As sementes do dente-de-leão são ótimos objetos voadores (e a Ciência descobriu porquê)

Uma equipa de cientistas estudou a ligação entre o número de cerdas em sementes de dente-de-leão e a capacidade dessas sementes viajarem longas distâncias de maneira estável.

As sementes de dente-de-leão conseguem viajar vários quilómetros antes de pousar e essa habilidade torna-as particularmente eficientes. No ano passado, cientistas da Universidade de Edimburgo propuseram-se a analisar mais de perto estas sementes.

A equipa descobriu que, à medida que as sementes flutuam no ar, um anel estável e separado de fluido circulante – chamado anel vórtice – forma-se sobre o pappus das sementes (a coleção em forma de disco de cerdas brancas que funciona como uma espécie de para-quedas), mantendo as sementes lá no alto.

Recentemente, cientistas da École polytechnique fédérale de Lausanne (EPFL), na Suíça, em parceria com cientistas da Universidade de Pisa, na Itália, e da Universidade de Twente, na Holanda, levaram esta investigação ainda mais longe.

De acordo com o Tech Explorist, os cientistas criaram um modelo matemático capaz de simular a dinâmica de fluxo ao redor do pappus à medida que o dente-de-leão se move pelo ar, imitando o anel de vórtice. Através da análise de como as sementes resistem a pequenas turbulências, a equipa conseguiu descobrir que o número de cerdas assume um papel significativo.

O principal autor do artigo científico, Giuseppe Ledda, afirmou que as cerdas têm um papel crucial na estabilidade do voo. “O nosso modelo calculou que o número máximo de cerdas para um voo estável ronda em torno de 100 e, surpreendentemente, é o número de cerdas que as sementes de dente-de-leão contém naturalmente.

Para que um objeto consiga voar a longas distâncias são precisos dois fatores: a trajetória precisa de ser a mais estável possível e o seu arrasto (a força que o ar exerce sobre o objeto na direção oposta do movimento) tem que ser significativa.

Ledda explicou que ter cerca de 100 cerdas otimiza ambos os fatores: se fossem mais, o anel de vórtice seria demasiado grande e criaria arrasto, mas geraria simultaneamente um voo muito instável; se fossem menos, o anel de vórtice seria muito pequeno, o que criaria boa estabilidade, mas não o suficiente.

Este processo de modelagem dos mecanismos que ocorrem na natureza forma a base de um campo conhecido como biomimética. Simone Camarri, outra investigadora que participou no estudo, afirmou que esta investigação poderia ir mais além, nomeadamente analisar de que forma a porosidade de um objeto afeta a sua propulsão e a sua estabilidade.

Estas descobertas podem ter aplicações úteis em objetos projetados para funcionar como um pára-quedas. Os resultados foram publicados no início do mês de julho na Physical Review Letters.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Neandertais tinham a capacidade de falar e perceber a linguagem humana

Um novo estudo mostra que os nossos parentes Neandertais tinham a capacidade de ouvir e produzir os sons da fala dos humanos modernos. Nos últimos anos, várias evidências científicas provaram que os Neandertais eram muitos …

Maria José Valério morre vítima de covid-19 ao 87 anos

A cançonetista Maria José Valério, que deu voz à "Marcha do Sporting", morreu esta quarta-feira em Lisboa, aos 87 anos, vítima de covid-19, disse fonte da Casa do Artista. A intérprete de "Menina dos Telefones" (1961) …

Mais impostos e incentivos. Governo avança com reforma fiscal verde (e tem o apoio de Bruxelas)

O Governo está a trabalhar com a Comissão Europeia para aprofundar a primeira vaga reformista, lançada pelo anterior Governo PSD-CDS em 2015, para avançar com uma nova reforma fiscal verde. O Diário de Notícias avança esta …

Costa dá guião a deputados do PS sobre bazuca e promete plano nacional

António Costa reuniu-se com deputados do PS para elucidar sobre a aplicação da bazuca europeia. O primeiro-ministro prometeu um plano nacional para os setores mais afetados. Com as eleições autárquicas à porta e 16 mil milhões …

"Mini cérebros" criados em laboratório sugerem mutação que revolucionou a mente humana

A mudança de uma única letra no nosso código genético pode ter desencadeado um novo nível de função cerebral em humanos modernos, sugere um novo estudo. Como é que nós, humanos, nos tornamos o que somos …

6% da população já recebeu uma dose da vacina. 3% tem a vacinação completa

Portugal já vacinou 603.486 pessoas com a primeira dose da vacina contra a covid-19, com 168.798 a serem vacinadas na última semana, das quais 265.281 pessoas já têm a vacinação completa, informou o Ministério da …

Costa avisa: "A ideia de que as tragédias não se repetem é uma ideia falsa"

O primeiro-ministro fez, esta terça-feira, um veemente apelo à manutenção da disciplina individual para a contenção da covid-19, dizendo que Portugal não pode esquecer o que aconteceu no mês de janeiro. "Apelo ao sentido cívico de …

Marta Temido admite professores e funcionários prioritários na vacinação

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu esta terça-feira que "está a ser analisada" a possibilidade de vacinar os professores e funcionários de escolas no arranque do desconfinamento.  Esta terça-feira à noite, numa entrevista à SIC, …

Explosão em centro de testes nos Países Baixos. Polícia suspeita que tenha sido "intencional"

O centro regional de testes do conselho de saúde em Bovenkarspel, nos Países Baixos, foi atingido por uma explosão na manhã desta quarta-feira. De acordo com os media locais, que citam a polícia holandesa, a explosão …

A maior parte da vida na Terra vai desaparecer por falta de oxigénio em mil milhões de anos

A previsão dos cientistas é catastrófica: dentro de mil milhões de anos, a atmosfera da Terra vai ter pouquíssimo oxigénio, tornando inabitável a vida aeróbica complexa. No início da história da Terra, os níveis de oxigénio …