Rússia é “ameaça mais direta” à ordem mundial, diz von der Leyen

1

Johanna Geron / EPA Pool

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen

Ursula von der Leyen disse, durante a 28.ª cimeira UE-Japão, que Moscovo “é hoje a ameaça mais direta à ordem mundial com a guerra bárbara contra a Ucrânia e o perturbador pacto com a China”.

A Rússia é a “ameaça mais direta” à ordem internacional, devido à invasão da Ucrânia, declarou esta quinta-feira a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em Tóquio para participar na 28.ª cimeira UE-Japão.

Moscovo “é hoje a ameaça mais direta à ordem mundial com a guerra bárbara contra a Ucrânia e o perturbador pacto com a China“, disse Von der Leyen, depois de um encontro com o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, na presença do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

Nesta 28.ª cimeira, os dois lados comprometeram-se a reforçar a cooperação para aplicar “fortes sanções” à Rússia, na sequência da invasão na Ucrânia, e a levar à justiça os responsáveis pelos “crimes de guerra” cometidos no conflito.

Os líderes do Japão e da Europa deixaram ainda uma mensagem à China, de defesa de um “Indo-Pacífico livre e aberto” contra a ascensão militar de Pequim na região.

O Indo-Pacífico “é uma região cada vez mais próspera, mas com tensões crescentes”, destacou Von der Leyen, assinalando, em particular, os contínuos testes de armamento da Coreia do Norte e o elevado perfil militar da China.

A UE procura ter “um papel mais ativo” e “mais responsabilidade” numa região que considera “vital para a sua prosperidade”, acrescentou.

Kishida disse, por sua vez, que tanto o Japão como a UE “discutirão em conjunto quaisquer tentativas de alterar o ‘status quo’, ou de coerção económica” na região, com vista a promover um Indo-Pacífico “livre e aberto”.

  // Lusa

1 Comment

  1. Interessante notar que não vimos a Sra von der Leyen nem outro dirigente da UE preocupados com a Ucrânia quando foram mortos mais de 14 mil pessoas no Donbass, maioritariamente gente de origem russa. Nem com a forma repugnante como a Ucrânia tratou essa gente, dizendo até o ex presidnete ucraniano Pero Porochenko que as crianças de origem russa não deviam ir à escoloa mas ficarem escondidas em subterrâneos. Tal a xenofobia.
    A sra von der Leyen (nem nenhum dirigente europeu) se preocupou com o golpe de estado anti democrático e violento que derrubou o presidente eleito em 2014, golpe financiado pelos serviços secretos dos EUA. A partir daí a Ucrânia tornou-se uma “colónia” dos EUA e do sr Biden e famíliares.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.