As sandes (também) fazem tão mal ao ambiente como os carros

O consumo anual de sandes tem o mesmo impacto negativo para o meio ambiente que o uso de mais de 8 milhões de carros. A conclusão reporta-se ao Reino Unido e é de um estudo da Universidade de Manchester.

Depois de recentemente um estudo ter chegado à surpreendente conclusão de que os microondas são tão nocivos para o meio ambiente como os carros, um outro estudo chega agora também à conclusão de que o consumo anual de sandes é nocivo.

A investigação, realizada por investigadores da Universidade de Manchester, analisou a pegada de carbono de 40 tipos diferentes de sandes, o tipo de alimento privilegiado pelos britânicos à hora do almoço.

O comunicado de apresentação do estudo, que cita dados da British Sandwich Association, nota que se consomem no Reino Unido, anualmente, 11.500 milhões de sandes.

Este consumo anual gera “em média, 9,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono” que equivalem ao “uso anual de 8,6 milhões de carros“, salienta a professora e investigadora Adisa Azapagic, da Escola de Engenharia Química e de Ciências Analíticas da Universidade de Manchester.

O estudo, publicado na revista Sustainable Production and Consumption, analisou todo o ciclo de vida das sandes, desde a produção dos ingredientes, passando pela confecção e embalagem, até à refrigeração e ao desperdício.

As conclusões indicam que as piores sanduíches para o ambiente, em termos de pegadas de carbono mais altas, são as de carne de porco, nomeadamente as que contêm bacon, presunto ou salsichas, e as que contêm queijo ou camarão.

Em termos de receitas de sandes analisadas, as que têm mais impacto negativo são as feitas com ovos, bacon e salsichas que se vendem nos comércios alimentares, cujo processo, desde a produção ao consumo, gera efeitos negativos semelhantes aos de um carro a circular 19 quilómetros.

Já as menos prejudiciais, com menores emissões de gases de carbono, são as sandes caseiras simples de presunto e de queijo.

Os investigadores notam que a confecção das sanduíches em casa “pode reduzir as emissões de carbono em metade, em comparação com equivalentes pré-fabricados”.

A refrigeração das sandes, nomeadamente nos hipermercados, bem como a embalagem e o transporte, aumentam as pegadas de carbono.

A produção agrícola e o processamento dos ingredientes são os factores que mais contribuem para o impacto negativo.

Para reduzir estes efeitos prejudiciais, os autores do estudo apontam uma mistura de várias medidas na confecção, ao embalar e no desperdício de ingredientes. E uma das soluções apresentadas passa por prolongar o prazo de validade das sandes.

“Precisamos de mudar a etiquetagem da comida para aumentar o prazo de validade, já que estes são, habitualmente, bastante conservadores”, nota Adisa Azapagic.

“As sanduíches comerciais passam por rigorosos testes de vida útil e são, normalmente, seguras para consumo para lá do prazo de validade colocado nos rótulos”, salienta a investigadora.

Outras sugestões passam pela redução do uso de ingredientes como a carne, o queijo, a alface e o tomate, que aumentam a pegada de carbono.

SV, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Qualquer coisa que se produza que envolva energia eléctrica, sobretudo provenitente de centrais tradicionais, e criação de gado, tem impacto ambiental. Simplesmente, o hábito de vida do Homem é nocivo para o ambiente e para si próprio. Pode é reduzir-se esse impacto para haver um equilibrio que não nos leve à auto-destruição.

  2. Nada como deixar de comer para terminar com os problemas ambientais! Para mim vejo mais o perigo na super-lotação humana na Terra, cidades com largos milhões de habitantes e teimam em crescer por todo o lado isso sim é um verdadeiro atentado à vida neste planeta|.

RESPONDER

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …

Quem anda mais devagar pode envelhecer mais rapidamente

A velocidade a que caminham as pessoas aos 45 anos pode ser um indicador de como é que o cérebro e o corpo envelhecem, revela um novo estudo levado a cabo por uma equipa de …