Ter menos filhos é a acção mais eficaz contra o aquecimento global

Um estudo publicado este mês na Suécia defende que ter menos filhos é a acção que pode ter mais impacto no combate às alterações climáticas.

Mas os autores do estudo, da Universidade Lund, recomendam este controle da natalidade apenas em países desenvolvidos, uma vez que nações como os EUA, por exemplo, são responsáveis por maiores emissões de carbono na atmosfera, pelo que teriam que fazer cortes mais drásticos para atingir “níveis seguros de emissões”.

De acordo com os termos do Acordo Climático de Paris, assinado em 2015, 195 países comprometem-se a limitar a média global de aumento da temperatura em menos de dois graus Celsius.

Para isso, cientistas estimam que até ao ano de 2050 o volume de emissões per capita não possa ultrapassar as 2,1 toneladas de carbono.

No estudo, publicado na quarta-feira na Environmental Research Letters, os investigadores Seth Wynes e Kimberly Nicholas afirmam que a redução não poderá ser obtida sem que as famílias ou indivíduos tenham um filho a menos – apesar de esta não ser a única medida recomendada.

Não estamos a sugerir que isso se torne lei, nem coisa parecida. Sabemos que a decisão de ter ou não filhos é talvez a maior que alguém pode tomar na vida, e que muitas pessoas não têm o clima no topo das suas preocupações. Vejo esta decisão mais como uma questão pessoal do que de política pública”, afirmou Nicholas em entrevista à BBC.

“O nosso estudo mostra o impacto que as decisões pessoais podem ter nos esforços de prevenção de alterações climáticas. É importante que as pessoas saibam destas coisas nas suas vidas – especialmente quando mostramos o impacto de acções como a reciclagem ou o uso de lâmpadas LED“, completa a especialista.

As conclusões são derivadas de análises e cálculos que, segundo os investigadores, levam em conta uma gama de acções individuais – das mais complexas, como o controle da natalidade, às mais simples, como a reciclagem de lixo.

Escolhas pessoais para reduzir a contribuição para as alterações climáticas

Escolhas pessoais para reduzir a contribuição para as alterações climáticas

Wynes e Nicholas concluem, por exemplo, que ter um filho a menos contribuiria para uma redução média de 58,6 toneladas de CO2 na atmosfera por ano, uma quantidade muito maior que as outras três principais alternativas recomendadas: viver sem carro (2,4 toneladas), evitar viagens de avião (1,6) e adoptar uma dieta vegetariana (0,8).

O impacto da opção de ter menos filhos teve como base de cálculo o total estimado de emissões dos filhos e demais descendentes divididos pela expectativa de vida dos pais.

A questão do crescimento populacional já faz parte dos debates sobre impacto humano no ambiente, e a semana passada um estudo publicado por investigadores da Universidade Stanford culpou os humanos pelo que classificou como “aniquilação biológica” – a extinção em massa de milhões de espécies por causa da superpopulação e do consumo.

Segundo Nicholas, não há um número “mágico” de filhos a ter ou evitar para obter um melhor resultado ambiental. Para Wynes, as características de desenvolvimento dos países deve ser levado em conta no cálculo.

No caso de um país em desenvolvimento, o consumo de carne e a quantidade de emissão per capita é muito inferior ao dos habitantes dos países altamente desenvolvidos. Por isso, as emissões são menores por pessoa e a diminuição no número de filhos não seria tão significativa.

“O nosso estudo limitou-se a avaliar as grandes oportunidades de redução individual de emissões em países em que há as maiores taxas per capita desse tipo de poluição. Naturalmente, escolher ter famílias menores tem um impacto menor num país em desenvolvimento”, diz Wynes.

“Nos países mais prósperos, o consumo de carne é mais alto, e isso aumenta o gasto de água, a necessidade de pastagens e também a libertação de gases, pelo que ter um membro a menos na família em países como os Estados Unidos é relevante para o meio ambiente”, acrescenta o investigador.

Além da redução do número de filhos, a adopção em massa de uma dieta baseada em vegetais é uma medida importante no combate ao aquecimento global, aponta Wynes.

“Queremos chamar a atenção para um factor que terá influência precisamente sobre o futuro das próximas gerações, que herdarão o mundo. E não mostramos apenas a questão populacional, mas também o impacto de uma dieta vegetariana e de uma vida sem carro. Elas também têm impacto positivo”, conclui Nicholas.

// BBC / Phys.org

PARTILHAR

RESPONDER

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …

Farmácias em risco de não ter vacinas da gripe para tantos pedidos

As farmácias privadas receiam não ter doses suficientes de vacina contra a gripe para dar resposta a todos os pedidos. As encomendas da vacina já sãocinco vezes mais do que as registadas em 2019. A preocupação …

É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e …

Restrições a turistas suavizadas. Finlândia tenta salvar a Lapónia (e a época de inverno)

A Finlândia, que vê o turismo estrangeiro em perigo na Lapónia, permite a partir de hoje a entrada de turistas de cerca de vinte países sem terem de fazer quarentena. As medidas surgem numa altura em …

"Foi uma vergonha". PS em choque com saída de Jamila e com o poder de Temido

A saída de Jamila Madeira do cargo de secretária de Estado Adjunta e da Saúde, a pedido da ministra Marta Temido, deixou alguns socialistas "arrepiados" e há um desconforto interno com a situação. É mais …

Mãe de bebé deixado no Cacém entregou-se no hospital e foi constituída arguida

A mãe do bebé deixado na terça-feira junto ao Centro Social Baptista, no Cacém, Sintra, entregou-se hoje no Hospital Amadora-Sintra e, depois de ter sido transportada para a esquadra, foi constituída arguida, disse à Lusa …