/

Ronaldo recorda conquista do Euro 2016: “Chorei, ri, sofri, gritei e fiquei bêbado”

Miguel A. Lopes / Lusa

Cristiano Ronaldo marca o primeiro golo da vitória de Portugal por 2-0 frente ao País de Gales na meia-final do Euro 2016

Em entrevista ao DAZN, Cristiano Ronaldo recordou alguns dos melhores momentos da sua carreira. Falou um pouco sobre tudo e não pôde, obviamente, deixar passar a conquista do Euro 2016 pela seleção portuguesa.

“O título de campeão europeu com Portugal é o troféu mais importante que alguma vez ganhei. Foi uma noite incrível e inesquecível: chorei, ri, sofri, gritei, fiquei bêbado. Eu chorei tanto que fiquei desidratado. No final do jogo, durante as comemorações, bebi uma taça de champanhe lembrei-me que nunca bebo. Mas esse dia foi tão especial. Foi o troféu mais importante de todos os tempos”, disse o internacional português.

No que toca ao seu momento de forma, arrogância à parte, Ronaldo considera que o melhor atualmente é ele.

Ganhei o prémio de melhor jogador da Serie A e, neste momento, o melhor sou eu! Agradeço aos colegas que votaram em mim. Há muitos jogadores bons na Serie A, logo se vê quem vai ser o eleito no final da época”, atirou.

A jogar num campeonato conhecido por ser defensivamente muito evoluído, Cristiano confessa que é mais difícil fazer golo: “É difícil marcar golos em Itália e, de um a dez, diria que o nível de dificuldade para fazer golos é sete“. E elege os seus colegas de equipa Bonucci, Chiellini e De Ligt como os melhores defesas da liga italiana.

Em relação à conquista do campeonato com a Juventus, na época passada, o madeirense realça que passou a ser “o único jogador da história a vencer o campeonato de Itália, Espanha e Inglaterra”. Além de vencer a Liga com o emblema de Turim, Ronaldo foi campeão com o Real Madrid e com o Manchester United.

“O futebol é o que eu amo, porque faço aquilo que gosto e ainda sou pago por isso. Não posso deixar de estar feliz. Sei quem sou, sei que no final da história dir-me-ão: ‘Bravo'”, reconheceu.

E o avançado não exclui o coletivo e define que conquistar títulos é a sua prioridade. “Agora, a minha prioridade é ganhar títulos e manter-me a um nível elevado. Sinto-me feliz e quero jogar uns anos mais. Uma virtude e um defeito? Sou muito inteligente e não tenho defeitos. Sou sempre profissional!”, chutou.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.