Sete semanas depois das eleições, conservadores e ecologistas formam governo na Áustria

Florian Wieser / EPA

Sebastian Kurz, líder do Partido Popular austríaco (OVP)

O Partido Popular austríaco (OVP) e o ecologista e progressista Os Verdes anunciaram na quarta-feira um acordo de coligação governamental no qual os conservadores vão manter os principais ministérios.

Após sete semanas de negociações, conservadores e ecologistas concluíram um acordo para os próximos cinco anos, na sequência das eleições antecipadas de 29 de setembro que deram a vitória ao OVP de Sebastian Kurz, noticiou a agência Lusa, citando a agência noticiosa APA.

O líder democrata-cristão do OVP deverá voltar a assumir o cargo de chanceler, à semelhança do que sucedeu na passada legislatura quando os conservadores decidiram aliar-se aos ultranacionalistas. Werner Kogler, dos Verdes, deverá tornar-se vice-chanceler.

O acordo deverá ser confirmado pelos Verdes no congresso federal que o partido vai promover no fim de semana, destinado a legitimar a sua participação, pela primeira vez, numa coligação governamental.

“Conseguimos unir o melhor de dois mundos. É possível proteger o clima e as fronteiras”, declarou Sebastian Kurz, citado pelo Expresso. Já Werner Kogler disse que o país poderá assumir a liderança europeia nas questões das alterações climáticas, acrescentando que os dois partidos “concordaram em mais assuntos do que poderiam imaginar previamente”.

Os detalhes da coligação serão anunciados esta quinta-feira, mas os dois líderes já revelaram que pretendem reduzir os impostos em geral e aumentar os impostos relacionados com o ambiente.

Nas eleições antecipadas de setembro, o OVP venceu com 37,5% dos votos, uma subida de seis pontos face às legislativas anteriores. Apesar de os conservadores terem vencido em oito dos nove distritos federais do país, não dispõem de maioria no Parlamento. Com 13,9% dos votos, Os Verdes foi a quarta força mais votada.

O antigo parceiro de coligação do OVP, o Partido da Liberdade da Áustria (FPO, de extrema-direita), caiu para os 16,2%, na sequência de escândalo que motivou uma moção de censura e que, no final de maio, precipitou as eleições antecipadas.

O escândalo rebentou com a divulgação de um vídeo, gravado três meses antes das legislativas de 2017, em que o então líder do FPO, Heinz-Christian Strache, prometia contratos governamentais a uma mulher, que se apresentava como sobrinha de um oligarca russo.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez em 30 anos, Hong Kong proíbe vigília em memória de Tiannamen

Pela primeira vez em 30 anos, tanto Hong Kong como Macau não vão ter vigílias em homenagem às vítimas do massacre de Tiananmen. A Polícia de Hong Kong proibiu a vigília em memória do massacre de …

Portugal com mais 8 mortos e 331 casos positivos em 24 horas

Portugal registou mais oito mortes e 331 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde. Esta quinta-feira, Portugal registou 1.455 mortes por …

IL rejeita Marcelo Rebelo de Sousa e aposta em Adolfo Mesquita Nunes

O Iniciativa Liberal (IL) não vai apoiar a eventual recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Para o partido, um dos nomes em cima da mesa para as Presidenciais é "fácil" e só depende da "vontade …

Comissão Europeia "otimista" na rápida retoma económica em Portugal

A Comissão Europeia diz estar "razoavelmente otimista" sobre uma "rápida recuperação" económica de Portugal após a crise gerada pela covid-19 e considera que a forma como o país "controlou" a pandemia beneficiará a retoma do …

Nova Zelândia decreta em junho erradicação de contágios. Está há 13 dias consecutivos sem novos casos

A Nova Zelândia, país que tem sido apontado internacionalmente como exemplar no combate à pandemia de covid-19, prevê decretar a “erradicação da doença” no país no próximo dia 15 de junho. A informação foi avançada esta …

Secretário da Defesa discorda de Trump no envio de tropas para conter distúrbios. Aliados europeus afastam-se

O Secretário norte-americano da Defesa, Mark Esper, rompeu na quarta-feira com o Presidente, Donald Trump, no apoio ao envio das forças armadas para as cidades e os estados que se recusarem "a tomar as medidas …

Vai "nascer" em Arouca a maior ponte suspensa do mundo. É a esperança para fazer renascer o turismo

O Turismo de Arouca está a enfrentar dificuldades devido à quebra gerada pela pandemia, mas os empresários aguardam com expectativa a abertura daquela que será a maior ponte suspensa do mundo, já descrita como "extraordinária". Ainda …

"Será difícil não voltar a adiar a abertura" dos centros comerciais na região de Lisboa

O presidente da Associação dos Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, considerou que "será difícil não voltar a adiar a abertura" dos centros comerciais na Grande Lisboa, tendo em conta os números da região nos …

Atraso na partilha de informação. Responsáveis da OMS recusam responder a perguntas sobre China

Os mais altos responsáveis da Organização Mundial de Saúde (OMS) recusaram-se esta quarta-feira a responder diretamente a perguntas sobre um atraso da China na partilha do mapa genético do novo coronavírus com a agência. Três perguntas …

Espanha reabre fronteiras a 22 de junho. Portugal diz que ainda não há uma decisão tomada

Espanha vai reabrir as fronteiras com Portugal e França a 22 de junho. O país tinha planeado abrir as fronteiras ao turismo estrangeiro a 1 de julho, mas decidiu adiantar a data. Porém, Portugal diz …