Risco de propagação do Ébola na Europa é reduzido

EU Humanitarian Aid and Civil Protection / Flickr

-

O virologista Jaime Mina assegurou que o risco de propagação do Ébola na Europa é reduzido, estando o surto circunscrito a três países africanos onde já morreram quase 700 pessoas: Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa.

“O risco de contágio [na Europa] é pequeno. Pode haver casos importados – aliás, já houve no passado, salvo erro, três: na Holanda, na Inglaterra e na Rússia – e agora, já neste surto, houve um nos Estados Unidos, mas são casos completamente esporádicos”, defendeu Jaime Mina em declarações à Lusa.

O especialista em doenças tropicais do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) considera que, além disso, “há capacidade dos países envolvidos de isolarem estes doentes e de os tratar em isolamento”.

Mesmo para a vizinha Guiné-Bissau, que faz fronteira com o noroeste da Guiné-Conacri, Jaime Mina explicou que o risco é baixo, porque a área onde se regista o surto “é na fronteira onde se juntam os três países: a Libéria, a Serra Leoa e a Guiné-Conacri”, ou seja, “é no sudeste, na outra ponta [do país]”.

“E a Guiné-Conacri pode parecer pequenina quando comparada com Angola ou outros países gigantes, mas tem três vezes a área de Portugal, portanto, o surto está a umas centenas de quilómetros da fronteira [com a Guiné-Bissau], sublinhou.

Zonas de guerra

Embora confirmando que a situação nos três países infectados “está descontrolada” – como indicou a organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras -, por se tratar de países pobres, com poucos ou nenhuns recursos, o especialista acredita que a situação será resolvida em breve.

“Eu diria que a situação está descontrolada, não por causa do vírus, mas por causa da situação de cada um dos países: os Médicos Sem Fronteiras têm uma fotografia, que eu acho que vale mais que mil palavras, duma ambulância com um letreiro a dizer, em letras garrafais, ‘proibidas as armas’ e depois, por baixo, ‘não disparem, nós somos da Saúde’. Aquilo são zonas de guerra“, observou.

“E fazer saúde pública em zonas onde há guerrilheiros e em zonas do país – quer da Libéria, quer da Serra Leoa – em que o Governo não tem autoridade é muito, muito difícil”, sustentou.

Além disso, o surto começou numa região de floresta densa da Libéria, “com a agravante de que existem minas de diamantes por lá”, apontou Jaime Mina, acrescentando que “seria difícil encontrar uma zona do mundo onde fosse mais difícil combater um surto de uma doença infecciosa”.

Responsabilidade de todos

O virologista chamou a atenção para o facto de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter recentemente convocado responsáveis dos três países afetados e também dos países vizinhos, instando-os a participar numa campanha para deter o vírus do Ébola, que se transmite por contacto direto com o sangue, fluidos biológicos ou tecidos de pessoas ou animais infectados.

“A OMS fez uma aposta, há cerca de dez dias, e tem uma probabilidade de sucesso: fez uma reunião com as entidades políticas – e a solução passa obrigatoriamente pela vontade política regional -, não apenas dos três países, porque aí arriscava-se a acabar em tiroteio, mas dos países à roda, incluindo países já com um mínimo de estruturas, como o Senegal, a Costa de Marfim, ou mesmo a Nigéria, que também foi convidada e esteve presente”, relatou.

E nessa reunião, “embora de uma forma muito subtil, foi dito e ficou escrito que, se os países afetados não tivessem capacidade de colaborar numa ação transfronteira para controlar o surto, os países vizinhos seriam convidados a assumir a responsabilidade”, prosseguiu.

“Todos os países são muito ciosos da sua independência e a última coisa que querem, ainda por cima com o gigante que é a Nigéria, é que o Governo nigeriano mande para lá umas dezenas de milhares de pessoas e tome conta do assunto”, argumentou.

Após um período de incubação do vírus que dura entre uma semana e dez dias, e em que a doença não é contagiosa, esta manifesta-se através de febre, hemorragias, vómitos e diarreias, variando a taxa de mortalidade entre os 25 e os 90%. Não é conhecida vacina contra a doença.

O surto surgido no início do ano foi declarado primeiro na Guiné-Conacri, antes de se estender à Libéria e depois à Serra Leoa, países que, a 23 de Julho, totalizavam 1.201 casos e 672 mortes, segundo o último balanço da OMS.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Tim Cook acaba de se juntar ao clube dos milionário à boleia de recorde histórico da Apple

O diretor-executivo (CEO) da Apple, Tim Cook, acaba de se juntar à lista de multimilionários do mundo, depois de a gigante tecnológica norte-americana atingir um valor de mercado histórico. De acordo com os cálculos da …

Cientistas calculam probabilidade de contágio ao viajar de comboio

Investigadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, calcularam a probabilidade de contrair covid-19 ao viajar numa carruagem de comboio com uma pessoa infetada. Em colaboração com a Academia Chinesa de Ciências, a Academia Chinesa de …

Hong Kong. Magnata da imprensa Jimmy Lai libertado sob caução

O magnata da imprensa e uma das principais figuras do movimento pró-democracia de Hong Kong Jimmy Lai foi esta terça-feira libertado sob caução, constatou a agência France-Presse. Jimmy Lai tinha sido detido na segunda-feira, ao …

Lar de Reguengos de Monsaraz diz ter feito tudo para salvar vidas

A direção do lar de Reguengos de Monsaraz (Évora) onde surgiu o surto de covid-19 que causou 18 mortos garantiu ter feito “tudo” ao seu “alcance” para “salvar vidas”, nesta “crise” com “contornos dramáticos”. A Fundação …

Israel fecha os olhos e deixa palestinianos cruzarem a fronteira para ir a banhos

As autoridades israelitas têm deixado milhares de palestinianos cruzar a barreira de separação entre os dois territórios para poderem ir às praias. Este foi um fim-de-semana muito especial para Siham e os seus cinco filhos. …

Diabéticos e hipertensos voltam a ter faltas justificadas

Os diabéticos e hipertensos sem condições para desempenharem funções em teletrabalho voltam a ter direito a justificar as faltas ao trabalho devido à pandemia de covid-19, segundo um diploma publicado em Diário da República. “Os imunodeprimidos …

Deputada da Coreia do Sul debaixo de fogo. Usou um vestido no Parlamento

Na semana passada, a deputada sul-coreana Ryu Ho-jeong usou um vestido numa assembleia legislativa, sendo bombardeada com críticas que gerou um debate sobre sexismo e a cultura patriacal do país. De acordo com a CNN, na …

SC Braga oficializa "top gun" Gaitán por duas temporadas

O internacional argentino Nicolas Gaitán assinou um contrato com o Sporting de Braga válido por uma época, com outra de opção, informou esta terça-feira o clube minhoto da I Liga de futebol. Formado no Boca Juniors, …

Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países

A vacina russa contra a covid-19, cujo registo foi esta terça-feira anunciado pelo Presidente, Vladimir Putin, chama-se "Sputnik V", vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países. De acordo com …

Rui Pinto no Twitter: "Travessia do deserto” terminou mas a “luta continua”

Rui Pinto assumiu que a “árdua e longa ‘travessia do deserto’” chegou ao fim, aludindo à sua libertação, mas avisou que “a luta continua”, pois Portugal “continua um paraíso para a grande corrupção” e branqueamento …