17 novas infeções (e não se sabe de onde veio)

Após 102 dias sem casos de covid-19, a Nova Zelândia registou um novo surto na sua maior cidade, Auckland. O número de infeções subiu para 17, mas não se sabe de onde veio. De acordo com …

Ameaças de morte a deputadas. Bloco vai fazer queixa ao Ministério Público

O Bloco de Esquerda vai apresentar duas queixas ao Ministério Público, uma por cada deputada ameaçada no e-mail enviado à SOS Racismo. A Polícia Judiciária está a investigar um e-mail enviado a um grupo de dez …

Siza Vieira garante que subida do salário mínimo não foi discutida à Esquerda

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, garantiu, em entrevista ao Observador, que uma eventual subida do Salário Mínimo Nacional (SMN) não foi discutida com os partidos de Esquerda. "O …

Governo pode rever (e adiar) fim dos plásticos de utilização única nos restaurantes

O Governo admite rever e suspender a entrada em vigor da proibição de uso de plásticos de utilização única em retaurantes devido à pandemia de covid-19. O Jornal de Negócios avança esta quinta-feira que a pandemia …