Rússia acusa EUA de minimizarem papel de Moscovo na derrota da Alemanha nazi

A Rússia afirmou este domingo estar “extremamente indignada” com as tentativas de Washington de “distorcer” o papel de Moscovo na derrota da Alemanha nazi em 1945, avançando que pretende ter uma “conversa séria” com as autoridades norte-americanas sobre o assunto.

“Estamos extremamente indignados com as tentativas de distorcer os resultados da contribuição decisiva do nosso país”, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo num comunicado, numa referência a uma declaração publicada na sexta-feira na página da Presidência norte-americana na rede social Facebook, que mencionava os Estados Unidos e o Reino Unido como as nações vencedoras envolvidas na derrota do então regime alemão nazi.

No sábado, dia 9 de maio, a Rússia assinalou o 75.ª aniversário do Dia da Vitória, efeméride que marca a vitória do Exército Vermelho da então União Soviética (URSS) sobre as forças da Alemanha nazi.

“Os responsáveis norte-americanos não tiveram a coragem e a vontade de prestar homenagem ao papel inegável do Exército Vermelho e do povo soviético”, prosseguiu Moscovo, realçando o número “colossal de vítimas” que foram registadas na altura no seio do contingente soviético “em nome de toda a humanidade”.

Qualificando as declarações norte-americanas como “particularmente mesquinhas”, a Rússia apelou a Washington para que não faça das memórias de 1945 um “novo problema nas relações bilaterais, que já estão a passar por momentos difíceis“.

A questão do papel da antiga URSS na vitória contra a Alemanha nazi na Segunda Guerra Mundial (1939-1945), que envolveu a morte de cerca de 27 milhões soviéticos, é um assunto extremamente sensível na Rússia e frequentemente presente no discurso do Presidente russo, Vladimir Putin.

Moscovo também acusa os países europeus, em particular a Polónia e a Ucrânia, de minimizarem a ação soviética na II Guerra Mundial.

Devido às restrições impostas pela atual pandemia da doença covid-19, a Rússia – que já ultrapassou a barreira dos 200 mil casos de infeção pelo novo coronavírus -, decidiu adiar as comemorações para uma data posterior, tendo organizado apenas, no sábado, um desfile aéreo e programado um discurso de Putin junto ao monumento do soldado desconhecido.

Lusa // Lusa

 

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Pois o que querem os russos agora! Se por um lado libertaram, por outro escravizaram, queriam agora que Polónia e Ucrânia entre outros, lhes batessem palmas pelos anos que estiveram sob submissão russa e do comunismo?

    • Sabes qual foi o país que teve mais tropa e a lutar contra os nazis? Não sabes vai ao google. Olha que os americanos tem um papel altamente secundário e apenas se envolveram depois de sacar toda a tec e mercados dos ingleses em troca de ajuda. Foram uns anjinhos. Estas a trocar alhos com bugalhos infelizmente. E antes que me atires 10 pedras a cabeça não estou a dizer que estas a mentir.

      • Deveria estudar bem a História antes de botar faladura! Não se lembrou da ajuda crucial que os aliados prestaram através de Murmansk, nem do facto de os aliados estarem continuamente a bombardear toda estrutura militar e industrial da Alemanha, dia e noite! Como se “esquece que, ao contrário da URSS os restantes aliados e até mesmo a Alemanha lutavam em várias frentes, a URSS lutou apenas por si própria e como acima disse foi imensamente ajudada só os americanos deram mais de 10.000 camiões 3.000 aviões entre outro material. Seria uma desgraça para os soviéticos – note a Ucrânia era soviética – se os alemães tivessem apenas atacado a URSS. Só à custa de imensas mortes e mesmo ameaças de aos seus próprios soldados – muitos enviados para a frente de combate sem arma esperando que um companheiro morresse para ficar com a delee com nichos de metralhadoras para os matar pelas costas caso não avançassem – é que a URSS conseguiu aliviar a pressão alemã, e não esqueça também, que exigiram aos aliados tomar Berlim por entenderem “ter direito de vingança” , contra a vontade de muitos dos generais aliados entre os quais Paton ou Omar Bradley que nunca digeriram bem essa ordem, pois a Alemanha estava já derrotada. Pois muito esqueceu você de ver isso nos livros!

      • Tem que reler os seus livros de História. Enquanto os restantes aliados bombardeavam dia e noite a Alemanha destruindo as suas infra-estruturas militares e industriais, os soviéticos apenas lutaram poor si e em condições terríveis – antes aliaram-se aos alemães. Muitos soldados soviéticos foram para a frente de combate sem arma, aguardavam que um camarada fosse morto para ficar coma a dele, caso tivesse uma. Os soviéticos através do porto de Murmansk recebiam todo o tipo de ajuda: dos americanos, só, receberam mais 10.000 camiões e 3.000 aviões. Os restantes aliados britânicos e americanos lutaram em todas as frentes de guerra, os soviéticos apenas para ocupara outros países e libertar o seu. Até declararam guerra ao Japão, quando a vitória norte-americana era inevitável, ou seja a dias desse países se render. Os soviéticos negociaram o “direito à vingança” para tomar Berlim, algo que teve a oposição dos mais altos responsáveis militares americanos, menos de Eisenhower e dos políticos. Deveria voltara aos livros você.

  2. O Putin e companhia devem acha que a história é só a parte positiva…
    É bem verdade que contribuíram decisivamente para a derrota nazi – o pior foi o resto!…

    • Este agora deu em historiador quando nem para pedreiro dá…
      Deixe isso para quem sabe, que decididamente não és tu.

      • Olha que o “Eu!” Até esta a ser modesto no comentário e nem uma palavra que escreveu eu mudava. Ou pensas que os americanos fizeram alguma coisa sem ser tomar uma praia depois de os russos terem dizimados 2 ou 3 exércitos nazis de vários milhões em vários palcos de guerra.

  3. De facto é bom que, saibamos reconhecer e, estudar para que a verdade dos factos, sejam conhecida, às gerações vindouras. O papel da ex-US(URSS), foi decisivo para, o fim desta monstruosa guerra. Não se retira, o mérito americano na, sua intervenção e acudir principalmente a Inglaterra que, era sistematicamente bombardeada a partir do ar, pela aviação alemã. Todavia, a América, enquanto a US, levava avante a ofensiva e contra-ofensivas, esta preprava-se para demonstrar ao mundo o seu poderio nuclear, quando em Agosto de 1945, lançou as bombas atómicas sobre algumas cidades japonesas, que na época da guerra foi, um aliado a par da Itália Mussolini, da Alemanha Nazi. Já a guerra havia terminada com a a capitulação do exército alemão em toda a Europa e, o hastear da bandeira soviética no Reichtag (Palácio de Adolf Hitler). Portanto, quer soviéticos, ingleses, franceses, americanos e outros, consideram-se vencedores e, ao adsinalar-se a data, não houvesse distorções e discriminações em detrimento das perdas que, cada interveniente teve no cenário da guerra.

    • Os americanos simplesmente lutaram em todas as frentes e contra inimigos como eram os japoneses da época extremamente cruéis e fanáticos. Os soviéticos apenas lutaram para se libertarem. Não esquecer que até aliados foram dos alemães, ensinaram-nos a construir campos de concentração e, ocuparam metade da Polónia declarando guerra a este país no dia 17 de Setembro de 1939, conforme acordaram com os alemães e e duas semanas após os alemães deram início à invasão desse país e à Segunda Guerra Mundial, ao mesmo tempo, ocuparam os países bálticos e invadiram a Finlândia onde apesar de de roubarem a Carélia, levaram uma tareia enorme do pequeno país escandinavo. Os russos, sobretudo este canalha do seu presidente tenta tudo disfarçar isto.

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …