Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou França a derrotar os nazis

Facebook

Simone Segouin

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país.

Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, como parte da Resistência Francesa, a jovem recebeu uma educação diferente das outras meninas da sua idade. Segouin aprendeu a empunhar metralhadoras, descarrilar comboios, e mais tarde matou e capturou nazis, acabando por libertar a sua cidade natal.

Apesar de os livros de história estarem carregados de informações sobre a Segunda Guerra Mundial e os avanços nazis na Europa, os feitos de Segouin e dos seus camaradas não foram oficialmente registados.



Se não fosse a edição de setembro de 1944 da revista LIFE, nenhuma das suas contribuições para o esforço de guerra teria sido lembrada, escreve o ATI.

A imagem da francesa a empunhar uma metralhadora dos alemães correu mundo graças a George Stevens, produtor de Hollywood na época alistado no exército americano.

Simone Segouin, ou melhor, Nicole Minet

Nascida a 3 de outubro de 1925, em Thivars, França, Segouin cresceu nos arredores de Chartres, a cerca de 80 quilómetros de Paris. A jovem foi criada em grande parte pelo pai, um condecorado veterano da Primeira Guerra Mundial.

Com a ascensão do fascismo na Europa e uma economia volátil, Segouin foi educada para se proteger a si aos seus três irmãos.

Quando Adolf Hitler assumiu o poder em 1933, Segouin tinha oito anos. Contudo, quando a Alemanha invadiu França, a família da jovem viu-se obrigada a abandonar a cidade onde viviam e acabou por abandonar a escola para sempre.

Em 1943, aos 17 anos, Segouin conheceu o tenente Roland Boursier, um ex-engenheiro que recrutava jovens para se juntarem à Resistência Francesa contra Hitler.

Rapidamente Segouin comprometeu-se a ajudar Boursier. O responsável ensinou-a a operar uma sub metralhadora alemã, Schmeisser MP-40, e atribui-lhe uma entidade falsa, passando a chamar-se Nicole Minet.

Contribuições históricas

Com o nome Nicole Minet, a jovem conseguiu lutar contra os alemães sem pôr em risco a sua família. Os novos documentos diziam que era de Dunquerque, que tinha acabado de ser bombardeada, tornando difícil de os verificar.

Com um novo nome de guerra e treino com armas no seu currículo, o trabalho de Segouin contra os nazis estava pronto a iniciar-se.

A sua primeira tarefa foi roubar a bicicleta de um administrador alemão. As bicicletas eram a forma mais comum de as pessoas se locomoverem na França ocupada pelos nazis, já que estes reivindicaram todos os carros e os transportes públicos foram praticamente encerrados. Com uma bicicleta, Segouin podia viajar livremente.

O novo veículo também lhe permitiu entregar com eficiência mensagens de esconderijos, que o grupo estabeleceu na cidade. A própria casa de Segouin tornou-se um centro para discutir as operações.

Nesta altura, o seu trabalho e dedicação começaram a ser notados, mas ainda havia muito a fazer.

Durante um acampamento à beira de uma estrada, em 14 de julho de 1944, a jovem e dois dos seus camaradas avistaram dois soldados nazistas que se aproximaram em bicicletas. Segouin e os companheiros não hesitaram e acabaram por matar os invasores. A sua coragem e sangue frio acabaram por marcar a sua participação na guerra.

Posteriormente, Segouin recebeu a Croix de Guerre, uma homenagem francesa, pela sua ajuda na libertação de Paris, dois dias após a libertação de Chartres.

Os últimos anos de Segouin foram menos perigosos, embora o seu serviço nunca tenha cessado.

A jovem nunca casou com o grande amor dos tempos da resistência, Roland Boursier, mas tiveram seis filhos. Graças a figuras femininas como esta, o general De Gaulle não hesitou em dar o voto às francesas assim que a Segunda Guerra Mundial terminou.

Em 2016, Segouin também foi reconhecida pela organização de caridade britânica Soldiering On. Na época, a francesa vivia num asilo de idosos e aceitou a homenagem, relembrando a libertação de Paris.

No ano passado, o jornal britânico Daily Mail descobriu Simone com a viver em Courville-sur-Eure, onde deram o seu o nome a uma rua.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …