Ter menos filhos é a acção mais eficaz contra o aquecimento global

Um estudo publicado este mês na Suécia defende que ter menos filhos é a acção que pode ter mais impacto no combate às alterações climáticas.

Mas os autores do estudo, da Universidade Lund, recomendam este controle da natalidade apenas em países desenvolvidos, uma vez que nações como os EUA, por exemplo, são responsáveis por maiores emissões de carbono na atmosfera, pelo que teriam que fazer cortes mais drásticos para atingir “níveis seguros de emissões”.

De acordo com os termos do Acordo Climático de Paris, assinado em 2015, 195 países comprometem-se a limitar a média global de aumento da temperatura em menos de dois graus Celsius.

Para isso, cientistas estimam que até ao ano de 2050 o volume de emissões per capita não possa ultrapassar as 2,1 toneladas de carbono.

No estudo, publicado na quarta-feira na Environmental Research Letters, os investigadores Seth Wynes e Kimberly Nicholas afirmam que a redução não poderá ser obtida sem que as famílias ou indivíduos tenham um filho a menos – apesar de esta não ser a única medida recomendada.

Não estamos a sugerir que isso se torne lei, nem coisa parecida. Sabemos que a decisão de ter ou não filhos é talvez a maior que alguém pode tomar na vida, e que muitas pessoas não têm o clima no topo das suas preocupações. Vejo esta decisão mais como uma questão pessoal do que de política pública”, afirmou Nicholas em entrevista à BBC.

“O nosso estudo mostra o impacto que as decisões pessoais podem ter nos esforços de prevenção de alterações climáticas. É importante que as pessoas saibam destas coisas nas suas vidas – especialmente quando mostramos o impacto de acções como a reciclagem ou o uso de lâmpadas LED“, completa a especialista.

As conclusões são derivadas de análises e cálculos que, segundo os investigadores, levam em conta uma gama de acções individuais – das mais complexas, como o controle da natalidade, às mais simples, como a reciclagem de lixo.

Escolhas pessoais para reduzir a contribuição para as alterações climáticas

Escolhas pessoais para reduzir a contribuição para as alterações climáticas

Wynes e Nicholas concluem, por exemplo, que ter um filho a menos contribuiria para uma redução média de 58,6 toneladas de CO2 na atmosfera por ano, uma quantidade muito maior que as outras três principais alternativas recomendadas: viver sem carro (2,4 toneladas), evitar viagens de avião (1,6) e adoptar uma dieta vegetariana (0,8).

O impacto da opção de ter menos filhos teve como base de cálculo o total estimado de emissões dos filhos e demais descendentes divididos pela expectativa de vida dos pais.

A questão do crescimento populacional já faz parte dos debates sobre impacto humano no ambiente, e a semana passada um estudo publicado por investigadores da Universidade Stanford culpou os humanos pelo que classificou como “aniquilação biológica” – a extinção em massa de milhões de espécies por causa da superpopulação e do consumo.

Segundo Nicholas, não há um número “mágico” de filhos a ter ou evitar para obter um melhor resultado ambiental. Para Wynes, as características de desenvolvimento dos países deve ser levado em conta no cálculo.

No caso de um país em desenvolvimento, o consumo de carne e a quantidade de emissão per capita é muito inferior ao dos habitantes dos países altamente desenvolvidos. Por isso, as emissões são menores por pessoa e a diminuição no número de filhos não seria tão significativa.

“O nosso estudo limitou-se a avaliar as grandes oportunidades de redução individual de emissões em países em que há as maiores taxas per capita desse tipo de poluição. Naturalmente, escolher ter famílias menores tem um impacto menor num país em desenvolvimento”, diz Wynes.

“Nos países mais prósperos, o consumo de carne é mais alto, e isso aumenta o gasto de água, a necessidade de pastagens e também a libertação de gases, pelo que ter um membro a menos na família em países como os Estados Unidos é relevante para o meio ambiente”, acrescenta o investigador.

Além da redução do número de filhos, a adopção em massa de uma dieta baseada em vegetais é uma medida importante no combate ao aquecimento global, aponta Wynes.

“Queremos chamar a atenção para um factor que terá influência precisamente sobre o futuro das próximas gerações, que herdarão o mundo. E não mostramos apenas a questão populacional, mas também o impacto de uma dieta vegetariana e de uma vida sem carro. Elas também têm impacto positivo”, conclui Nicholas.

// BBC / Phys.org

PARTILHAR

RESPONDER

Tondela vs Benfica | Pizzão em goleada na Beira Alta

O Benfica conseguiu a maior goleada da sua temporada fora de casa. Na deslocação a Tondela, os “encarnados” venceram por claros 5-1, numa noite de grande inspiração de Pizzi – estreou-se a marcar esta época …

Turquia quer abrir embaixada na parte oriental de Jerusalém como capital palestiniana

O presidente da Turquia disse, este domingo, que o país planeia abrir uma embaixada em Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado palestiniano, depois dos EUA terem reconhecido Jerusalém como capital de Israel. “Já declarámos …

Sporting vs Portimonense | Leão sereno soma e segue

O Sporting subiu ao primeiro lugar da tabela na Liga NOS, de forma provisória, ao vencer, por 2-0, o Portimonense, em Alvalade. A equipa liderada por Jorge Jesus soube contrariar as adversidades impostas por um Portimonense …

Isabel dos Santos usou dinheiro da Unitel para controlar a Zon e criar a NOS

A empresária angolana utilizou dinheiro da maior operadora móvel do país para comprar ações da Zon e realizar a fusão entre a Zon e a Optimus, criando a NOS.  Segundo o Público, entre maio de 2012 …

Empresas de autocarro e comboio de acidente em França com versões contraditórias

A condutora do autocarro que, na quinta-feira, colidiu com um comboio, no sudoeste de França, diz que as cancelas da passagem de nível estavam levantadas quando atravessou a linha, mas a companhia ferroviária afirma o …

Santana Lopes "está a fazer as mesmas trapalhadas que fazia em 2004"

O antigo presidente da Câmara do Porto diz que, relativamente à questão dos debates na televisão, o rival à liderança do PSD só está a mostrar que continua "a fazer exatamente as mesmas trapalhadas que …

Equipa de Trump acusa Mueller de ter obtido milhares de emails ilegalmente

O Procurador Especial que investiga a interferência russa nas eleições presidenciais dos EUA em 2016 obteve de forma ilegal "dezenas de milhares de emails", segundo um advogado da equipa de transição de Donald Trump. Numa carta …

6 meses depois, ainda há quem pergunte pela "estrada da morte"

O chamado "turismo da desgraça" ainda persiste pela zona de Pedrógão Grande, mas com muito menos frequência do que nas primeiras semanas e meses após o incêndio de 17 de junho. Na estrada 236-1, seis meses …

Atentado contra igreja no Paquistão faz pelo menos 8 mortos e 30 feridos

Pelo menos oito pessoas morreram e 30 ficaram feridas, este domingo, durante um ataque suicida contra uma igreja no sudoeste do Paquistão a poucos dias do Natal, anunciou a polícia. O ataque foi perpetrado por dois …

Gravuras rupestres mostram que os cães ajudaram o Homem a sobreviver

Foram descobertas na Arábia Saudita gravuras rupestres que mostram que o Homem já caçava com cães há oito mil anos. Os cientistas continuam a tentar perceber quando e como é que começou a relação entre humanos …