Um tipo especial de luz pode ter sido o ingrediente crucial para a vida no Universo

NASA / ESA / P Crowther / University of Sheffield

Um berçário estelar no coração da Nebulosa da Tarântula

Para existir vida, são necessárias algumas condições prévias. O mesmo acontece no próprio espaço, que precisa de ser preparado para abrigar vida. A luz ultravioleta e ótica que resplandece de estrelas massivas e recém-formadas pode ter sido um ingrediente crucial.

A vida não surge do nada. São necessários alguns ingredientes para que isso aconteça, como uma atmosfera, uma camada de ozono, água líquida e temperaturas habitáveis. No entanto, mesmo antes de chegar a este ponto, o próprio espaço precisa de ser preparado com uma luz ultravioleta e ótica que resplandece de estrelas enormes e recém-formadas.

Segundo uma recente investigação da Universidade Nacional da Austrália, este tipo especial de luz estelar fornece uma espécie de pressão de radiação que neutraliza a gravidade, retardando a taxa de formação estelar de uma galáxia.

O astrofísico Roland Crocker explica que, se a formação de estrelas acontecesse rapidamente, todas elas se uniriam em gigantescos aglomerados, onde a intensa radiação e explosões de supernovas provavelmente esterilizariam todos os sistemas planetários, impedindo assim o surgimento de vida.

“As condições nesses aglomerados estelares impediriam a formação de planetas“, detalha o especialista.

De acordo com a Ciência, a gravidade é vital para a formação de estrelas. A maioria delas nasce em berçários estelares, nuvens moleculares densas e ricas em poeira e gás. À medida que os ventos interestelares e ondas de choque gravitacionais se propagam, o material é empurrado para aglomerados mais densos, que acabam por colapsar sob a sua própria atração gravitacional.

Estes aglomerados colapsados continuam até absorver material circundante, crescendo muito rapidamente em massa até que a fusão nuclear os faça brilhar.

Segundo a equipa de cientistas, o ato de emitir luz das estrelas impulsiona o gás de aglomerados estelares densos e isolados, que estão a passar por uma taxa furiosa de formação estelar, impedindo que se aglutinem ainda mais.

Esta luz ultravioleta e ótica das novas estrelas massivas espalha-se por esse gás. A absorção de fotões cria uma pressão direta de radiação, enquanto os fotões absorvidos pelo gás e reemitidos como luz infravermelha criam uma pressão indireta de radiação.

“Este fenómeno ocorre em galáxias e em aglomerados estelares onde há muito gás empoeirado que forma pilhas de estrelas com relativa rapidez”, afirma Crocker. “Nas galáxias que formam estrelas mais lentamente, como a Via Láctea, há outros processos que diminuem a velocidade. A Via Láctea, por exemplo, forma duas novas estrelas por ano.”

Apesar de não ser um processo recém-descoberto, a modelagem matemática realizada pela equipa de Crocker coloca um limite na rapidez com que as novas estrelas se podem formar.

Basicamente, a equipa descobriu que muito mais da metade do material numa nuvem molecular precisa de ser convertido em estrelas para a pressão direta de radiação afastar o gás restante. O artigo científico foi recentemente publicado na Monthly Notices da Royal Astronomical Society.

“Esta e outras formas de diminuição de formação de estrelas ajudam a manter o Universo vivo e vibrante”, concluiu o investigador.

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …