Rússia dá mais uma semana a Kiev para resolver “questão do gás”

Sebastian Derungs / swiss-image.ch / World Economic Forum

Vladimir Putin, presidente da Rússia

Vladimir Putin, presidente da Rússia

A Rússia adiou para 9 de junho o seu ultimato sobre o gás e a ameaça de uma rutura no abastecimento à Ucrânia, que inquieta a Europa e é alvo de negociações cruciais em Bruxelas.

Pouco antes do início das conversações na capital belga, o presidente da gigante energética russa Gazprom, Alexei Miller, confirmou ter recebido um pagamento de 786 milhões de dólares (576 milhões de euros) de Kiev, apesar de recordar que a totalidade da dívida ucraniana ascende a 2,3 mil milhões de dólares (1,68 mil milhões de euros) pelo gás enviado até 1 de abril.

O grupo russo também suavizou a sua posição sobre o pagamento das entregas após essa data, e quando o preço do gás foi fixado a um preço sem equivalente na Europa e na sequência do agravamento da crise na Ucrânia, ao referir-se a “progressos”.

No domingo, o primeiro-ministro ucraniano Arseni Yatseniouk prometeu que a Ucrânia iria reembolsar a Rússia na sua dívida do gás nos próximos dez dias, caso os dois países chegassem hoje a acordo sobre os termos de um novo contrato.

Para o perito ucraniano Iuri Koroltchouk, a Ucrânia “ganhou tempo” para que o recém-eleito Petro Poroshenko, que será investido no cargo de Presidente da Ucrânia a 7 de junho, possa conduzir as negociações.

Poroshenko deve encontrar-se na quarta-feira com o Presidente norte-americano Barack Obama, cujo apoio é crucial para a Ucrânia.

Assim, o novo chefe de Estado ucraniano poderá cruzar-se com o seu homólogo russo durante as celebrações do desembarque aliado na Normandia em 6 de junho, na sequência do convite do Presidente François Hollande, e mesmo que não esteja previsto qualquer encontro, segundo o Kremlin.

Confirmado está o encontro na Normandia entre o primeiro-ministro britânico e Putin, para analisar a crise ucraniana e “insistir na importância de um diálogo entre o governo russo e o novo governo ucraniano”.

A Rússia e o conflito na Ucrânia vão dominar a deslocação de Obama à Europa nessa semana, da Polónia à Normandia para as celebrações do 6 de junho de 1944, até à cimeira do G7 na quinta-feira, em Bruxelas.

Este encontro substituiu o do G8, que deveria ter a participação da Rússia mas foi anulado devido à crise ucraniana.

Poroshenko poderá evocar com Obama a necessidade de uma ajuda militar norte-americana. Na segunda-feira, e de visita a Kiev, o secretário de Estado adjunto da Defesa dos EUA, Derek Chollet, disse ter discutido com os responsáveis locais uma “assistência de 18 milhões de dólares [13,1 milhões de euros] e a cooperação a longo termo para reforçar as estruturas de defesa ucranianas”.

Kiev e os Estados Unidos denunciam a presença de cidadãos russos, designadamente chechenos, entre as forças rebeldes, incluindo com armas pesadas.

“Há provas que a Rússia continua a permitir a livre circulação de armas, de fundos e de combatentes através da sua fronteira”, disse hoje em Washington o secretário norte-americano das Finanças, Jacob Lew.

No terreno, os combates estão a alastrar e com relatos de crescente violência, em particular na região de Donetsk, com cerca de um milhão de habitantes.

De acordo com jornalistas locais citados pela agência noticiosa AFP, o chefe de redação de um jornal regional foi raptado hoje por homens armados, que entraram na redação do periódico.

A Organização para a segurança e cooperação na Europa (OSCE) permanece ainda sem informações sobre duas equipas deslocadas na região, em Donetsk e Lougansk, e supostamente nas mãos dos separatistas.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estado emprestou dois milhões à Cruz Vermelha para pagar salários

A Parpública SGPS emprestou dois milhões de euros ao Hospital da Cruz Vermelha, nomeadamente para fazer pagamento de salários. A Parpública SGPS, holding tutelada pelo Ministério das Finanças, libertou dois milhões de euros para permitir ao …

Ex-ministro francês François Bayrou acusado de cumplicidade na apropriação de fundos

O ex-ministro francês François Bayrou, dirigente centrista e próximo de Emmanuel Mácron, foi acusado na sexta-feira por "cumplicidade na apropriação indevida de fundos públicos" no caso dos assistentes parlamentares do seu partido. A acusação, "anunciada antecipadamente …

"Profundamente envergonhada", Merkel visitou Auschwitz pela primeira vez

A chanceler alemã, Angela Merkel, visitou esta sexta-feira pela primeira vez o campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau num "sinal de reconciliação com os judeus e o estado de Israel", considera o historiador René …

Capital do Natal de Algés avança com queixa-crime contra promotores

A organização da Capital do Natal, evento que decorre em Algés, Oeiras, vai apresentar uma queixa-crime contra os promotores turísticos que "adulteraram a oferta do parque", o que defraudou "um conjunto alargado de pessoas". Em causa …

Menino de 5 anos convidou todos os colegas do infantário para assistir à sua adoção

Um menino de cinco anos de Michigan, nos Estados Unidos, convidou a sua turma do infantário para testemunhar à sua adoção legal. A criança, identificada como Michael, foi adotada formalmente pela sua nova família na passada …

TDT vai mudar de frequência (outra vez)

A frequência da Televisão Digital Terrestre (TDT) está a ser alterada de forma faseada, o que significa que os portugueses que usem este serviço gratuito de televisão têm de sintonizar novamente os seus recetores e/ou …

Ruas de Águeda entre as "mais bonitas do mundo" para a CNN

As ruas do centro de Águeda, no distrito de Aveiro, decoradas com guarda-chuvas estão entre as 21 mais bonitas de mundo para a emissora norte-americana CNN. A distinção é avançada pelo jornal Público, que dá …

Hospitais vão poder pagar mais a médicos para garantir urgências no Natal

Os hospitais vão poder contratar médicos prestadores de serviço, vulgo tarefeiros, por valores superiores aos de referência durante o Natal e o Ano Novo. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Médicos, Noel Carrilho, …

Jovem que abandonou bebé no lixo esteve 13 anos institucionalizada em Cabo Verde

A jovem que abandonou o filho recém-nascido no lixo, em Lisboa, esteve institucionalizada durante 13 anos em Cabo Verde. A sua mãe está agora a lutar pela guarda da criança. Numa entrevista ao programa Sexta às …

Último debate. Boris defendeu o Brexit e Corbyn falou da Saúde (pelo menos 15 vezes cada um)

No debate televisivo, transmitido pela BBC, o último antes das eleições da próxima quinta-feira, Boris Johnson defendeu que é o melhor preparado para concretizar o Brexit e terminar com o impasse no processo, prometendo ainda …