Ainda não é possível determinar se há transmissão comunitária da variante Ómicron em Portugal, aponta Graça Freitas

Tiago Petinga / Lusa

Responsável revelou que o plano de testagem para casos considerados de risco foi alterado, passando a prever a realização de três testes.

Graça Freitas considera que é “muito cedo” para dizer se há disseminação comunitária da variante Ómnicron em Portugal, face ao grande desconhecimento que ainda existe da estripe mesmo a nível mundial. “É impossível prever se haverá disseminação comunitária ou não, a investigação é muito precoce.” Em entrevista ao jornal Público, a diretora-geral da Saúde realçou que todos os casos identificados resultaram de uma transmissão em “meio laboral” — referindo-se aos casos identificados na Belenenses SAD, reconhecendo que é possível, ainda assim, que se “criem ligações”. “O que há é um surto localizado“, resumiu a responsável.

Sobre a possibilidade de o país implementar novas medidas para responder a um hipotético aumento de casos resultante de uma maior transmissibilidade inerente à nova variante, Graça Freitas esclarece que as medidas atualmente em vigor — que visam sobretudo as viagens — têm um “caráter temporário“, não passando de “medidas de precaução“.

“Não sabemos muitas coisas sobre esta variante, não sabemos exatamente como se propaga, com que velocidade, não sabemos a gravidade, não sabemos se vai ter capacidade de escapar às vacinas ou não. Há algumas incógnitas e quando as incógnitas são maiores, fazemos um reforço da investigação epidemiológica, mas não quer dizer que sejam medidas definitivas”, apontou.

Com “reforço da investigação epidemiológica“, Graça refere-se a um alargamento da rede de contactos dos casos positivos e pela intensificação da testagem, de forma a impedir a criação de cadeias de transmissão e a propagação da nova variante. O plano de testagem atualmente previsto prevê a realização de um teste feito na hora (quando é detetada a situação de risco), outro ao quinto dia e um terceiro ao décimo dia. Apesar de todo o desconhecimento que existe atualmente na comunidade científica mundial, a responsável garantiu que Portugal tem capacidade para detetar mais casos da nova variante, à semelhança do que aconteceu com a variante Delta.

“Estamos a falar de um caso em que não sabemos se a variante se está a disseminar no mundo porque é mais transmissível ou se se está a disseminar porque as pessoas viajam e porque isto é um vírus respiratório. Pode haver aqui estes dois fenómenos, mas é cedo para sabermos se é mais rápida na transmissão do que a Delta. Há redes de vigilância em todo o mundo que farão esse trabalho. É uma variante de preocupação, mas que ainda está em observação. Qualquer conclusão será prematura”, referiu.

Graça Freitas, ainda assim, recusou dizer se a situação epidemiológica em Portugal “está a ser novamente aprofundada e revista” à luz dos 13 casos detetados da variante Ómicron. “Temos mais informação do que tínhamos há dois dias, não só sobre a nova variante, como sobre a evolução dos testes que têm sido feitos às pessoas. Vamos esperar mais uns dias que possamos tirar conclusões”.

Anteriormente, a responsável já tinha avançado que não foi identificado mais nenhum caso de infeção relacionado com o surto na Belenenses SAD, apesar de não precisar quantas pessoas estão em isolamento. “Serão algumas dezenas de pessoas. São treze casos e cada caso pode ter contactos em várias esferas e em vários níveis”, apontou a diretora-geral.

O surto na Belenenses SAD terá tido origem na viagem do jogador Cafu Phete a África do Sul, o seu país de origem. Ainda segundo o jornal Público, o atleta realizou um teste antes de abandonar o país africano, com resultado negativo, tendo voltado a ser testado quando aterrou em Portugal, novamente com resultado negativo.

Com os 13 casos da variante Ómicron na esfera da Belenenses SAD, Portugal tornou-se um dos países europeus com mais infeções associadas a esta infeção. O número fez com que a Suíça, esta manhã, decretasse a quarentena obrigatória para quem viaje a partir de Portugal para o país, assim como a apresentação de um teste negativo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.