AMA deixa a porta aberta para russos competirem como atletas neutros

premier.gov.ru / Wikimedia

Atletas russos na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sochi

A Agência Mundial Antidopagem (AMA) considerou esta segunda-feira que dificilmente o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) anulará os quatro anos fora das competições internacionais com que sancionou a Rússia, devido a questões relacionadas com doping.

A Rússia foi excluída dos Jogos Olímpicos de 2020 e da fase final do Mundial de futebol do Qatar, em 2022, devido ao uso recorrente de substâncias dopantes por parte dos seus atletas, com o apoio estatal, num processo revelado há cerca de seis anos.

De acordo com um porta-voz da Agência Mundial Antidopagem, a decisão “tomada por unanimidade” determina a exclusão da Rússia dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, de Inverno Pequim2022 e de todos os campeonatos do Mundo, e prevê a possibilidade de os atletas competirem sob bandeira neutra.

“Se a decisão for deliberadamente adiada para que não afete os Jogos Olímpico de Tóquio, em 2020, será cumprida em Paris2024. Cabe aos russos decidir em quais Jogos Olímpicos participar”, disse em conferência de imprensa Jonathan Taylor, do Comité de Revisão de Conformidade da Agência Mundial Antidopagem.

A AMA decidiu excluir a Rússia por quatro anos de eventos desportivos por manipular o banco de dados das análises antidoping do laboratório de Moscovo e deu ao país 21 dias para cumprir essa decisão ou recorrer ao TAS.

Jonathan Taylor esclareceu que eventos continentais como o Euro2020 de futebol, para o qual a Rússia está apurada e que irá receber alguns jogos em São Petersburgo, não serão afetados pela exclusão, nem o apuramento para o Mundial2022, no Qatar.

No entanto, caso a seleção russa se qualifique para a Mundial do Qatar, em 2022, não poderá participar, “a menos que seja estabelecido um mecanismo para que o faça de maneira neutra”, sem competir sob a bandeira e as cores da Rússia.

Atletas russos que provem não estar envolvidos nos esquemas de doping poderão participar, mas representando uma bandeira neutra, frisa a SIC Notícias.

Ganhar recurso “é impossível”

O presidente da Agência russa antidopagem, Iouri Ganous, considerou esta terça-feira que o país não tem “nenhuma hipótese” de ganhar, caso venha a recorrer da exclusão por quatro anos dos Jogos Olímpicos. “Não há nenhuma hipótese de ganhar diante de um tribunal”, considerou Ganous, em declarações à agência AFP.

O responsável da agência russa disse ainda que a exclusão é uma “tragédia” para os desportistas honestos.

Por sua vez, o Presidente russo defendeu na segunda-feira que a decisão da AMA tem uma “motivação política”. “Qualquer punição deve ser individual e não coletiva”, defendeu o Vladimir Putin, dizendo acreditar que a sanção à Rússia se explica “não pela preocupação de ter um desporto limpo”, mas sim por “uma motivação política”.

Para Vladimir Putin, a decisão da AMA “contraria a Carta Olímpica”, o documento estruturante do Movimento Olímpico e da organização dos Jogos Olímpicos.

Não há qualquer repreensão a fazer ao Comité Olímpico russo, e se não há nenhuma repreensão a este comité, então o país deve poder participar nas competições sob a sua bandeira nacional”, declarou durante uma conferência de imprensa em Paris, onde esteve reunido com o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenskiy.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

João Loureiro já tem bilhete para regressar a Portugal

João Loureiro já tem bilhete para regressar a Portugal. A Polícia Federal brasileira reitera que, no caso do jato privado que transportava droga para Portugal, “todos são suspeitos”. O Jornal de Notícias avança, esta sexta-feira, que …

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …