A Teoria-M pode ser a “teoria de tudo”

ntnu-trondheim / Flickr

O físico Stephen Hawking

Desde a formulação da teoria geral da relatividade de 1915, todo físico teórico sonha unir o conhecimento que temos dos minúsculos átomos com a enorme escala do cosmos.

Enquanto que o cosmos é descrito com eficiência pelas equações de Einstein, os átomos são previstos pelo modelo padrão de interações fundamentais.

O entendimento atual é que a interação entre objetos físicos é descrito por quatro forças fundamentais. Duas delas – gravidade e eletromagnetismo – são relevantes para nós a um nível macroscópico. Já as outras duas, as chamadas interações fortes e fracas, atuam numa escala muito pequena e são relevantes apenas quando lidamos com processos subatómicos.

O modelo padrão de interações fundamentais inclui três dessas forças, mas exclui a gravidade. Apesar de funcionar bem para explicar fenómenos em grande escala, como uma órbita de um planeta, a relatividade geral não funciona bem em pequenas distâncias.

Neste modelo, todas as forças são mediadas por partículas específicas. Na gravidade, a partícula chamada gravitão faz esse serviço. Mas quando tentamos calcular como esses gravitões interagem, os resultados são infinitos.

Uma teoria da gravidade consistente deveria ser válida em qualquer escala, e também levar em consideração a natureza quântica das partículas fundamentais. Isso colocaria a gravidade com as outras três interações fundamentais, resultando na tão sonhada teoria de tudo. Claro que desde a morte de Einstein em 1955 muito progresso foi feito, e hoje a melhor candidata a este papel é a Teoria-M.

Para entender a base da Teoria-M, temos que retornar à década de 1970, quando os cientistas perceberam que em vez de descrever o universo com base em partículas, poderíamos descrevê-lo com base em pequenas cordas que oscilam. Essas “cordinhas” são tubos de energia.

Este novo modo de pensar sobre a natureza resolveu muitos problemas teóricos. Acima de tudo, uma oscilação particular da corda poderia ser interpretada como um gravitão. E ao contrário da teoria da gravidade, a teoria das cordas pode descrever interações matematicamente sem resultados infinitos.

Depois da descoberta empolgante, físicos teóricos estudaram as consequências dessa ideia. A teoria das cordas, porém, tem os seus altos e baixos. No início, trouxe confusão porque previa a existência de uma partícula que viaja mais rápido que a luz, chamada taquião. Essa previsão contrastava com todas as observações experimentais e trouxe sérias dúvidas em relação à teoria das cordas.

Mesmo assim, este problema foi resolvido no início da década de 1980 com a introdução de algo chamado de supersimetria, que prevê que toda a partícula tem um superparceiro e, por coincidência enorme, a mesma condição que elimina o taquião. Essa solução foi chamada de primeira revolução das cordas.

Outra característica da teoria é que necessita de dez dimensões tempo-espaço. Até agora, conhecemos apenas quatro: profundidade, altura, largura e tempo. Apesar disso parecer um grande obstáculo, várias soluções foram propostas e atualmente isso é considerada um diferencial, não um problema.

Uma dessas possíveis soluções é que o nosso universo seria apenas um entre vários num multiverso infinito, governado por diferentes leis da física. A outra solução propõe que essas dimensões seriam tão compactas que não somos capazes de senti-las.

Mas há também um outro problema que incomodava os teóricos da época. Uma classificação cuidadosa mostrou a existência de cinco teorias da corda diferentes, e não ficou claro porque a natureza escolheria uma entre as cinco.

É aí que a Teoria-M entra em jogo. Durante a segunda revolução das cordas, em 1995, os físicos propuseram que cinco teorias das cordas diferentes seriam na verdade apenas faces diferentes de uma teoria única que existe em 11 dimensões tempo-espaço, chamada Teoria-M. Isso tem levado físicos teóricos a acreditar que a Teoria-M seja a teoria de tudo.

Mesmo assim, a Teoria-M tem encontrado dificuldades em produzir previsões que possam ser testadas em experiências. A supersimetria está a passar por testes no Grande Colisor de Hadron (fonteira franco-suíça). Se forem encontradas provas de super-parceiros, a teoria será fortalecida.

A maior parte dos físicos e cosmólogos são movidos pela vontade de encontrar uma descrição simples do universo que pode explicar tudo. Ainda não chegamos lá, mas não teríamos hipótese sem mentes brilhantes como a de Stephen Hawking.

PARTILHAR

RESPONDER

Médicos estrangeiros em Portugal atingem o valor mais alto da última década

O número de médicos estrangeiros registados em Portugal atingiu, em 2019, o valor mais elevado da última década, situando-se em 4192, mais 9,1% face a 2009, revelam dados da Ordem dos Médicos (OM). A maioria dos …

O único carro-avião do mundo vai ser vendido em leilão

O Taylor Aerocar, aquele que é o único carro-avião legalizado em todo o mundo, vai a leilão no início do próximo ano. Este modelo da marca data do ano de 1954. Se é um apaixonado por …

Marcha pelo Clima. Polícia espanhola deteve duas pessoas com facas e martelos

A Polícia Nacional de Espanha deteve, na sexta-feira, duas pessoas que pretendiam perturbar a manifestação pelo clima em Madrid, tendo apreendido vários materiais, como facas e martelos. Um homem e uma mulher foram detidos e enviados …

Reflexão, ritual ou mundo idealizado. Um Natal sem filmes, não é Natal

Se é daquelas pessoas que passa a noite da Natal com uma chávena na mão, meias nos pés e um filme na televisão, saiba que não está sozinho. Nesta altura do ano, os filmes tornam-se …

Musk ilibado depois de ter chamado "pedófilo" a mergulhador no resgate da gruta da Tailândia

O magnata fundador da Tesla, Elon Musk, foi absolvido na sexta-feira no processo por difamação movido pelo espeleólogo britânico Vernon Unsworth, que alegava ter sido chamado de pedófilo. Após cerca de uma hora de deliberações, o …

Luzes nas redes de pesca? Os golfinhos e as tartarugas agradecem

A implementação de luzes nas redes de pesca reduz a probabilidade de tartarugas marinhas e de golfinhos serem apanhados por acidente. Luzes LED nas redes de pesca eliminariam a "captura acidental" de tartarugas marinhas em mais …

Presidente da República passa o fim de ano na ilha do Corvo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro na ilha do Corvo, nos Açores, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano …

O calor extremo está a fazer com que os bebés nasçam mais cedo

Investigadores descobriram que o calor extremo faz com que os bebés nasçam mais cedo. Tal como quase tudo neste mundo, as coisas só vão piorar com as alterações climáticas. Segundo o Science Alert, os dois investigadores …

Empresa está a contratar uma pessoa que será paga para usar pijamas e dormir

Um start-up de colchões da Índia, que se descreve como uma "empresa de soluções para dormir" está a contratar alguém que será pago apenas para fazer isso mesmo. O objetivo é testar os seus produtos de …

O primeiro local funerário de compostagem humana do mundo abre em 2021

Prevê-se que a primeira instalação funerária de compostagem humana do mundo abra na primavera de 2021, depois de os legisladores do Estado de Washington terem legalizado o processo póstumo no início do ano. A empresa Recompose, …