Supremo nega recurso a João Rendeiro e confirma pena de prisão efetiva

Mário Cruz / Lusa

João Rendeiro (ao centro) durante o julgamento do caso BPP

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) negou o recurso interposto pelo antigo presidente do BPP, mantendo a pena de cinco anos e oito meses de prisão efetiva por vários crimes de falsidade informática e falsificação de documentos.

No acórdão do STJ a que a agência Lusa teve acesso, os juízes conselheiros decidiram “conhecer” do recurso apresentado por João Rendeiro “apenas relativamente à determinação da pena única resultante do cúmulo jurídico das penas parcelares aplicadas, negando provimento ao mesmo” e confirmando o acórdão do Tribunal da Relação “rejeitando-se o recurso do mesmo, porque inadmissível, no que às demais questões por ele suscitadas diz respeito”.

Recorde-se que, no ano passado, o Tribunal da Relação tinha rejeitado um recurso apresentado pelo antigo presidente do BPP, tendo-lhe agravado a pena aplicada pelo tribunal de primeira instância em oito meses e passando-a de suspensa a efetiva.



O mesmo acórdão do STJ recusou também o recurso apresentado pelo ex-administrador do Banco Privado Português (BPP), Paulo Guichard, por “ser quanto a ele irrecorrível a decisão proferida pelo Tribunal da Relação”.

Também Paulo Guichard tinha visto o Tribunal da Relação negar-lhe os recursos da decisão condenatória de primeira instância e agravar-lhe em mais cinco meses, passando-a para quatro anos e oito meses de prisão efetiva.

O ex-administrador foi também condenado por falsidade informática e falsificação de documentos, crimes praticados em coautoria.

Neste processo foram ainda condenados os ex-administradores do BPP, Salvador Fezas Vital e Paulo Lopes, pelos mesmos crimes a, respetivamente, três anos e seis meses de prisão (com pena suspensa se pagar 15 mil euros à associação Cais) e a um ano e nove meses de prisão com pena suspensa. Estes dois ex-administradores não apresentaram recurso para o Supremo Tribunal de Justiça.

O processo estava relacionado com a adulteração da contabilidade do BPP, envolvendo uma verba a rondar os 40 milhões de euros, e o tribunal de primeira instância considerou que os arguidos agiram com dolo direto e que João Rendeiro, Paulo Guichard e Fezas Vital tinham perfeito conhecimento da ocultação de dados ao Banco de Portugal.

Segundo o jornal online Observador, depois desta decisão do Supremo Tribunal de Justiça, já só resta a Rendeiro e a Guichard um recurso para o Tribunal Constitucional para evitar as suas detenções.

O colapso do BPP, banco vocacionado para a gestão de fortunas, verificou-se em 2010, já depois do caso BPN e antecedendo outros escândalos na banca portuguesa.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal permite entrada de turistas de quase toda a Europa (e não apenas do Reino Unido)

Na sexta-feira, fonte governamental revelou que as viagens não essenciais de e para o Reino Unido vão ser permitidas a partir de segunda-feira, bastando apresentar um teste negativo para a covid-19 realizado nas 72 horas …

FC Porto "pesca" em Paços de Ferreira. Há dois reforços a caminho do Dragão

O FC Porto já prepara a próxima época e há dois jogadores do Paços de Ferreira na órbita do Dragão. Bruno Costa e Eustáquio, a dupla que brilhou no meio-campo dos pacenses nesta temporada, vão …

Para já só 180 trabalhadores aceitaram acordo com a TAP. Discórdia pode levar a despedimento coletivo

A TAP já chegou a acordo com 180 pessoas na última fase do programa de medidas voluntárias. A expectativa da companhia é que saiam cerca de 500 trabalhadores, que se irão juntar às adesões contabilizadas …

Número de nascimentos em janeiro e fevereiro foi o mais baixo desde que há registos

Janeiro e fevereiro de 2021 tiveram os números mensais de nascimentos mais baixos desde que há registos, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE). Em janeiro nasceram com vida 5912 crianças (menos 19,3% que em janeiro …

China pousa pela primeira vez uma nave em Marte

A China anunciou este sábado que pousou com sucesso a sua primeira nave espacial na superfície de Marte, avançou a agência estatal Xinhua citando a Administração Espacial Nacional da China. Ao pousar na planície Utopia, no …

Garrafas de água, sumo e latas de cerveja podem vir a ter uma taxa até 15 cêntimos

O preço de embalagens de água, sumos ou cerveja vai passar, em 2023, a vir acompanhado de uma taxa de depósito. O valor da tara deve variar entre os 5 e os 15 cêntimos. Como noticia …

Banco Montepio passa de lucros a prejuízos de 15,9 milhões no primeiro trimestre

O Banco Montepio registou prejuízos de 15,9 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano em comparação com lucros de 5,4 milhões no mesmo período do ano passado, foi divulgado esta sexta-feira ao mercado. De acordo …

Aviso da PSP a negar festejos em Alvalade andou “perdido” na CML. Medina sacode responsabilidades

O Sindicato dos Oficiais da PSP garante que município foi “redundantemente alertado” para entendimento de que devia ser recusada colocação de ecrãs gigantes junto a Alvalade. Contudo, a autarquia diz não ter informado os promotores …

Metrópole no Camboja medieval. Estudo mostra quantas pessoas viveram no Império de Angkor

Um novo estudo arqueológico mostra quantas pessoas viveram no antigo Império de Angkor ao longo do tempo. A população era comparável à da Roma antiga. Quão grandes eram as antigas cidades? No seu auge, há cerca …

Prazo para limpar terrenos termina hoje. Proprietários voltam a arriscar coimas

O prazo para a limpeza de terrenos florestais termina hoje, após ter sido prorrogado devido à pandemia e às condições climatéricas, pelo que os proprietários em incumprimento ficam sujeitos a contraordenações, com coimas entre 280 …