/

Até a cerveja faltou. Estudantes revoltados na Semana Académica da UBI

1

A Semana Académica da Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, arrancou nesta quarta-feira, mas está a correr da pior forma, com filas de várias horas para entrar nos concertos. E até chegou a faltar a cerveja.

Filas de quatro horas, falta de autocarros para as deslocações dos estudantes e até falta de cerveja. Estes são alguns dos problemas que estão a marcar a Semana Académica da UBI.

Os estudantes têm manifestado a sua revolta nas redes sociais, sobretudo devido às longas filas para entrar no recinto dos concertos.

Gastei 14 euros para ver as costas dos meus amigos enquanto éramos esmagados na fila”, lamenta uma estudante. “Quatro horas na fila ultrapassa muito a linha do “têm de compreender que é muita gente””, aponta ainda outra.

“Até o SNS é mais rápido”, atira uma terceira estudante da UBI enquanto outro aluno fala em “vergonha” e lamenta que “houve pessoal que nem conseguiu ver o Quim [Barreiros]”.

Não há autocarros para os estudantes se deslocarem (isto não é o Porto, que tem transporte a toda a hora)”, nota-se noutra queixa contra a organização da Semana Académica da UBI nas redes sociais.

E há ainda quem fale da falta de cerveja no “Arraial da Cerveja”. “Um arraial sem cerveja é como um festival de sushi sem peixe“, destaca um estudante.

Associação Académica fala em protocolos de segurança e grande afluência de pessoas

A Associação Académica da UBI já veio lamentar os problemas, nomeadamente a questão das filas.

“Foi uma situação lamentável, mas que teve a ver com protocolos da empresa de segurança, como revista de mochilas e detectores de metais”, refere ao Correio da Manhã (CM) o presidente da Associação Académica da UBI, Ricardo Nora, prometendo que “os próximos concertos terão outros procedimentos”.

No seu perfil do Instagram a Associação Académica publica uma nota onde começa por fazer uma espécie de mea culpa. “É uma vergonha a AAUBI falhar, sim. É uma vergonha a AAUBI não ter pensado que o número das filas e de recursos seria pequeno para a quantidade de pessoas que afluíram à mesma hora com o desejo de (re)viver o ambiente da Semana Académica no primeiro dia”, destaca a Associação.

“Mas no que toca a segurança a AAUBI não pode sobrepor o desejo do regresso ao bem-estar de todos os seus estudantes, o que causa demoras”, realça contudo a Associação.

“Quisemos e queremos continuar a fazê-lo, e todos os procedimentos legais têm de ser aplicados na entrada”, vinca ainda.

Assim, a Associação pede a ajuda dos estudantes para prepararem o cartão de estudante “previamente” e para não levarem “objectos perigosos, líquidos ou frascos” para o recinto dos concertos.

Além disso, fica o apelo para cumprirem as filas e respeitarem “o próximo”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por AAUBI (@aaubi_oficial)

Esta tomada de posição da Associação Académica da UBI está, contudo, a motivar algumas críticas. “Fazerem-se de vítimas não vai ajudar à compreensão das pessoas”, diz um estudante nas redes sociais enquanto outro nota que “deviam diminuir o preço dos bilhetes para sábado”, para compensar pelos incómodos.

Já outra estudante refere que é uma forma “bonita de dizer que não vão fazer nada quanto ao que aconteceu, nem vão reforçar a equipa e melhorar a organização nos próximos dias”. “A culpa é dos alunos que nao respeitam filas e não tinham os documentos preparados”, atira ainda.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE