Software de espionagem para “descobrir se o seu filho é homossexual” gera polémica

Uma empresa gerou polémica em França por oferecer um software de espionagem invisível que poderia ser usado pelos utilizadores para descobrir, entre outras coisas, se os filhos são homossexuais.

No site oficial, a empresa Fireworld sugeriu “pistas” que justificariam as suspeitas dos pais sobre a homossexualidade dos filhos e anunciou que o software poderia “hackear o Facebook [dos jovens]” e observar se estes visitavam sites direcionados ao público gay.

No texto, que nunca fez referência à homossexualidade feminina, a empresa defendia que a “família é fundamental”. “É por isso que a orientação sexual das suas crianças, diretamente responsáveis pela continuação da sua família, é muito importante para si”.

Entre as “pistas” referidas pela empresa estavam o facto de o jovem ser cuidadoso consigo mesmo, ser mais interessado na leitura e no teatro do que em futebol, ser tímido quando era criança, ter alguns tipos de piercings ou gostar de cantoras mulheres e “divas”.

Depois de ser denunciado por grupos LGBT, nomeadamente pela organização L’Amicale des Jeunes du Refuge, o texto foi apagado pela empresa.

A secretária de Estado para a Igualdade francesa, Marlène Schiappa, também reagiu à polémica, considerando que até a “homofobia e o sexismo têm raízes nos mesmos estereótipos de género”. “Vamos lutar contra eles juntos”, escreveu no Twitter.

Em resposta à organização, a Fireworld escreveu que “o artigo tinha o único objetivo de melhorar a otimização do site para ferramentas de busca (SEO na sigla em inglês) e que nunca foi feito para ser lido por humanos”.

“Lamentamos não termos refletido sobre as consequências deste tipo de conteúdo“, escreveu a empresa por e-mail. “Pedimos as nossas mais sinceras desculpas a todos aqueles que se podem ter sentido ofendidos por este conteúdo”, acrescentou a empresa.

A instalação de softwares de espionagem para a monitorização de computadores de terceiros, sem consentimento, é ilegal em França mas, atualmente, há uma série de produtos no mercado que oferecem aos pais a possibilidade de ver o que os filhos fazem online.

A Fireworld aponta que os clientes devem seguir normas legais no uso dos seus produtos. No entanto, a empresa destaca que “instalar [o produto] para assegurar que os seus filhos não se estão a colocar em situações de perigo na Internet ou nas redes sociais aproxima-se do que é um ato legal”.

O software, chamado Fireworld Controller, oferecido em versão gratuita ou paga, permite a monitorização à distância de “até dez computadores diferentes”.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Trump obriga grupo chinês a vender operações do TikTok nos EUA

O Presidente norte-americano deu, na sexta-feira, 90 dias ao grupo chinês ByteDance para vender as suas operações do TikTok nos Estados Unidos, segundo um decreto presidencial assinado por Donald Trump. Trump tem acusado nos últimos meses, …

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …