Rússia exuma czar para confirmar identidade de príncipe e princesa

Boasson and Eggler / Wikimedia

A família real russa foi executada a tiros em 1918

Peritos na Rússia exumaram os restos mortais do czar Nicolau II e da sua mulher, Alexandra, como parte de mais uma polémica envolvendo o assassinato da família real em 1918.

Nicolau II e Alexandra, com os seus cinco filhos e quatro acompanhantes, foram executados pelos bolcheviques por ordens de Lenine, em julho de 1918, nos arredores da cidade de Ecaterimburgo, pouco menos de um ano depois da revolução que derrubou a monarquia no país.

A pedido da Igreja Ortodoxa – que canonizou o czar e a família como mártires -, foram retiradas amostras de ADN dos ossos do casal.

A investigação tem como objetivo resolver o impasse sobre o enterro do que seriam os restos mortais dos últimos membros da dinastia Romanov – o príncipe Alexei e a princesa Maria, cujos restos tinham sido encontrados noutro local e estavam guardados num repositório do Estado.

Nicolau II, a mulher e as princesas Olga, Anastácia e Tatiana estão enterrados na Catedral de São Petersburgo. A ideia é comparar amostras recolhidas na exumação com o ADN de Alexei e Maria, para confirmar a sua identidade.

As ossadas do príncipe e da princesa foram encontradas em 2007, 16 anos depois de os restos mortais dos Romanov terem sido localizado numa vala comum, num local diferente.

Em 2008, peritos russos e americanos afirmaram que as análises de ADN identificaram positivamente as ossadas de Alexei e Maria.

No entanto, há alguns meses, o governo russo criou um grupo de trabalho, liderado pelo primeiro-ministro Dmitry Medvedev, para analisar o caso.

Esta quarta-feira, um porta-voz de Medvedev anunciou a reabertura do processo, informando que serão realizados novos exames, recorrendo ao que foi chamado de “provas antes não disponíveis“.

Os testes serão feitos com recurso a material genético do casal real, mas também terão uma comparação com ADN proveniente de manchas de sangue de um uniforme militar usado pelo o bisavô de Alexei e Maria, o czar Alexandre II, morto num atentado deflagrado por radicais republicanos em 1881. Também será feita uma comparação com o ADN de uma irmã da czarina, Yelizaveta Fyodorovna.

A descoberta das ossadas dos Romanov em 1991 levou à abertura de um inquérito sobre homicídio, mas o caso foi arquivado em 1998 porque não havia como identificar alguém ainda vivo que poderia ter participado do fuzilamento.

No início de setembro, o grupo de trabalho liderado por Medvedev sugeriu que os restos de Alexei e Maria fossem enterrados no dia 18 de outubro, mas voltou atrás depois de a Igreja Ortodoxa Russa questionar a autenticidade dos restos mortais.

Nicolau II foi forçado a abdicar em março de 1917, durante a revolta que culminaria com a grande Revolução de Outubro. Acabou preso pelos bolcheviques depois de lhe ter sido negado um pedido de asilo feito ao então soberano britânico, George V, de quem era primo. O czar e a família foram executados em julho do ano seguinte, os corpos atirados ao poço de uma mina e depois queimados com ácido e enterrados numa vala comum.

A igreja nunca reconheceu completamente a autenticidade dos restos mortais e, na cerimónia em que o czar, a czarina e as princesas foram enterrados o padre recusou-se a dizer os nomes dos nobres. Também já houve pedidos para novos testes às ossadas já enterradas.

A relutância das lideranças ortodoxas deve-se ao fato de, em 2000, o casal real e as princesas terem sido canonizados. Em 2016, por ocasião do centenário da morte dos Romanov, o mesmo acontecerá com Alexei e Maria.

“Queremos que os exames sejam feitos na presença de testemunhas da Igreja. Estas pessoas foram canonizadas e os seus restos mortais são relíquias sagradas. As pessoas rezam diante delas. É importante termos a certeza”, disse no início do mês ao The Guardian um porta-voz ortodoxo, Vsevolod Chaplin.

Os descendentes dos Romanov estão divididos entre os que se queixam da hesitação da igreja e os que defendem a sua posição – entre eles a princesa Maria Vladimirovna, tetraneta de Nicolau II, que mora em Espanha e se autointitula herdeira do trono russo.

Os descendentes vivem fora da Rússia, mas visitam constantemente o país e ainda são venerados pelos fiéis ortodoxos e por pessoas ligadas à extrema-direita.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Fato? O ano 2000 andava de fato? Como é que em Portugal, se insiste neste disparate, que nada tem a ver connosco? Por cá e que eu saiba, mesmo com o tal “pseudo acordo” ainda se escreve e diz, facto! Para além de ser muito mais correcto, é mais elegante e soa muito melhor.

RESPONDER

Donos da ANA adiam investimentos e deixam Montijo em risco

O grupo Vinci Airports, que controla a gestora aeroportuária nacional, vai adiar investimentos e o novo aeroporto do Montijo poderá ser uma das baixas. Como seria de esperar, a pandemia de covid-19 está a ter um …

Bancos com mil milhões de euros em pedidos de moratórias em média numa semana

Uma semana depois de a legislação da moratória pública ter entrado em vigor, os bancos nacionais já têm uma estimativa do número de pedidos de particulares e de empresas. De acordo com o Jornal Económico, os …

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto oferece 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …