O último (e mais avançado) submarino dos nazis foi encontrado na Dinamarca

(dv) Armada Argentina / EFE / EPA

Um raro submarino, que terá sido usado numa misteriosa operação de fuga de nazis de alto escalão, foi descoberto perto da Dinamarca.

Os restos de um raro submarino alemão, muito avançado para a tecnologia marítima daquele tempo, foram encontrados na área de Skagerrak, perto da costa da Dinamarca, como resultado do trabalho do Museu de Guerra Naval da Jutlândia para mapear, e eventualmente retirar, destroços marítimos no mar do Norte, reporta a TV2.

O submarino alemão U-3523 foi afundado por um bombardeiro britânico B-24 Liberator a 6 de maio de 1945, o dia em que as Forças Aliadas libertaram a Dinamarca da ocupação nazi. Todos os 58 tripulantes morreram.

“Este era um submarino muito especial. Foi o submarino mais avançado que os alemães construíram durante a Segunda Guerra Mundial. Elra muito moderno e estava muito à frente do seu tempo”, disse Gert Normann Andersen, curador do museu da Jutlândia.

Segundo o diretor, apenas dois dos 118 submarinos que foram encomendados pelo comando nazi entraram em serviço.

Atualmente existe apenas um exemplar preservado dessa classe de submarinos, que está em exposição no Museu Marítimo Alemão em Bremerhaven, na Alemanha, que foi uma das principais bases alemãs de submarinos durante a Segunda Guerra Mundial e que continua a ser um dos principais portos comerciais do país.

De acordo com Andersen, o submarino já tinha sido utilizado como navio de treino em Wilhelmshaven, outra importante base naval nazi, mas acredita-se que também tivesse sido usado numa missão secreta impedida pelo bombardeiro britânico.

O desaparecimento do U-3523 tem estado envolto em rumores sobre alguns dos principais personagens nazi que tentavam escapar para a América do Sul com fortunas que consistiam em ouro e preciosas obras de arte. Esses rumores continuam a circular ainda hoje por falta de provas conclusivas.

Apesar do U-3523 lançar alguma luz sobre esse enigma da fuga nazi, o Museu de Guerra Naval não tem planos para retirar o submarino que atualmente repousa em segurança a uma profundidade de 123 metros.

“Ninguém tem permissão para recuperar o submarino. Por isso, deveriam ser as próprias autoridades alemãs a dizer que gostariam que fosse recuperado e examinado“, afirma o curador.

O U-3523 diesel-elétrico foi encomendado em novembro de 1943, concluído em dezembro de 1944 e entrou em serviço em janeiro de 1945. Ttinha uma velocidade máxima à superfície de 30 quilómetros por hora e podia operar com motores silenciosos devido a técnicas inovadoras de engenharia. Com uma tripulação de cinco oficiais e cerca de 50 praças, poderia viajar de até 28.000 quilómetros.

Produzido prematuramente e com defeitos significativos, a série continha algumas soluções revolucionárias, sendo o primeiro submarino a operar sobretudo submerso. Apesar de nunca ter sido usado em combate real devido a falhas, o submarino podia passar vários dias submerso.

O Museu da Jutlândia está em processo de realizar uma grande varredura do fundo do mar à pocura de naufrágios no mar do Norte. Até agora, foram encontrados 450 destroços, dos quais 12 submarinos, três britânicos e nove alemães.

ZAP // Euronews / Sputnik

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação, no âmbito do concurso externo imposto ao Estado pela União Europeia. Mais de 800 professores passaram a integrar os quadros do Ministério da Educação através …

Após saída do primeiro-ministro, Macron faz remodelação governamental e muda ministros-chave

O Presidente francês Emmanuel Macron aproveitou a mudança de primeiro-ministro para levar a cabo uma profunda remodelação do seu Governo. Anunciada na segunda-feira, a grande mudança é o novo ministro do Interior, Gérald Darmanin, até …

Marcelo promete ir todas as semanas ao Algarve para "puxar pelo turismo"

O Presidente da República disse esta segunda-feira, no Algarve, que é necessário “olhar para a frente e lutar” para o turismo na região superar as perdas causadas pela exclusão de Portugal do corredor aéreo com …

Portugal sabe a 27 de julho se entra nos corredores aéreos do Reino Unido

A reavaliação da lista de países isentos de quarentena nas chegadas ao Reino Unido, da qual Portugal foi excluído devido aos surtos de covid-19, vai ser feita a 27 de julho, revelou esta segunda-feira o …

Efacec. Estado não vai assumir a dívida de Isabel dos Santos aos bancos

O Conselho de Ministros português aprovou, na quinta-feira, a nacionalização de 71,73% do capital social da Efacec, pertencentes à empresária angolana Isabel dos Santos. Pedro Siza Vieira, ministro da Economia, defendeu esta terça-feira que o Estado …

China confirma caso de peste negra e anuncia mais um suspeito. É uma jovem de 15 anos

O caso suspeito de peste bubónica na região autónoma da Mongólia Interior já foi confirmado pela China, avança esta terça-feira a emissora britânica BBC, que dá ainda conta de um novo caso em análise. O …

Portugal regista mais nove mortes e 287 novos casos

Portugal regista, esta terça-feira, mais nove mortos de 287 novos casos de infeção por covid-19. Dos 287 novos casos, 207 foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo. De acordo com o boletim epidemiológico …

Portugal vai apoiar Nadia Calviño para substituir Centeno no Eurogrupo

O primeiro-ministro, António Costa, revelou esta segunda-feira que Portugal vai apoiar a candidatura da ministra espanhola Nadia Calviño à presidência do Eurogrupo, cargo atualmente ocupado por Mário Centeno em fim de mandato. Tal como escreve o …

Universidade do Minho volta a ter praxe presencial em julho

O Cabido de Cardeais, o grupo que gere as ações da praxe na Universidade do Minho (UM), anunciou esta segunda-feira que as praxes presenciais voltam ao estabelecimento de ensino durante "todo o mês de julho".  Em …

Afinal, Medina não quer acabar com a "galinha dos ovos de ouro" de Lisboa

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, não pretende, afinal, acabar com o AirBnB na capital. A ideia surgiu no título de um artigo do jornal inglês The Independent, mas está errada. A correcção …