//

Singapura inaugura central de energia solar flutuante com 122 mil painéis

1

No passado dia 14 de julho, a Singapura inaugurou uma das maiores centrais de energia solar do mundo – com a particularidade de ter sido construída dentro de água. O tamanho da superfície é equivalente a cerca de 45 campos de futebol.

De acordo com um comunicado, a central solar flutuante, que se situa no reservatório Tengeh, foi oficialmente inaugurada pela Sembcorp Industries e pela Agência Nacional de Água do país.

A central solar é composta por 122.000 painéis solares que abrangem 45 hectares, o que equivale aproximadamente ao tamanho de 45 campos de futebol.

O parque solar fotovoltaico (PV) de 60 megawatts de pico (MWp) é agora um dos maiores sistemas fotovoltaicos solares flutuantes operacionais do mundo.

A central foi implantada como parte da meta da Singapura de quadruplicar a capacidade de produzir energia solar até 2025. A ideia é ajudar o país a fazer a sua parte para enfrentar a crise climática global.

Já que o país não possui os recursos terrestres necessários para construir grandes centrais solares, sublinha o Interesting Engineering, optou por expandir os seus recursos dentro de água.

Apesar do seu tamanho relativamente pequeno, a Singapura é um próspero centro financeiro, tendo-se tornado num dos maiores emissores de dióxido de carbono per capita da Ásia, de acordo com um relatório da AFP.

O comunicado da Sembcorp Industries refere que a eletricidade gerada pela central solar será suficiente para abastecer as cinco centrais de tratamento de água locais de Singapura, o que compensaria aproximadamente 7% das necessidades anuais de energia da Agência Nacional de Água.

Segundo o mesmo comunicado, esta ação equivale a retirar cerca de 7.000 carros das estradas e reduzir as emissões de carbono em cerca de 32 quilo toneladas por ano.

Em fevereiro, o governo da Singapura anunciou um “Plano Verde” que prevê a plantação de árvores, a redução do volume de resíduos enviados aos aterros e o aumento do número de postos de recarga para carros elétricos.

Também planeia quadruplicar a produção de energia solar, até alcançar 2% do consumo em 2025 e 3% em 2030, o que equivale às necessidades de 350 mil casas por ano.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.