Sondagem europeia defende tratado internacional que proíba “robôs assassinos”

Quase três em cada quatro pessoas querem que o seu governo colabore com outros países para proibir sistemas letais de armas autónomas.

A organização não-governamental Human Rights Watch (HRW) divulgou esta quarta-feira os resultados de uma sondagem em dez países europeus que defendem a proibição de sistemas de armas autónomas letais, conhecido como ‘robôs assassinos’.

“Quase três em cada quatro pessoas que responderam a uma nova sondagem em 10 países europeus querem que os seus governos trabalhem para um tratado internacional que proíba sistemas letais de armas autónomas”, disse hoje a HRW, em comunicado.

A Human Rights Watch, que cofundou e coordena a Campanha para Parar os Robôs Assassinos, encomendou a sondagem à empresa YouGov, que foi realizada em outubro na Bélgica, Finlândia, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Espanha e Suíça.

“Todos os governos desses países concordam que é importante manter o controlo humano sobre o uso da força, mas atualmente nenhum deles trabalha para uma nova lei internacional sobre sistemas de armas autónomos letais”, frisou a organização não-governamental.

Os resultados foram divulgados quando estão agendadas reuniões diplomáticas para hoje e 15 de novembro, esperando-se que, após a reunião anual dos Estados que assinaram a Convenção sobre Armas Convencionais (CAC), nas Nações Unidas, em Genebra, se decidirá sobre a continuidade das negociações diplomáticas sobre os sistemas de armas autónomas letais ou armas totalmente autónomas.

Ou seja, os Estados determinarão as próximas etapas para enfrentar as ameaças colocadas por essas armas, que, uma vez ativadas, selecionariam e atacariam alvos sem intervenção humana.

“A proibição de ‘robôs assassinos’ é politicamente esclarecida e moralmente necessária“, disse a diretora de defesa da Divisão de Armas da Human Rights Watch, Mary Wareham, e coordenadora da Campanha para Parar Robôs Assassinos.

“Os estados europeus devem assumir a liderança e abrir as negociações do tratado de proibição se quiserem proteger o mundo desse horrível desenvolvimento“, acrescentou.

“Claramente, precisamos começar a traçar um novo caminho num novo fórum, até 2021, o mais tardar, pois as negociações atuais parecem destinadas ao fracasso“, disse Wareham.

Desde 2014, que foram realizadas oito reuniões sobre os sistemas de armas autónomas letais, sob os auspícios da Convenção sobre Armas Convencionais, um importante tratado de desarmamento, pode ler-se na mesma nota.

Segundo a HRW, “ao longo dessas reuniões, os Estados construíram um entendimento partilhado de preocupação, mas têm sentido dificuldades para chegarem a um acordo sobre recomendações credíveis para ações multilaterais devido às objeções de um punhado de poderes militares, principalmente Rússia e Estados Unidos”.

Essas nações, “juntamente com China, Israel e Coreia do Sul, estão a investir significativamente em armas com níveis decrescentes de controlo humano nas suas funções críticas, gerando temores de proliferação generalizada e corridas ao armamento, levando à instabilidade global e regional”, sublinhou a organização internacional não-governamental.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …

Al Gore diz ser o maior fã de Greta Thunberg

Al Gore, antigo vice-presidente de Barack Obama e autor do documentário ambiental "Uma verdade inconveniente", elogiou esta semana o trabalho desenvolvido pela ativista sueca Greta Thunberg, dizendo ser o seu maior fã. "Sou o seu …

A água é comum nos mundos extraterrestres (mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava)

A presença de água em exoplanetas é comum, mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Para chegar a …

"Encontrei a minha alma gémea". Presidente do Flamengo disposto a (quase) tudo para segurar Jesus

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, ficou encantado com Jorge Jesus logo quando o conheceu. É o que o dirigente diz numa entrevista, onde admite que encontrou a sua "alma gémea", não revelando dados sobre …

COP25: uma traição ao Acordo de Paris "e às pessoas em todo o mundo"

Organizações não governamentais ambientalistas consideraram que os projetos de resolução que a cimeira do clima da ONU tem para aprovar são "uma traição" do Acordo de Paris e dos milhões de pessoas que sofrem com …

Governo admite novo aumento extra das pensões (com a simpatia das Finanças e de olho na geringonça)

O Governo está a equacionar um novo aumento extraordinário das pensões no âmbito da preparação da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020). A medida agrada a PCP e Bloco de Esquerda e terá …

Na última noite no Porto, Óliver foi sozinho à Ponte D. Luís (e vieram-lhe as lágrimas aos olhos)

O médio espanhol Óliver Torres confessa que a sua saída do Porto foi "emotiva" e que se despediu do clube e da cidade na Ponte D. Luís, de noite e sozinho, com "as lágrimas nos …