Cardeal Tolentino Mendonça será prefeito da Cultura e Educação do Vaticano

O cardeal português José Tolentino Mendonça, atual arquivista e bibliotecário da Santa Sé, vai ser responsável pelo novo Dicastério para a Cultura e a Educação do Vaticano.

Segundo a informação avançada pelo Sete Margens, que cita fontes eclesiásticas, a nomeação deverá ocorrer no início da próxima semana e surge no âmbito da entrada em vigor da nova constituição Praedicate Evangelium (“Anunciai o Evangelho”), que regula e renova o funcionamento da Cúria Romana.

Tolentino Mendonça terá a seu cargo a rede escolar católica mundial: outras 217 mil escolas com 62 milhões de crianças, 1360 universidades católicas, 487 universidades e faculdades eclesiásticas, num total de 11 milhões de alunos.

Ficará com as funções exercidas por dois cardeais já próximos da reforma: Gianfranco Ravasi, que era o presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, e Giuseppe Versaldi, que era o prefeito da Congregação da Educação Católica.

Esses dois organismos foram extintos e concentrados no Dicastério para a Cultura e a Educação, num processo de reforma que simplificou a Cúria Romana e acabou com a distinção entre “congregações” (os departamentos de primeira linha, semelhantes aos ministérios de um governo civil) e “conselhos” (organismos de menor importância).

O cardeal, com 56 anos, coordenará ainda as relações entre a Igreja e a cultura, a literatura, as artes e o património. Vai trabalhar com o bispo Carlos Azevedo.

Poeta, teólogo e biblista, Tolentino Mendonça é capelão e vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa (UCP) e um dos três cardeais portugueses que podem votar num conclave para escolher o Papa, ao lado do cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, e do bispo emérito de Leiria-Fátima, D. António Marto.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.