Ter filhos torna as pessoas mais felizes (mas só depois de saírem de casa)

Vários estudos têm concluído que as pessoas sem filhos estão mais satisfeitas com as suas vidas do que aquelas que não os têm. Mas uma nova investigação constata que os pais e mães são mais felizes do que quem não tem filhos a partir do momento em que os rebentos deixam o ninho.

A maioria dos estudos nesta área tem sido feita com pais que ainda vivem com os seus filhos e, nestes casos, as conclusões têm apontado para um maior grau de satisfação destas pessoas, comparativamente com aquelas que não têm filhos, nomeadamente devido à falta de tempo livre, de sono e de dinheiro.

Mas uma nova pesquisa realizada na Universidade de Heidelberg na Alemanha decidiu debruçar-se sobre os pais cujos filhos já não vivem com eles, analisando dados de um inquérito que questionou 55 mil pessoas de 16 países europeus, com 50 anos ou mais, sobre o seu bem-estar emocional.

Os resultados publicados no jornal científico PLOS One revelam que estas pessoas cujos filhos já saíram de casa têm um maior grau de satisfação com as suas vidas e poucos sintomas de depressão, relativamente a pessoas da mesma idade sem filhos.

Estes dados sugerem que os filhos que não vivem com os pais são “importantes fornecedores de apoio social aos seus pais na velhice“, como apontam os autores do estudo.

O investigador que liderou a pesquisa, Christoph Becker, constata na New Scientist que quando saem de casa, os filhos acabam por “dar algo de volta” aos pais, como cuidadores e até apoiando-os financeiramente. Além disso, deixam de representar um fardo e de ser uma fonte de stress para os pais.

“O papel dos filhos como cuidadores, apoio financeiro ou, simplesmente, como contacto social pode superar os aspectos negativos da parentalidade”, realça Becker.

O investigador norte-americano Nicholas Wolfinger da Universidade de Utah, nos EUA, refere à New Scientist que neste país se verificam os mesmos resultados, depois de ter analisado dados relativos a 40 anos de um inquérito social.

Wolfinger alerta ainda que se os pais não quiserem esperar que os filhos saiam de casa para serem mais felizes, devem mudar-se para países como Portugal, Noruega e Suécia, onde há melhores apoios sociais na parentalidade, designadamente licença parental remunerada e abonos de família. Um estudo de 2016 concluiu que nestes países, as pessoas com filhos em casa são ligeiramente mais felizes do que as que não têm filhos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Após a foto tem um erro no texto:
    Vários estudos têm concluído que as pessoas ***sem*** filhos estão mais satisfeitas com as suas vidas do que aquelas que não os têm
    Acho que seriam pessoas *COM* filhos

RESPONDER

Os tigres estão em risco e podem precisar de um "resgate genético"

Os tigres estão sob ameaça e um novo estudo sugere que estes felinos podem precisar de um "resgate genético". O acasalamento entre diferentes subespécies é uma opção. Fragmentação do habitat, conflito entre humanos e vida selvagem, …

Há estranhas nuvens que brilham à noite (e já sabe o que são)

Uma equipa de cientistas usou um pequeno foguete lançado pela NASA para estudar a natureza de um tipo indescritível de nuvens que brilham no escuro, criando uma artificialmente. Desde o final dos anos 1800 que …

Eis o primeiro enxame de (pequenos) buracos negros num aglomerado globular

Uma equipa de cientistas, que esperava encontrar um buraco negro de massa intermédia no coração do aglomerado globular NGC 6397, encontrou, em vez disso, evidências de uma concentração de buracos negros mais pequenos. Por vezes, na ciência, …

Ruth, a "humana digital" da Nestlé ensina como fazer as bolachas perfeitas

Graças à Inteligência Artificial, nasceu Ruth, um "humano digital" da Nestlé que interage connosco e nos ajuda a fazer as melhores bolachas com pepitas de chocolate. A internet é o maior livro de receitas a que …

“Ditador egoísta e despótico”. Margaret Tatcher comparou Saddam Hussein a Hitler após ataque ao Kuwait

Documentos do início da Guerra do Golfo revelam que a antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher comparou Saddam Hussein a Adolf Hitler após a invasão do Kuwait pelo ditador iraquiano. De acordo com os documentos anteriormente confidenciais …

Cientistas criam "televisão" ultravioleta para animais (que nos vai ajudar a entendê-los melhor)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Queensland, na Austrália, desenvolveu uma "televisão" ultravioleta para ajudar os especialistas a entender melhor a forma como os animais veem o mundo. Os monitores de televisões ou computadores têm …

Watakano, a “ilha da prostituição” que teve o seu auge nos anos 80, está agora vazia

Conhecida como “ilha da prostituição”, Watakano já foi considera um pequeno paraíso sexual. No seu auge, do final dos anos 70 a meados dos anos 80, homens faziam um curta viagem de barco até ao …

Deputado norte-americano quer banir GTA 5 e outros jogos violentos. Tudo para diminuir roubos de carros

O deputado norte-americano Marcus Evans quer proibir a venda de videojogos violentos que promovam atividades criminosas, como o GTA 5, face ao aumento dos roubos de automóveis em Chicago e um pouco por todo o …

Estudante projetou um casaco que se transforma num saco-cama para os sem-abrigo. E deu-lhes um emprego

Nos Estados Unidos, há pelo menos 567.715 pessoas que vivem nas ruas. Embora há quem vire as costas a essas estas, também há quem esteja disposto a fazer tudo para ajudar os necessitados e tirá-los …

Um livro e uma reclusa-mediterrânica. Aranhas venenosas obrigam a encerramento temporário de biblioteca nos EUA

Aranhas venenosas da espécie reclusa-mediterrânica apareceram na cave de uma biblioteca na Universidade do Michigan, nos Estados Unidos. Os funcionários de uma biblioteca da Universidade do Michigan, nos Estados Unidos, foram obrigados a encerrar temporariamente o …