Shakhtar D. 2-1 Benfica | “Águia” perde mas sai viva

 

Sergey Dolzhenko / EPA

Ainda não foi esta quinta-feira que o Benfica regressou à senda dos bons resultados. Na visita a Kharkiv, casa emprestada do Shakhtar Donetsk, os campeões nacionais perderam por 2-1.

Os três golos nasceram todos na etapa final: Alan Patrick abriu a contagem, Pizzi empatou e Kovalenko, aproveitando um “brinde” de Rúben Dias, decretou o resultado final desta primeira mão dos 16- avos-de-final da Liga Europa. O “esquadrão” de Bruno Lage não vence há quatro partidas consecutivas, depois do desaire ante o FC Porto, do empate frente ao Famalicão e da derrota na recepção ao Braga, voltou a escorregar, mantendo, ainda assim, tudo em aberto para a segunda mão.

O jogo explicado em números

  • Em relação ao duelo ante o SC Braga (0-1), Bruno Lage promoveu três alterações no “onze” das “águias”, saíram Weigl (castigado), Rafa Silva e Carlos Vinícius, ambos por opção, e entraram Florentino, Chiquinho e Seferovic, respectivamente.
  • Mais iniciativa para a equipa de Luís Castro na fase inicial do encontro. Os ucranianos tinham mais posse de bola (54%) e remates, dois contra nenhum das “águias”, que apenas levavam vantagem no número de cantos – três para zero, todos nascidos em acções construídas no lado direito (62%).
  • Aos 20 minutos o Shakhtar Donetsk ainda marcou, mas o lance acabou por ser anulado por fora-de-jogo de Marlos. Aviso sério dos anfitriões, que começavam a apertar o último reduto “encarnado”. Quatro minutos volvidos, Kovalenko tirou Ferro do caminho e valeu a intervenção de Vlachodimos para canto.
  • À passagem da meia-hora de jogo os números consubstanciavam o domínio do Shakhtar, que sem forçar ia obrigando o Benfica – amorfo na pressão sempre que perdia a bola – a cometer alguns erros na primeira fase de construção. Dos cinco remates dos ucranianos, dois foram enquadrados. Já os “encarnados” tinham apenas um remate ao lado e 48% de posse de bola.
  • No melhor lance da equipa, à beira do intervalo, Cervi e Grimaldo “cozinharam” tudo na perfeição e Pizzi, à entrada da área, rematou e a bola passou próxima do poste esquerdo da baliza defendida por Pyatov. Foi o segundo tiro dos lisboetas, que não enquadraram nenhum dos dois remates que fizeram na primeira metade.
  • É certo que a equipa da casa teve mais acções ofensivas e conseguiu ter uma supremacia que durou cerca de dez minutos – entre os 20′ até aos 30′ -, período em que foi anulado um golo a Marlos por fora-de-jogo, no entanto o Benfica, com maior ou menos dificuldade, foi conseguindo aguentar o nulo. Nesta etapa, o melhor elemento no terreno de jogo era Kovalenko, com um GoalPoint Rating de 6.3. O médio ofensivo tinha no seu pecúlio dois remates, dois passes para finalização, dois passes falhados em 16 tentativas – eficácia de 88% – e 26 acções com a bola. Não obstante ter perdido a bola no golo anulado ao Shakhtar, Florentino tinha os números mais consistentes do lado “encarnado”. 
  • Logo a abrir as “hostilidades” na segunda parte, Júnior Moraes atirou na direcção do golo e Vlachodimos, sempre ele, foi gigante e travou o “míssil” do avançado. Isto em mais uma jogada em que faltou agressividade na pressão feita pelos elementos da zona central dos campeões nacionais. Aos 50′, Ismaily tirou Tomás Tavares com facilidade do caminho e atirou ao poste esquerdo. Ocasião importante dos ucranianos, que por centímetros não abriram a contagem. Na resposta, Grimaldo arriscou de fora da área e por muito pouco não foi feliz. Era a fase mais animada do encontro.
  • Ao minuto 55, Marlos atirou e o guarda-redes das “águias” voltou a ser protagonista. O Shakhtar tanto ameaçou que acabou por marcar, não surpreendido ninguém. Face à passividade “encarnada”, Marlos fez a bola chegar aos pés de Alan Patrick, que com um remate rasteiro e colocado em zona central abriu a contagem, naquele que foi o décimo tiro dos comandados de Luís Castro no duelo. 
  • Quando Bruno Lage preparava as entradas de Rafa e Carlos Vinícius, Tomás Tavares recebeu o passe Taarabt, picou a bola sobre Pyatov, a bola acabou por chegar a Cervi, que “serviu” o jovem lateral-direito, que iria empatar a contenda. No entanto, o lance foi anulado e assinalada grande penalidade a punir falta de Kryvtsov sobre Cervi. Na conversão da marca dos 11 metros, aos 66 minutos, Pizzi não tremeu e empatou o marcador no segundo remate enquadrado do Benfica. Foi o 23º tento do camisola 21 esta temporada em 36 partidas.
  • Em mais um erro defensivo, as “águias” foram punidas. Rúben Dias foi “macio” na abordagem a um lance, Taison passou a bola a Júnior Moraes que centrou e Kovalenko, sem oposição, atirou para o fundo das redes. Estava feito o 2-1 para o conjunto ucraniano.
  • Grimaldo, a culminar um lance bem gizado, desferiu uma bomba que foi travada por Pyatov, decorria o minuto 79. Apesar de a equipa ter subido no terreno, o Shakhtar foi conseguindo suster as incursões contrárias e chegará a Lisboa com uma vantagem de um golo. Tudo ficará decidido dentro de uma semana no palco do Estádio da Luz.

O melhor em campo GoalPoint

Brilhou na primeira parte e manteve a bitola na etapa complementar. Kovalenko foi o jogador mais preponderante do jogo desta quinta-feira e “arrebatou” o prémio de melhor em campo com um GoalPoint Rating de 6.8. Sempre esclarecido e com a “mira” apontada à baliza adversária, o médio de 24 anos, além do golo decisivo que apontou, realizou dois remates, criou dois passes para finalização, acertou quatro passes progressivos, teve 55 acções com a bola e seis recuperações de posse.

Jogadores em foco

  • Pizzi 6.7 – Marcou o golo que dá esperanças às “águias”. A actuar muitas vezes nas costas de Seferovic e em constantes trocas com Chiquinho, não falhou nenhum dos cinco passes longos tentados e ainda fez quatro passes progressivos, foi assertivo, não falhando nenhum dos três dribles que fez.
  • Vlachodimos 6.5 – “Odysaves”, “São Vlachodimos”. O guarda-redes grego voltou a destacar-se em mais uma partida pouco conseguida do emblema da Luz. Ao todo, conseguiu seis defesas e foi adiando as várias tentativas de golo contrárias com algumas intervenções de elevado grau de dificuldade.
  • Florentino 6.3 – É certo que falhou no golo anulado ao Shakhtar, mas conseguiu exibir-se a um bom nível: teve 94% de eficácia no capítulo do passe – 51 tentados e três falhados -, um passe progressivo, um longo, 74 acções com a bola, sete recuperações de bola, oito desarmes e cinco intercepções. O que leva a que não seja mais vezes utilizado? Só Bruno Lage saberá…
  • Alan Patrick 6.3 – Um remate, um golo, dois passes flagrantes para golo, 92% na eficácia do passe e sete recuperações de bola. Esteve envolvido em quase todos os momentos de perigo dos ucranianos.
  • Seferovic 4.7 – Não há registo de nenhuma acção ofensiva do avançado suíço, que voltou a ser uma sombra durante os 65 minutos em que esteve em campo. Não oferece linhas de passe aos colegas, esconde-se do jogo e é um alvo demasiado fácil para os adversários.
  • Rúben Dias 3.8 – Teve um erro de principiante e crasso que esteve na génese do golo de Kovalenko. Perdeu a bola em nove ocasiões e sofreu cinco desarmes. O defesa-central teve a pior nota entre todos os elementos que participaram no encontro. O único destaque positivo que teve foram os oito passes progressivos que alcançou.

Resumo

PARTILHAR

RESPONDER

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …