Sul-africano cruza o Atlântico com um remo sobre uma prancha adaptada

(dr) Chris Bertish

Chris Bertish cruza o Atlântico

Chris Bertish cruza o Atlântico

Chama Chris Bertish, tem 42 anos e acabou de fazer história: cruzou sozinho o oceano Atlântico numa prancha de stand-up paddle adaptada.

O sul-africano Chris Bertish completou a proeza esta quinta-feira, depois de passar 93 dias em mar aberto, percorrendo 4,5 mil milhas náuticas (cerca de 7,5 mil quilómetros) com a ajuda de uma prancha e um remo.

A viagem começou no dia 6 de dezembro do ano passado, quando Bertish deixou o porto de Agadir, no Marrocos. A sua localização foi monitorizada por satélite durante toda a travessia, que incluiu uma passagem nas margens das Ilhas Canárias espanholas antes de entrar no Atlântico.

Na manhã desta quinta-feira, Bertish avistou terra firme e desembarcou na Ilha de Antígua, do país caribenho Antígua e Barbuda.

No trajecto, Bertish bateu um novo recorde: o de maior distância percorrida por uma pessoa sem ajuda em mar aberto – 71,96 milhas (cerca de 115 quilómetros).

Conhecido por surfar ondas gigantes, Chris Bertish pratica a modalidade de travessia em stand-up paddle, em que o atleta rema de pé sobre uma prancha.

“Quanto mais tempo puder passar no oceano, não importa em que modalidade, melhor. Sou um homem da água e o oceano é a minha inspiração. É onde eu realmente me sinto vivo, à vontade, feliz, e livre”, diz.

Bertish usou uma prancha com um pequeno compartimento na parte da frente, onde podia abrigar-se para descansar, nos momentos de mau tempo, e à noite. A prancha foi projetada sob medida para ajudar o sul-africano a manter a direcção, apesar das altas ondas do mar aberto.

A prancha tem dois painéis solares que abastecem o equipamento eletrónico que permitiu a Bertish usar o GPS, além de um rádio, um telefone via satélite, um computador, um radar e alguns outros dispositivos.

Este equipamento permitiu a Bertish partilhar no Facebook várias fotos da sua jornada, durante a qual houve dias de sol e dias de tempestade, navios e até um tubarão.

Chris Bertish na sua prancha

Chris Bertish na sua prancha

Bertish tinha também um compartimento para armazenar água e comida, além de suprimentos de emergência, que lhe permitiram sobreviver mais de 50 dias em alto-mar. Em várias ocasiões, as condições meteorológicas obrigaram-no a retroceder, mas Bertish nunca desistiu.

A viagem também serviu para que o sul-africano ganhasse 400 mil dólares em patrocínios, que serão destinados a instituições de caridade, conforme explica no seu site. Bertish espera construir cinco escolas na África do Sul, criar um fundo para alimentar crianças e outro fundo para custear cirurgias infantis de lábio leporino.

// BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Fundação Champalimaud anuncia prémio de um milhão de euros para erradicar o cancro

A Fundação Champalimaud anunciou, esta segunda-feira, um prémio de um milhão de euros a atribuir anualmente, e sem limite temporal, vocacionado para a "erradicação do cancro". O prémio é atribuído em parceria com o casal de …

A maior lixeira da China ficou cheia 25 anos antes do previsto

O maior depósito de lixo da China, Jiangcungou, na cidade de Xi'an, já está cheio, 25 anos antes da altura prevista. O aterro tinha sido preparado para receber 2500 toneladas de resíduos por dia. Porém, de …

Cigarros eletrónicos podem prejudicar o coração mais do que os cigarros comuns

Há muito que está provado que fumar é uma das principais causas de mortes por doenças cardíacas. Agora, há evidências crescentes de que os cigarros eletrónicos podem causar danos ao coração. Em dois estudos que serão …

Sindicato dos Magistrados acusa Conselho Superior de fazer escolhas pessoais

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) acusou, esta segunda-feira, o Conselho Superior do Ministério Público de escolher os procuradores para os departamentos mais importantes da investigação criminal por preferências pessoais. Em comunicado, o Sindicato …

Esta empresa está a produzir "carne" feita de ar

Enquanto várias startups estão a vender "carne" feita de plantas, a Air Protein, uma empresa sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, está a criar carne feita de ar. A ideia não é nova, uma vez que …

Autoridade da Concorrência faz buscas em cinco empresas de vigilância privada

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou, esta segunda-feira, que realizou diligências de busca e apreensão em cinco empresas do setor da vigilância privada, no distrito de Lisboa, "por suspeitas de práticas anticoncorrenciais lesivas do normal …

"Breaking Bad" da vida real. Dois professores de Química acusados de produzir metanfetamina

Dois professores universitários de Química do estado do Arkansas, nos Estados Unidos, foram detidos no domingo por suspeitas de produzirem metanfetaminas. O caso tem atraído atenção mediática por se parecer inspirar no enredo da série …

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …