Sacos biodegradáveis podem não ser a opção mais amiga do ambiente

Um estudo da International Marine Litter Research Unit, da Universidade de Plymouth (Inglaterra), mostra que os sacos biodegradáveis estão perfeitamente funcionais ao fim de três anos, mesmo depois de expostos a elementos naturais.

Para chegar a esta conclusão, os investigadores compararam sacos orgânicos, sacos biodegradáveis e sacos convencionais, expondo-os ao ar, a terra e a um ambiente marinho, condições a que poderiam estar sujeitos quando colocados no lixo, noticiou esta segunda-feria o Sapo.

Depois de nove meses expostos ao ar, os três materiais desintegraram-se em fragmentos.

No entanto, os sacos biodegradáveis — tal como os sacos de plástico convencionais — expostos a terra e a um ambiente marinho estavam perfeitamente funcionais ao fim de três anos, aponta o estudo, publicado no domingo na Environmental Science and Technology. Ou seja, caso precisasse deles para transportar compras poderia utilizá-los sem que se rasgassem.

O saco orgânico, por seu turno, desapareceu completamente ao fim de três meses num ambiente marinho, tendo todavia aguentado 27 meses – com alguns sinais de deterioração – no solo. Quando testado revelou-se incapaz de transportar bens sem romper.

Para os investigadores, os resultados do estudo levantam várias questões. A mais pertinente, indicam, passa por perceber se os sacos biodegradáveis têm um grau de degradação aceitável para serem uma alternativa efetivamente ecológica para os plásticos tradicionais.

“Quando vemos algo catalogado como biodegradável, assumimos automaticamente que se irá degradar mais depressa do que um saco convencional. Mas depois de três anos, a nossa investigação mostra que poderá não ser o caso”, notou Imogen Napper, investigador que comandou este estudo.

Richard Thompson, líder da International Marine Litter Research Unit, considerou que “esta investigação levanta questões sobre aquilo que o consumidor pode esperar quando vê algo catalogado como biodegradável. Os materiais [biodegradáveis] que testámos não relevaram nenhuma vantagem no contexto marinho. Preocupa-me que estes novos materiais também apresentem desafios no que diz respeito à reciclagem”.

“O nosso estudo enfatiza a necessidade de novos ‘standards’ no que concerne materiais biodegradáveis”, frisou.

Grande parte dos sacos de plástico acabam por ser alvo de uma única utilização, acabando no lixo. Segundo este estudo, estima-se que cerca de 98,6 mil milhões de sacos de plástico tenham sido colocados no mercado europeu, com um acrescento anual de 100 mil milhões a cada ano.

A “guerra ao plástico” é um dos temas prementes na União Europeia (UE). O Parlamento Europeu aprovou, a 27 de março, a nova lei comunitária que proibirá a venda de produtos de plástico de utilização única em todo o bloco a partir de 2021.

A diretiva estabelece também que os Estados-membros tomem medidas para alcançar uma redução quantitativa de outros produtos de plástico de utilização única, como recipientes para alimentos e copos de plástico para bebidas, incluindo as respetivas coberturas e tampas.

Os Estados-membros terão de assegurar a recolha seletiva de pelo menos 90% das garrafas de plástico até 2029 – estando prevista uma meta vinculativa de, pelo menos, 25% de plástico reciclado para as garrafas a partir de 2025 –, e em 2030 todas as garrafas de plástico terão de respeitar um objetivo de, pelo menos, 30% de material reciclado.

Os toalhetes húmidos (para higiene pessoal e uso doméstico) terão de ostentar uma marcação na sua embalagem para informar os consumidores da presença de plástico e dos danos causados ao ambiente se não forem deitados devidamente no lixo, o mesmo sucedendo aos produtos do tabaco que dispõem de filtros que contêm plástico.

Os produtos de plástico descartáveis e as artes de pesca abrangidos pela diretiva representam cerca de 70% do lixo marítimo.

O governo português, todavia, decidiu antecipar os prazos da UE sobre plásticos descartáveis e eliminar no segundo semestre de 2020 a colocação no mercado de produtos como palhinhas, talheres e pratos ou produtos oxodegradáveis como alguns sacos. De recordar que, em Portugal, os sacos de plástico começaram a ser cobrados em 2015.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas conseguiram manter tecido cerebral de cobaias vivo durante semanas

Cientistas japoneses conseguiram manter partes de tecido cerebral de cobaias vivas e viáveis durante 25 dias, isoladas numa cultura, graças a um novo método. De acordo com o Science Alert, a chave para o sucesso foi …

Arqueólogos descobrem 25 sítios que comprovam presença militar romana no Norte e na Galiza

Investigadores portugueses e galegos descobriram 25 novos sítios no Norte de Portugal e na Galiza que “comprovam arqueologicamente” a presença militar romana nos dois territórios, correspondendo a maioria dos locais a “acampamentos militares”, revelou hoje …

EUA poderão manter alguns efetivos na Síria para proteger poços de petróleo

Os EUA planeiam deixar alguns efetivos no nordeste da Síria para proteger instalações petrolíferas e garantir o combate contra um possível ressurgimento do grupo extremista Estado Islâmico (EI), disse hoje o secretário de Defesa dos …

Polícias realizam manifestação conjunta em Lisboa a 21 de novembro

Elementos da PSP e da GNR realizam a 21 de novembro, em Lisboa, uma manifestação conjunta para exigirem ao novo Governo "a resolução rápida" dos problemas que ficaram por resolver na anterior legislatura. Com o lema …

Sérvia punida por racismo no jogo com Portugal

A UEFA condenou nesta segunda-feira a Sérvia a disputar o próximo jogo da fase de qualificação para o Euro 2020 à porta fechada, por manifestações racistas na partida com Portugal, disputada em Belgrado, que terminou …

Juve Leo lança críticas à direção: Um clube sem rumo e que precisa de bodes expiatórios

Depois de o Sporting rescindir os protocolos com a Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI devido à "escalada de violência" recente, a Juve Leo reagiu em comunicado com duras críticas à direção de …

Um terço dos fogos deste ano tiveram como causa queima e queimadas

Um terço dos incêndios florestais registados este ano e investigados tiveram como causa queimadas e queimas, revela o último relatório do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). O relatório provisório de incêndios rurais, …

De Nova Iorque a Sydney em 19 horas. Avião da Qantas bate recorde

O primeiro voo comercial direto entre as cidades de Nova Iorque e Sydney, com mais de 19 horas, terminou, este domingo, na cidade australiana. O teste realizado pela companhia aérea Qantas faz parte do Project Sunrise, …

Marcelo ficou "muito impressionado" pela destruição do furacão Lorenzo nos Açores

O Presidente da República visitou, este domingo, o porto das Lajes das Flores, que ficou destruído após a passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, mostrando-se "muito impressionado" pela destruição "massiva". "Muito impressionado com aquilo que foi …

Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da formação espalhados pela Europa

O Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da sua formação a atuarem nas ligas europeias e o emblema português mais representado nas 'big 5', segundo o observatório de futebol do Centro Internacional de …