Se a Euribor ficar negativa, a prestação da casa tem mesmo que descer – sem limites

iStock

As condições previstas nos contratos de crédito terão de ser cumpridas mesmo que a Euribor desça para valores negativos, esclarece o Banco de Portugal. Mas a DECO faz duras críticas a outras sugestões do regulador.

Se a Euribor ficar negativa, essa queda deverá obrigatoriamente refletir-se na prestação do créditoe a descida das prestações da casa não deve ter limites, garante a Associação de Defesa do Consumidor DECO, em nota publicada esta terça-feira no seu site:

Depois de a DECO ter criticado a ausência de uma recomendação oficial do Banco de Portugal sobre o cálculo das taxas de juro a aplicar às prestações de crédito à habitação perante taxas Euribor negativas, o regulador bancário veio finalmente revelar o seu entendimento e contrariar as teses já defendidas pelas instituições de crédito.

Com a Euribor a 3 meses a aproximar-se cada vez mais de níveis negativos e a Euribor a 6 meses a seguir a mesma tendência, a forma de cálculo das prestações de crédito começava a levantar algumas dúvidas. Para este cálculo, o banco aplica uma taxa de juro indexada à Euribor e adiciona-lhe a sua margem de lucro (o spread). Alguns bancos chegaram a defender que indexantes negativos deveriam ser arredondados a zero.

O Banco de Portugal diz que não. As condições contratadas com os clientes são para cumprir e a descida da Euribor, mesmo para valores negativos, será sempre contabilizada no cálculo da taxa de juro, podendo até refletir-se numa redução do capital em dívida.

A DECO tece no entanto críticas à posição de Banco de Portugal, que acusa de ultrapassar as suas competências de forma inaceitável ao sugerir às instituições de crédito a comercialização de produtos como SWAPS e outros instrumentos financeiros.

Segundo a associação de defesa do consumidor, apesar de o Banco de Portugal recomendar aos bancos o esclarecimento dos clientes, por escrito, no momento desta venda, não há qualquer garantia de que os clientes entendam devidamente as implicações da contratação:

Mas na carta-circular enviada às instituições de crédito, o Banco de Portugal propõe também que, no futuro, estas entidades tomem algumas precauções para evitar os efeitos negativos da evolução negativa dos indexantes. E sugere mesmo a comercialização de instrumentos financeiros derivados de taxa de juro (produtos como os SWAP encaixam neste perfil) aos consumidores que celebrarem contratos de crédito.

A DECO considera inaceitável esta postura do Banco de Portugal, que ultrapassa claramente as suas competências. Ao regulador cabe zelar pelo bom funcionamento do setor e não defender os interesses de uma das partes.

Neste caso, o Banco de Portugal sugere que as instituições de crédito proponham aos seus clientes produtos de elevado grau de complexidade, cujos riscos elevados subjacentes dificilmente serão corretamente percecionados pela generalidade dos consumidores.

As taxas Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

As prestações de crédito à habitação têm estado em queda nos últimos meses, devido ao recuo continuado das taxas Euribor.

Na sequência da descida das taxas Euribor, até há já bancos a oferecer aos seus clientes juros de 0% nos depósitos a prazo de curta duração.

ZAP / DECO

PARTILHAR

RESPONDER

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …

Caso BPN. Relação condena dois dos absolvidos e agrava penas a outros dois

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta quarta-feira dois dos três arguidos absolvidos no processo principal da falência do BPN, Ricardo Oliveira e Filipe Nascimento, e agravou as penas a dois dos 12 arguidos …

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …

Proteção Civil quer que bombeiros voltem a ser obrigados a usar cinto de segurança

A estrada mata mais bombeiros do que os incêndios. Por isso, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil criou um grupo específico para analisar o problema. Rui Ângelo, chefe da Divisão de Segurança, Saúde e …

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …