Eis os segredos de Taiwan, que “passou ao lado” da covid-19 sem confinar

jadis_hsu / Flick

Um novo estudo procurou perceber os segredos para o sucesso de Taiwan a combater a pandemia de covid-19. O país nunca chegou a confinar.

Taiwan foi amplamente aplaudido pela sua gestão da pandemia, com uma das taxas de covid-19 per capita mais baixas do mundo e a vida na ilha em grande parte a voltar ao normal.

Apenas 11 pessoas morreram de covid-19 em Taiwan desde o início da pandemia, um feito impressionante para um país que nunca entrou em confinamento.

Com um historial de SARS em 2003, que se argumenta não ter sido bem gerida, o Governo de Taiwan agiu rapidamente para fechar as suas fronteiras desta vez. Taiwan criou ainda um Centro de Comando Central de Epidemias a 20 de janeiro de 2020 para coordenar a cooperação entre diferentes ministérios e agências governamentais e entre o governo e as empresas.

Um novo estudo publicado recentemente no Journal of the American Medical Association examinou mais detalhadamente por que Taiwan se saiu tão bem na conquista da covid-19. Os autores do estudo, de vários institutos de saúde e hospitais em Taiwan e nos EUA, compararam a eficácia estimada de dois tipos de políticas covid-19 nos primeiros meses da pandemia: medidas baseadas em casos e medidas baseadas na população.

As medidas baseadas em casos incluem a deteção de pessoas infetadas através de testes, isolamento de casos positivos, rastreamento de contactos e quarentena de contactos próximos por 14 dias. As medidas baseadas na população incluíram políticas de máscara de proteção individual, higiene pessoal e distanciamento social.

Os efeitos destas políticas foram quantificados estimando o índice de transmissibilidade, R(t).

O R(t) é uma forma de classificar a capacidade de propagação de uma doença infecciosa — representa o número médio de pessoas para as quais uma pessoa infetada transmitirá o vírus. Um número R maior que 1 significa que o vírus continuará a espalhar-se e os surtos continuarão. Um número R abaixo de 1 significa que os números de casos começarão a diminuir.

Embora estudos anteriores noutros países tenham simulado cenários hipotéticos, este artigo científico combinou modelagem de transmissão com dados reais detalhados para estimar a eficácia.

A combinação vencedora

O estudo descobriu que apenas as políticas baseadas em casos, como rastreamento de contactos e quarentena, podem reduzir o R(t) de 2,5 para 1,53. A quarentena foi a que mais contribuiu para reduzir o R(t).

As intervenções baseadas em casos não podem impedir substancialmente a transmissão de uma pessoa para outra, mas podem reduzir a transmissão desses casos secundários para uma terceira ou quarta pessoa, desde que os contactos próximos fiquem em quarentena.

Já as políticas baseadas na população, como distanciamento social e máscaras, reduziram o R(t) de 2,5 para 1,3.

Os autores concluíram que foi a combinação de políticas baseadas em casos e baseadas na população, juntamente com a adesão generalizada, que levou ao sucesso de Taiwan em conter a covid-19.

Eles também descobriram que políticas baseadas na população consideráveis eram necessárias para alcançar a contenção, embora o número de infeções circulantes fosse pequeno.

Nenhuma das abordagens teria sido suficiente por si só, mesmo num país com um sistema de saúde pública eficaz e rastreamento sofisticado de contactos.

O que é isto significa para outros países?

Reconhecendo que todos os modelos fazem suposições, e esta análise não é diferente, este artigo científico confirma que o conjunto completo de medidas de saúde pública que temos usado de forma bastante consistente em todo o mundo — em vários graus de comprimento e rigor — foi necessário.

Os autores presumiram que o teste e o isolamento ocorreram simultaneamente. Este foi o caso em Taiwan, mas não noutros países, onde atrasos entre os testes, resultados e isolamento diminuem a eficácia das medidas baseadas em casos.

Taiwan é uma nação insular com capacidade de controlar a introdução de novos casos através do controlo de fronteira, e os autores reconhecem que as descobertas deste estudo podem não ser totalmente aplicáveis a outros países.

Esta é a razão pela qual os autores se concentraram na eficácia das intervenções baseadas em casos e na população na transmissão local, em vez de se concentrarem nos controlos de fronteira.

Os autores concluem que o rastreamento intensivo de contactos não é possível quando os sistemas de saúde pública estão sobrecarregados. Isto nunca aconteceu em Taiwan devido ao sucesso das suas estratégias, mas aconteceu, por exemplo, na Irlanda em janeiro de 2021, quando o país sofreu uma terceira onda de covid-19.

Este artigo também encontrou resultados semelhantes para quarentena de sete e 14 dias e sugere que o período de quarentena pode ser reduzido. Isto está a ser considerado por alguns países, incluindo os EUA, mas não foi introduzido de forma generalizada até ao momento.

PARTILHAR

RESPONDER

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …

Benfica 3-1 Boavista | Águia evolui com Darwin para a vitória

Desde 1982/83 que o Benfica não vencia os primeiros seis jogos no Campeonato. Pois bem, na noite desta segunda-feira, os encarnados venceram o duelo ante o Boavista e fizeram xeque-mate graças ao bis de Darwin …

Milhões de pessoas em risco de tráfico e escravidão devido à crise climática, revela relatório

Milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por causa da seca severa e ciclones correm o risco da escravidão moderna e de tráfico humano nas próximas décadas, alertou um novo relatório publicado esta …

Mercado teme corrida ao imobiliário com o fim dos vistos gold

A partir de janeiro, segundo as novas regras aplicáveis aos vistos gold, vão deixar de estar abrangidos os investimentos em imobiliário com destino a habitação em Lisboa, no Porto e no litoral. O regime que visa …

Desempregados inscritos no IEFP caem 10% em agosto

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a cair, pelo quinto mês consecutivo. Agosto fechou com 368.404 desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego De acordo com os dados …

Agora que a catedral de Notre-Dame está estabilizada, pode dar-se início à reconstrução

Dois anos e meio após o incêndio que devastou a catedral de Notre-Dame, o edifício encontra-se seguro para iniciar o processo de reconstrução, que se espera estar concluído em 2024. Os trabalhos de segurança e consolidação …

Agente de viagens burlou Cristiano Ronaldo em 200 mil euros

Cristiano Ronaldo foi burlado, ao longo de mais de três anos, pela funcionária de uma agência de viagens a quem confiou os seus cartões de crédito e códigos. Jorge Mendes, Gestifute, Nani e Manuel Fernandes …

França diz-se "enganada" pela Austrália após suspensão de contrato de submarinos

Na semana passada, Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram um acordo de defesa que inclui o desenvolvimento de submarinos nucleares na Austrália. O embaixador francês na Austrália, Jean-Pierre Thebault, disse esta segunda-feira que a França …

Sete mortos e 306 infetados nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta segunda-feira, 306 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Rússia Unida anuncia vitória nas legislativas

O partido do Kremlin, Rússia Unida, reivindicou no domingo a vitória nas eleições legislativas russas, mas a sua maioria constitucional na Duma, a câmara baixa do parlamento, está ainda por apurar, após a contagem de …