Shakhtar D. 2-1 Benfica | “Águia” perde mas sai viva

 

Sergey Dolzhenko / EPA

Ainda não foi esta quinta-feira que o Benfica regressou à senda dos bons resultados. Na visita a Kharkiv, casa emprestada do Shakhtar Donetsk, os campeões nacionais perderam por 2-1.

Os três golos nasceram todos na etapa final: Alan Patrick abriu a contagem, Pizzi empatou e Kovalenko, aproveitando um “brinde” de Rúben Dias, decretou o resultado final desta primeira mão dos 16- avos-de-final da Liga Europa. O “esquadrão” de Bruno Lage não vence há quatro partidas consecutivas, depois do desaire ante o FC Porto, do empate frente ao Famalicão e da derrota na recepção ao Braga, voltou a escorregar, mantendo, ainda assim, tudo em aberto para a segunda mão.



O jogo explicado em números

  • Em relação ao duelo ante o SC Braga (0-1), Bruno Lage promoveu três alterações no “onze” das “águias”, saíram Weigl (castigado), Rafa Silva e Carlos Vinícius, ambos por opção, e entraram Florentino, Chiquinho e Seferovic, respectivamente.
  • Mais iniciativa para a equipa de Luís Castro na fase inicial do encontro. Os ucranianos tinham mais posse de bola (54%) e remates, dois contra nenhum das “águias”, que apenas levavam vantagem no número de cantos – três para zero, todos nascidos em acções construídas no lado direito (62%).
  • Aos 20 minutos o Shakhtar Donetsk ainda marcou, mas o lance acabou por ser anulado por fora-de-jogo de Marlos. Aviso sério dos anfitriões, que começavam a apertar o último reduto “encarnado”. Quatro minutos volvidos, Kovalenko tirou Ferro do caminho e valeu a intervenção de Vlachodimos para canto.
  • À passagem da meia-hora de jogo os números consubstanciavam o domínio do Shakhtar, que sem forçar ia obrigando o Benfica – amorfo na pressão sempre que perdia a bola – a cometer alguns erros na primeira fase de construção. Dos cinco remates dos ucranianos, dois foram enquadrados. Já os “encarnados” tinham apenas um remate ao lado e 48% de posse de bola.
  • No melhor lance da equipa, à beira do intervalo, Cervi e Grimaldo “cozinharam” tudo na perfeição e Pizzi, à entrada da área, rematou e a bola passou próxima do poste esquerdo da baliza defendida por Pyatov. Foi o segundo tiro dos lisboetas, que não enquadraram nenhum dos dois remates que fizeram na primeira metade.
  • É certo que a equipa da casa teve mais acções ofensivas e conseguiu ter uma supremacia que durou cerca de dez minutos – entre os 20′ até aos 30′ -, período em que foi anulado um golo a Marlos por fora-de-jogo, no entanto o Benfica, com maior ou menos dificuldade, foi conseguindo aguentar o nulo. Nesta etapa, o melhor elemento no terreno de jogo era Kovalenko, com um GoalPoint Rating de 6.3. O médio ofensivo tinha no seu pecúlio dois remates, dois passes para finalização, dois passes falhados em 16 tentativas – eficácia de 88% – e 26 acções com a bola. Não obstante ter perdido a bola no golo anulado ao Shakhtar, Florentino tinha os números mais consistentes do lado “encarnado”. 
  • Logo a abrir as “hostilidades” na segunda parte, Júnior Moraes atirou na direcção do golo e Vlachodimos, sempre ele, foi gigante e travou o “míssil” do avançado. Isto em mais uma jogada em que faltou agressividade na pressão feita pelos elementos da zona central dos campeões nacionais. Aos 50′, Ismaily tirou Tomás Tavares com facilidade do caminho e atirou ao poste esquerdo. Ocasião importante dos ucranianos, que por centímetros não abriram a contagem. Na resposta, Grimaldo arriscou de fora da área e por muito pouco não foi feliz. Era a fase mais animada do encontro.
  • Ao minuto 55, Marlos atirou e o guarda-redes das “águias” voltou a ser protagonista. O Shakhtar tanto ameaçou que acabou por marcar, não surpreendido ninguém. Face à passividade “encarnada”, Marlos fez a bola chegar aos pés de Alan Patrick, que com um remate rasteiro e colocado em zona central abriu a contagem, naquele que foi o décimo tiro dos comandados de Luís Castro no duelo. 
  • Quando Bruno Lage preparava as entradas de Rafa e Carlos Vinícius, Tomás Tavares recebeu o passe Taarabt, picou a bola sobre Pyatov, a bola acabou por chegar a Cervi, que “serviu” o jovem lateral-direito, que iria empatar a contenda. No entanto, o lance foi anulado e assinalada grande penalidade a punir falta de Kryvtsov sobre Cervi. Na conversão da marca dos 11 metros, aos 66 minutos, Pizzi não tremeu e empatou o marcador no segundo remate enquadrado do Benfica. Foi o 23º tento do camisola 21 esta temporada em 36 partidas.
  • Em mais um erro defensivo, as “águias” foram punidas. Rúben Dias foi “macio” na abordagem a um lance, Taison passou a bola a Júnior Moraes que centrou e Kovalenko, sem oposição, atirou para o fundo das redes. Estava feito o 2-1 para o conjunto ucraniano.
  • Grimaldo, a culminar um lance bem gizado, desferiu uma bomba que foi travada por Pyatov, decorria o minuto 79. Apesar de a equipa ter subido no terreno, o Shakhtar foi conseguindo suster as incursões contrárias e chegará a Lisboa com uma vantagem de um golo. Tudo ficará decidido dentro de uma semana no palco do Estádio da Luz.

O melhor em campo GoalPoint

Brilhou na primeira parte e manteve a bitola na etapa complementar. Kovalenko foi o jogador mais preponderante do jogo desta quinta-feira e “arrebatou” o prémio de melhor em campo com um GoalPoint Rating de 6.8. Sempre esclarecido e com a “mira” apontada à baliza adversária, o médio de 24 anos, além do golo decisivo que apontou, realizou dois remates, criou dois passes para finalização, acertou quatro passes progressivos, teve 55 acções com a bola e seis recuperações de posse.

Jogadores em foco

  • Pizzi 6.7 – Marcou o golo que dá esperanças às “águias”. A actuar muitas vezes nas costas de Seferovic e em constantes trocas com Chiquinho, não falhou nenhum dos cinco passes longos tentados e ainda fez quatro passes progressivos, foi assertivo, não falhando nenhum dos três dribles que fez.
  • Vlachodimos 6.5 – “Odysaves”, “São Vlachodimos”. O guarda-redes grego voltou a destacar-se em mais uma partida pouco conseguida do emblema da Luz. Ao todo, conseguiu seis defesas e foi adiando as várias tentativas de golo contrárias com algumas intervenções de elevado grau de dificuldade.
  • Florentino 6.3 – É certo que falhou no golo anulado ao Shakhtar, mas conseguiu exibir-se a um bom nível: teve 94% de eficácia no capítulo do passe – 51 tentados e três falhados -, um passe progressivo, um longo, 74 acções com a bola, sete recuperações de bola, oito desarmes e cinco intercepções. O que leva a que não seja mais vezes utilizado? Só Bruno Lage saberá…
  • Alan Patrick 6.3 – Um remate, um golo, dois passes flagrantes para golo, 92% na eficácia do passe e sete recuperações de bola. Esteve envolvido em quase todos os momentos de perigo dos ucranianos.
  • Seferovic 4.7 – Não há registo de nenhuma acção ofensiva do avançado suíço, que voltou a ser uma sombra durante os 65 minutos em que esteve em campo. Não oferece linhas de passe aos colegas, esconde-se do jogo e é um alvo demasiado fácil para os adversários.
  • Rúben Dias 3.8 – Teve um erro de principiante e crasso que esteve na génese do golo de Kovalenko. Perdeu a bola em nove ocasiões e sofreu cinco desarmes. O defesa-central teve a pior nota entre todos os elementos que participaram no encontro. O único destaque positivo que teve foram os oito passes progressivos que alcançou.

Resumo

PARTILHAR

RESPONDER

Vídeo da TAP a contratar em Espanha gera revolta. Companhia já abriu inquérito disciplinar

Numa altura em que o cenário do despedimento colectivo na TAP está na agenda política nacional, há um vídeo que revela o director de Recursos Humanos da companhia numa acção de recrutamento de trabalhadores em …

Defesa alega que Salgado tem “lapsos de memória” e “desgaste físico e emocional”

Os advogados apresentam um apanhado do que chamam do perfil psicológico do arguido, bem como as condições físicas em que atualmente se encontra. A contestação conta com 191 páginas. Tendo em conta o escrutínio público a …

"Errar é humano". Rui Moreira defende Medina das críticas (mas garante que no Porto não aconteceria algo semelhante)

Depois de Fernando Medina se ver envolvido no casos dos dados dos ativistas russos, Rui Moreira vem defender o seu homólogo dizendo que este não deverá abandonar a autarquia lisboeta. Em entrevista à TVI24, o Presidente …

"Cena de Kafka ou de Orwell". Bielorrússia exibe Protasevich em conferência de imprensa

As autoridades bielorrussas exibiram, esta segunda-feira, o jornalista Roman Protasevich, numa conferência de imprensa descrita pela oposição como uma "cena kafkiana" e realizada sob "coação". Esta segunda-feira, Roman Protasevich esteve presente numa conferência de imprensa do …

Pipa conhece interesse do Sporting e não descarta transferência

Gonzalo Ávila Gordon, mais conhecido por Pipa, tem sido observado pelo Sporting CP como opção para concorrer pelo lugar de Pedro Porro. "Vi as notícias, sei que o Sporting é o campeão português e um grande …

Fatura da luz vai aumentar já no próximo mês

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou um aumento nos preços da luz para as cerca de 954 mil famílias que são abastecidas no mercado regulado. A revisão entra em vigor a 1 de julho …

Num dia "incrivelmente positivo", Biden lançou avisos a Putin e teve uma reunião "muito boa" com a Turquia

O presidente dos EUA, Joe Biden, considerou a cimeira da NATO, realizada esta segunda-feira em Bruxelas, um dia "incrivelmente positivo", naquela que foi a sua primeira deslocação internacional desde que tomou posse. Joe Biden destacou, durante …

Portugal enfrenta a Hungria à procura de retomar onde Éder nos deixou

A seleção portuguesa de futebol inicia esta terça-feira a defesa do título no Euro2020, com o objetivo de superar a Hungria, 'outsider' do Grupo F, em Budapeste, antes dos complicados embates frente às favoritas Alemanha …

Duarte Cordeiro admite que Lisboa corre o risco de recuar no desconfinamento

O coordenador para a covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo revelou, esta segunda-feira, que o concelho de Lisboa "já está acima do limite" de 240 casos por 100 mil habitantes. "Estamos a sentir um nível …

"Um completo fracasso". Paulo Sousa criticado após derrota no arranque do Euro

O jornal polaco Przeglad Sportowi classificou de "completo fracasso" o trabalho de Paulo Sousa na derrota da Polónia frente à Eslováquia no arranque do Euro2020. A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, entrou da pior …